Pular para o conteúdo

Cine em Movimento leva cinema a escolas e praças de seis cidades da região central do estado

Organização em São Martinho da Serra. Foto: TV OVO

As exibições de cinema ao ar livre do projeto Cine em Movimento tiveram o seu encerramento no dia 19, na Escola Marista Santa Marta, aqui em Santa Maria, RS. O carro e o reboque da TV OVO passaram por outras cinco cidades da região, carregados de equipamentos e muita energia audiovisual para proporcionar sessões abertas de cinema em escolas e praças.

 

Os filmes exibidos foram curtas-metragens realizados no Rio Grande do Sul, selecionados a partir de um edital promovido por nós, da TV OVO. A  programação de cada sessão foi organizada tendo em vista o contexto de cada município, pensando na cultura, etnia e raízes do local. Todos os filmes eram de gênero, temática, narrativa e a linguagem livres de acordo com a classificação indicativa do Ministério da Justiça.

Nossa primeira parada foi em Silveira Martins, na Escola Estadual Bom Conselho. O início de noite friozinho ofereceu o clima perfeito para assistir aos filmes. Para o estudante Pedro Nunes, sessões de cinema gratuitas e abertas ao público em cidades pequenas são de extrema importância, principalmente quando as produções são locais. Ele também ressalta a relevância de ver na tela temáticas que precisam ser mais discutidas e usa como exemplo o filme Beira Mar, que para ele representa a prisão que pode ser um distúrbio mental, comparado no filme como um carro enguiçado. “Em cidades pequenas como esta os problemas psicológicos geralmente são muito banalizados e a gente precisa falar sobre isso, porque é uma questão que leva muita gente embora”, comenta Pedro. 

Em São Martinho da Serra a exibição foi feita na Praça Central e a comunidade aprovou a iniciativa. Muitas famílias e grupos de amigos foram chegando com seu mate e sua cadeira e se acomodando em frente ao telão. Crianças que estavam brincando na praça desde cedo, enquanto a nossa equipe montava a estrutura, acabaram esticando a programação de domingo e ficando para ver os filmes à noite. 

Público aguardando o início da exibição em São Martinho da Serra. Foto: TV OVO

A cozinheira Fátima Ribeiro, que é de Santa Maria e estava em São Martinho a passeio, ficou admirada com a movimentação da população. “A gente vem quase todo o dia aqui para a praça e nunca tem ninguém”, conta ela. O filme Fuja, que tem uma personagem com deficiência, foi o que mais chamou a sua atenção. “Tem gente que não tem isso na família e desconhece o preconceito que existe, então é bom para as pessoas entenderem”, comenta Fátima, que foi à sessão acompanhada do esposo e do sobrinho. 

Na sessão de Itaara, Giana Fagundes teve a oportunidade de lembrar da família de descendência alemã através do filme Eu Gosto de Coisa Velha. “Itaara precisa de mais eventos como esse, para a família. A escolha dos filmes foi muito, muito boa porque teve tanto filmes direcionados para crianças como filmes direcionados mais para as mães”, elogia ela. A Praça Municipal ficou cheia de famílias e muitas pessoas agradeceram à nossa equipe pela oportunidade de assistir filmes sem precisar vir até uma sala de cinema em Santa Maria. Uma pessoa relatou que aquela foi a primeira vez que ela teve contato com filmes em uma grande tela.

Em Santa Maria, muitas crianças estiveram presentes a convite da Escola Marista Santa Marta, que sediou a exibição. A TV OVO começou a organizar tudo enquanto os alunos ainda estavam em aula e, no horário de saída, muitos pequenos abordaram a equipe para tirar dúvidas sobre os filmes. A sessão foi muito movimentada, com olhinhos brilhantes e muita pipoca.

O Cine em Movimento também marcou presença em Restinga Sêca, no Centro Municipal de Eventos, e em Agudo, na Praça da Emancipação. Após o fim das exibições, houve espaço para que a comunidade fizesse comentários e debatesse os filmes assistidos, o que faz parte da metodologia do movimento cineclubista de formação de plateias. 

Exibição em Restinga Sêca. Foto: TV OVO

Findamos o mês de novembro com muito cinema e movimento. Vamos sentir falta da magia de fazer cinema por aí, e quando a saudade bater na porta já temos a solução: assistir ao nosso documentário que também integra o projeto. O filme está em fase de produção e registra as idas e vindas das exibições de cinema nas cidades da região central do estado através de depoimentos de diferentes pessoas que compuseram o público das sessões. Será um fragmento do que foram as viagens, os bastidores e as impressões de quem nos acompanhou e embarcou nas histórias audiovisuais projetadas, assistidas e vividas.

Em breve o filme estará disponível para apreciação. Aguardem!

O projeto teve financiamento do Pró-Cultura RS Fundo de Apoio à Cultura – FAC, que tem como objetivo movimentar a produção cultural do estado. 

Por: Giovana Dutra

Conteúdo relacionado

ASSINE!

e receba a Newsletter no seu e-mail

Assine nossa Newsletter
Para receber mensalmente nossa Newsletter