Projetos/

Narrativas em Movimento – edição 2021

A pandemia impôs transformações para todos. Para seguirmos com nossas atividades, que sempre foram presenciais e de muito contato, precisamos rever nossas metodologias e trazer novos formatos para continuar nos movimentando no audiovisual. Além disso, editais e leis de incentivo à cultura têm sido fundamentais para que possamos continuar produzindo. Entre os aprovados pela lei municipal está o Narrativas em Movimento, que já vai para a 6ª edição.

O Narrativas é um projeto pensado e elaborado para promover diálogo e formações no campo do audiovisual, buscando interface com diferentes áreas de conhecimento, envolvendo cultura, artes, comunicação, educação e, para este ano, meio ambiente. Desde 2016, realiza colóquios com entrada gratuita, trazendo nomes de referência no cenário nacional para compartilhar suas experiências e leituras sobre o mundo. Além dos colóquios, também são oferecidos workshops de formação, para fomentar de forma continuada a capacitação de profissionais e estudantes da região e, principalmente, a produção santa-mariense.

A edição de 2021,mcom valor total aprovado para captação de R$ 40 mil, prevê  um colóquio e três workshops em formato virtual, a princípio. O colóquio terá temática voltada para o audiovisual e questões socioambientais, por meio de live realizada no canal de YouTube da TV OVO e em nossa página do Facebook, permitindo interação com o público em tempo real e o debate com base em questionamentos dos participantes. O evento será gravado e posteriormente disponibilizado no canal de YouTube. Mesmo que de forma remota, devido às restrições impostas pelo momento em que vivemos, estamos confiantes quanto ao sucesso da ação, já que a última edição do projeto (2020) foi realizada de maneira virtual e observamos o potencial do projeto diante desta nova versão. A partir da tecnologia e da tendência das lives, é possível contatar e fechar a participação no evento de profissionais pertencentes a regiões muito distantes em nosso Brasil e atingir outros públicos além das fronteiras de Santa Maria. Assim levamos e difundimos o trabalho audiovisual da cidade a essas pessoas e vice-versa.

Já os workshops serão voltados para direção de fotografia em documentários, montagem cinematográfica e desenho de som. Os ministrantes são nomes de relevância profissional, que irão compartilhar das suas experiências. A troca deverá ser realizada por plataforma online também.

E, para completar a programação, temos previstas duas sessões de cinema em locais públicos, com a exibição de filmes brasileiros de grande circulação, mas que não chegam a entrar na programação das salas de cinema da cidade. Gerar este movimento de exibir filmes na rua é uma alternativa de formação de público, entretenimento e cultura de qualidade para a comunidade de Santa Maria, levando cinema gratuito e acessível. Ressaltamos aqui que as sessões só ocorrerão com a devida autorização dos órgãos cabíveis e de acordo com a cor da bandeira permitida na cidade. Esperamos que até o final do ano isso seja possível.

Santa Maria é um reconhecido polo de produção audiovisual, com uma história consolidada tanto na exibição e discussão, quanto na realização. Independentemente das identidades atribuídas para Santa Maria, como por exemplo, cidade cultura, cidade universitária ou cidade ferroviária, é indiscutível o lugar de destaque da produção cinematográfica e audiovisual. Desde o movimento super-oitista dos anos de 1970, passando pela tradição cineclubista com o Lanterninha Aurélio, Otelo Cineclube e outros, chegando nos contemporâneos Festivais Cinest e SMVC, dialogando com a produção acadêmica da UFSM, UFN e com os projetos nas escolas, com a Estação Cinema, produtoras, produtores e também com a TV OVO, a cidade tem na produção audiovisual uma forte marca.

Compartilhe esse texto com seus amigos aqui nas redes sociais, participe das nossas atividades ou, se você possui condições financeiras, nos apoie. Colabore para um mundo com mais oportunidades, com produção de conhecimento, arte e cultura!

Para contato: e-mail: tvovo@tvovo.org/ Facebook: TV OVO/ Instagram: @tvovosm

Confira o histórico completo do NEM:

Em 2016, o projeto realizou três colóquios que discutiram o cenário atual do audiovisual no Estado, o jornalismo na era da internet e as políticas culturais pelo viés do desentendimento. Além dos colóquios, oficinas de produção executiva, de storyboard para ficção e um grande show ao ar livre, na frente do Sobrado, completaram as atividades do projeto e marcaram os 20 anos da TV OVO. 

Em 2017, foram dois colóquios, um com aporte da LIC, e o outro em parceria com a Chilli Produções, Feira do Livro e com o patrono da Feira, Marcelo Canellas, realizados em maio, no Theatro Treze de Maio, lotando o espaço mais uma vez, para discutir audiovisual e jornalismo, além do lançamento de um documentário inédito no país – Resistência, de Eliza Capai. O outro, em parceria com o Fórum Arte, Cinema e Audiovisual, promovido pelo curso de Artes Visuais da UFSM, e em parceria com o curso de Jornalismo da UFN, abordou a produção audiovisual de séries e seriado, para TV e web. Nesta edição também foram realizados quatro workshops na área do audiovisual e uma oficina de produção audiovisual para alunos de escolas públicas.

Em 2018, um dos colóquios trouxe para debate a questão do documentário, direitos humanos e cidadania, lançando um filme inédito na cidade, premiado em diversos festivais, em sessão gratuita antes do debate – Pastor Claudio, de Beth Formagini; e o segundo abordou narrativas audiovisuais de resistência, trazendo a roteirista Inês Figueró, do filme Era o Hotel Cambridge, e o realizador audiovisual argentino, Axel Monsú, além dos workshops de produção audiovisual com tecnologia mobile e de direção de arte. 

Em 2019, trouxemos Guilherme Castro para o workshop de documentário, e Félix Reboledo, para o workshop de roteiro para curta-metragem de ficção. O primeiro colóquio do ano debateu Memória e Territórios no audiovisual com a presença do indigenista e idealizador do Vídeo nas Aldeias, Vincent Carelli, com exibição do filme Martírio, e o segundo abordou o tema Identidades no Audiovisual, com a documentarista, roteirista e diretora Marcia Paraiso, com exibição do filme Lua em Sagitário, ambos inéditos na cidade. 

Em sua edição mais recente, em 2020, o Narrativas em Movimento promoveu um debate sobre Audiovisual e Representatividade Negra, de maneira online devido às limitações impostas pela pandemia do novo Coronavírus, o que não diminuiu a qualidade e importância da discussão, da qual participaram o ator e cantor Flavio Bauraqui e a roteirista, diretora e produtora Mariani Ferreira, do coletivo Macumba Lab. O debate foi mediado pelo ator, diretor, professor e roteirista Gelton Quadros, em transmissão ao vivo pelas redes sociais da TV OVO. Além disso, o projeto também proporcionou a realização do workshop Dirigindo a imagem: expressão e técnica na cinematografia, ministrado pelo diretor de fotografia Pedro Rocha, em formato de videoconferência.

Por Tayná Lopes