Notícias

Circuito de exibição percorre escolas municipais de Santa Maria (atualizado)


Hoje começamos o circuito de sessões cineclubistas itinerantes pelas escolas de Santa Maria pelo projeto Olhares da Comunidade. A primeira é na Escola Pão dos Pobres, no bairro Nossa Senhora de Fátima, sessão realizada na manhã desta sexta-feira, 19/10.  Na segunda-feira, dia 22, estaremos às 14h no CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados), no bairro da Nova Santa Marta. Dia 31 deste mês, uma quarta-feira, iremos ao distrito de São Valentim, na escola José P. de Oliveira, no período da tarde, às 15 horas. Na segunda, 05/11, estaremos na Escola Major Tancredo Penna de Moraes, localizada no distrito de Palma, às 15h; na terça, 06/11, na Escola Julio do Canto, às 19h, em Camobi, e na quarta-feira, 07 /11, será na escola Vicente Farencena, também em Camobi, às 10h, prevista anteriormente para o dia 20/10, mas que precisou ser alterada. E o circuito cineclubista se encerra dia 12/11, às 14h, na escola Dom Antonio Reis, no bairro Medianeira.

Os audiovisuais exibidos nas sessões foram selecionados a partir de um edital que convidou realizadores santa-marienses a inscreverem suas obras. Na programação, que tem cerca de uma hora, estão os curtas Pugna
Nada é Perfeito, Linhas Tortas, Um museu de outro mundo e O candidato. Em algumas comunidades em que já produzimos algum documentário, como nos distritos, ou locais em que já trabalhamos com oficinas que resultaram em alguma história audiovisual, a produção também será integrada à lista dos exibidos.

Após cada sessão rola um debate. A programação tem temática livre e busca fomentar diálogo e troca de ideias entre os jovens das escolas e integrantes das comunidades. Os filmes foram selecionados a partir de conceitos como: relevância social, atualidade, narrativa envolvente, fotografia e roteiro. Nossa ideia é promover a circulação de produções, levar o cinema para perto das comunidades, utiliza-lo como ferramenta de debate, compartilhamento de conhecimentos e inspirações.

Além das sessões cineclubistas itinerantes, o projeto Olhares da Comunidade também tem realizado oficinas de formação audiovisual em duas escolas. Em abril estivemos na escola Major Tancredo Penna de Moraes, em Palma, e na próxima terça iniciaremos o ciclo de formação na escola Dom Antônio Reis, no bairro Medianeira. O projeto tem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.

Sessão na escola municipal Pão dos Pobres. Fotografia de Heitor Leal.


Oficina de audiovisual: conectando saberes


Fazer audiovisual vai muito além de simplesmente ligar uma câmera e contar uma história. Para explicar isso, entre os meses de agosto e outubro, iremos ministrar uma oficina de produção audiovisual para 25 jovens de escolas estaduais e municipais de Santa Maria. As turmas serão formadas por alunos do 8° e 9° ano  e EJA do ensino fundamental, e 1º ano de ensino médio. A oficina será nas segundas e quintas-ferias à tarde e em alguns sábados. No total serão 20 encontros, cada um com três horas de duração, com exceção dos sábados, em que a carga horário será de seis horas. As inscrições e seleções de alunos estão sendo realizadas diretamente com as escolas por meio da Secretaria Municipal de Educação. Serão cinco escolas no total. As atividades iniciam dia 14 de agosto e seguem até final de outubro.

As oficinas serão compostas por quatro módulos ministrados simultaneamente. De forma rotativa, cada grupo passará por  criação, linguagem, produção e gravação e edição. Dentro de cada módulo, os estudantes terão a oportunidade de entender como funcionam todas as etapas de uma produção audiovisual. Na criação, eles vão aprender sobre narrativa, técnicas de abordagem e também como colocar no papel suas propostas criativas. Com um aporte mais teórico, o módulo de linguagem vai ensinar o que de fato é o audiovisual, abordar sobre planos, enquadramentos e movimentos. No módulo produção, a criação e a linguagem são transportadas para as funções. É hora de colocar os conhecimentos em prática e também compreender as responsabilidades dessa etapa. E a edição vai focar em análise de roteiro, organização de arquivos, técnicas de corte de imagem e tratamento de som. Tudo será trabalhado com uma didática não-linear.

A ideia é a de que, a partir dessa oficina, os alunos organizem núcleos em suas escolas e compartilhem seus conhecimentos sobre audiovisual com os colegas. Para os jovens, ter um contato próximo com o processo de fazer audiovisual pode ser mais uma ferramenta educacional e cultural para ajudá-los a conectar e expandir os conhecimentos para além da sala de aula. A iniciativa integra o projeto Narrativas em Movimento desenvolvido pela TV OVO com aporte da Lei de Incentivo à Cultura.

Por Valdemar Neto
Foto Graziele Kemmerich

Oficina na escola Augusto Ruschi

Oficina na escola Augusto Ruschi


TV OVO promove oficina audiovisual para jovens


Abertas as inscrições para a Oficina de Audiovisual Comunitário, promovido pela TV OVO.

A oficina será realizada de 27 a 31 de outubro de 2014 (segunda a sexta-feira), das 14h30 às 17h30, na sede da TV OVO (Rua Ernesto Becker, 1685, esquina com a Floriano Peixoto).

São oferecidas 20 vagas. Podem inscrever-se jovens entre 14 e 24 anos. A seleção será realizada por meio do preenchimento do formulário:

A oficina faz parte do projeto Espaços Culturais, aprovada na Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria e será ministrada pelo cineasta e coordenador da TV OVO Paulo Tavares.

O conteúdo é composto por criação e roteiro, preparação e pré-produção, produção e filmagem, edição e finalização. As inscrições podem ser realizada até dia 20/10. Os participantes receberão certificado (somente quem tiver 75% de frequência).

oficinavideo.