Notícias

Inscrições abertas para workshop sobre montagem cinematográfica


Estão abertas as inscrições para o workshop Do plano A ao plano B em 5 lições – Oficina de montagem cinematográfica, ministrado pelo montador cinematográfico Alfredo Barros. O workshop será nos dias 01, 03, 08 e 10 de junho (terças e quintas), das 19h30 às 22h30.

A atividade será realizada através da plataforma Zoom, com 15 vagas disponíveis. Inscrições através do Sympla, com investimento de R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia (idosos, estudantes, pessoas com deficiência e jovens de baixa renda de 15 a 29 anos). O workshop faz parte do Projeto Narrativas em Movimento 2021, financiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria – LIC/SM.

O conteúdo programado será dividido em quatro aulas de 3h, totalizando 12h. Nelas serão abordados os seguintes assuntos:

LIÇÃO 1 – HISTÓRIA DA MONTAGEM

1.1. Os primórdios do cinema e as primeiras experiências com o corte, as  contribuições de Edwin Porter, Griffith e Méliès para o surgimento do cinema  narrativo.

1.2. As vanguardas do cinema dos anos 20, teorias e experimentações estéticas  na montagem: Griffith, Eisenstein, Vertov, Kuleshov.

1.3. A influencia das artes populares – Vaudeville, o musical, o teatro e o rádio

1.4. A tecnologia do corte desde a tesoura e cola até os softwares de edição, a  transformação da mecânica da montagem e seu impacto no ofício do  montador.

1.5. O que faz o montador de um filme?

 

LIÇÃO 2 – A MONTAGEM E O MONTADOR/EDITOR

2.1. Os conceitos de montagem – mecânica, técnica e arte.

2.2. A problemática da montagem.

2.3. A fragmentação em busca de uma unidade, a arte da associação de  imagens.

2.4. Quem edita o filme? Cutting vs. Editting.

2.5. O editor roteirista.

2.6. Os 4 problemas do material filmado.

2.7. Ordenação, ênfase, ritmo e fluência.

2.8. As técnicas de raccord.

2.9. O eixo e a regra dos 180º

 

LIÇÃO 3 – A MECÂNICA DA MONTAGEM

3.1. As etapas do processo.

3.2. A equipe do filme e o montador.

3.3. A relação com o diretor/roteirista.

3.4. As planilhas e o roteiro.

3.5. O pós-roteiro do diretor.

3.6. O pós-roteiro do continuísta.

3.7. O gerenciamento de mídia – proxys.

3.8. Organização do projeto de edição.

3.9. Sincronização.

3.10. Tagueamento ou Bins.

3.11. Pré-seleção e marcas de localização.

3.12. Versões de montagem e aprovação com diretor.

3.13. Montagem à distância.

3.14. Uso de trilha de referência ou pré-composições originais.  3.15. Efeitos sonoros de referência.

3.16. Exportação de movies de referência com Start, Bip de fim e TC aparente.  3.17. Exportação de AAF e XMLs

3.18. Listas de efeitos para a pós-produção de imagem e som.  3.19. Archive, backups e segurança de dados.

3.20. Processos de pós em áudio e imagem

 

LIÇÃO 4 – A MONTAGEM E A LÓGICA DAS IMAGENS

4.1. A evolução do plano.

4.2. O plano para a montagem.

4.3. A dramaticidade do plano.

4.4. O plano como espaço plástico.

4.5. Unidade dramática da montagem.

4.6. O espaço criado pela montagem.

4.7. Objetividade e subjetividade.

4.8. Os tipos de cortes.

4.9. O tempo criado pela montagem.

4.10. Dinâmica, ritmo e gênero cinematográfico.

 

LIÇÃO 5 – A MONTAGEM E OS GÊNEROS

8.1. A montagem e a cena de ação.

8.2. A montagem e a comédia.

8.3. A montagem e o drama.

8.4. A montagem e o suspense.

8.5. A montagem de diálogos.

8.6. A montagem-roteiro no documentário.

 

Sobre Alfredo Barros:

Montador profissional desde 2003, Alfredo é jornalista e especialista em Marketing e Comunicação. Trabalhou na Casa de Cinema de Porto Alegre  como assistente de montagem de Giba Assis Brasil. Dentre os trabalhos mais recentes, foi montador da série de TV “Notas de Amor”, “Mulher de Fases” e “Doce de Mãe” (Emmy Internacional 2015). Também montou os longas “Legalidade”, “Yonlu” e “O Método”, além da séries de TV “De Carona com os Ovnis” (Prêmio de Melhor série Documentário pela Rio2C e indicada na categoria Melhor Série Documentário do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019). É professor nos cursos de Publicidade e Propaganda, Design  e Jornalismo da ESPM, onde atua desde 2007.

 

Para conhecer mais sobre o ministrante

Site: https://www.alfredobarros.com.br/

Instagram: https://www.instagram.com/alfbarros/

Assista aqui a mini-bio do Alfredo: https://youtu.be/Paj_WQpCEEU


Narrativas em Movimento – edição 2021


A pandemia impôs transformações para todos. Para seguirmos com nossas atividades, que sempre foram presenciais e de muito contato, precisamos rever nossas metodologias e trazer novos formatos para continuar nos movimentando no audiovisual. Além disso, editais e leis de incentivo à cultura têm sido fundamentais para que possamos continuar produzindo. Entre os aprovados pela lei municipal está o Narrativas em Movimento, que já vai para a 6ª edição.

O Narrativas é um projeto pensado e elaborado para promover diálogo e formações no campo do audiovisual, buscando interface com diferentes áreas de conhecimento, envolvendo cultura, artes, comunicação, educação e, para este ano, meio ambiente. Desde 2016, realiza colóquios com entrada gratuita, trazendo nomes de referência no cenário nacional para compartilhar suas experiências e leituras sobre o mundo. Além dos colóquios, também são oferecidos workshops de formação, para fomentar de forma continuada a capacitação de profissionais e estudantes da região e, principalmente, a produção santa-mariense.

A edição de 2021,mcom valor total aprovado para captação de R$ 40 mil, prevê  um colóquio e três workshops em formato virtual, a princípio. O colóquio terá temática voltada para o audiovisual e questões socioambientais, por meio de live realizada no canal de YouTube da TV OVO e em nossa página do Facebook, permitindo interação com o público em tempo real e o debate com base em questionamentos dos participantes. O evento será gravado e posteriormente disponibilizado no canal de YouTube. Mesmo que de forma remota, devido às restrições impostas pelo momento em que vivemos, estamos confiantes quanto ao sucesso da ação, já que a última edição do projeto (2020) foi realizada de maneira virtual e observamos o potencial do projeto diante desta nova versão. A partir da tecnologia e da tendência das lives, é possível contatar e fechar a participação no evento de profissionais pertencentes a regiões muito distantes em nosso Brasil e atingir outros públicos além das fronteiras de Santa Maria. Assim levamos e difundimos o trabalho audiovisual da cidade a essas pessoas e vice-versa.

Já os workshops serão voltados para direção de fotografia em documentários, montagem cinematográfica e desenho de som. Os ministrantes são nomes de relevância profissional, que irão compartilhar das suas experiências. A troca deverá ser realizada por plataforma online também.

E, para completar a programação, temos previstas duas sessões de cinema em locais públicos, com a exibição de filmes brasileiros de grande circulação, mas que não chegam a entrar na programação das salas de cinema da cidade. Gerar este movimento de exibir filmes na rua é uma alternativa de formação de público, entretenimento e cultura de qualidade para a comunidade de Santa Maria, levando cinema gratuito e acessível. Ressaltamos aqui que as sessões só ocorrerão com a devida autorização dos órgãos cabíveis e de acordo com a cor da bandeira permitida na cidade. Esperamos que até o final do ano isso seja possível.

Santa Maria é um reconhecido polo de produção audiovisual, com uma história consolidada tanto na exibição e discussão, quanto na realização. Independentemente das identidades atribuídas para Santa Maria, como por exemplo, cidade cultura, cidade universitária ou cidade ferroviária, é indiscutível o lugar de destaque da produção cinematográfica e audiovisual. Desde o movimento super-oitista dos anos de 1970, passando pela tradição cineclubista com o Lanterninha Aurélio, Otelo Cineclube e outros, chegando nos contemporâneos Festivais Cinest e SMVC, dialogando com a produção acadêmica da UFSM, UFN e com os projetos nas escolas, com a Estação Cinema, produtoras, produtores e também com a TV OVO, a cidade tem na produção audiovisual uma forte marca.

Compartilhe esse texto com seus amigos aqui nas redes sociais, participe das nossas atividades ou, se você possui condições financeiras, nos apoie. Colabore para um mundo com mais oportunidades, com produção de conhecimento, arte e cultura!

Para contato: e-mail: tvovo@tvovo.org/ Facebook: TV OVO/ Instagram: @tvovosm

Confira o histórico completo do NEM:

Em 2016, o projeto realizou três colóquios que discutiram o cenário atual do audiovisual no Estado, o jornalismo na era da internet e as políticas culturais pelo viés do desentendimento. Além dos colóquios, oficinas de produção executiva, de storyboard para ficção e um grande show ao ar livre, na frente do Sobrado, completaram as atividades do projeto e marcaram os 20 anos da TV OVO. 

Em 2017, foram dois colóquios, um com aporte da LIC, e o outro em parceria com a Chilli Produções, Feira do Livro e com o patrono da Feira, Marcelo Canellas, realizados em maio, no Theatro Treze de Maio, lotando o espaço mais uma vez, para discutir audiovisual e jornalismo, além do lançamento de um documentário inédito no país – Resistência, de Eliza Capai. O outro, em parceria com o Fórum Arte, Cinema e Audiovisual, promovido pelo curso de Artes Visuais da UFSM, e em parceria com o curso de Jornalismo da UFN, abordou a produção audiovisual de séries e seriado, para TV e web. Nesta edição também foram realizados quatro workshops na área do audiovisual e uma oficina de produção audiovisual para alunos de escolas públicas.

Em 2018, um dos colóquios trouxe para debate a questão do documentário, direitos humanos e cidadania, lançando um filme inédito na cidade, premiado em diversos festivais, em sessão gratuita antes do debate – Pastor Claudio, de Beth Formagini; e o segundo abordou narrativas audiovisuais de resistência, trazendo a roteirista Inês Figueró, do filme Era o Hotel Cambridge, e o realizador audiovisual argentino, Axel Monsú, além dos workshops de produção audiovisual com tecnologia mobile e de direção de arte. 

Em 2019, trouxemos Guilherme Castro para o workshop de documentário, e Félix Reboledo, para o workshop de roteiro para curta-metragem de ficção. O primeiro colóquio do ano debateu Memória e Territórios no audiovisual com a presença do indigenista e idealizador do Vídeo nas Aldeias, Vincent Carelli, com exibição do filme Martírio, e o segundo abordou o tema Identidades no Audiovisual, com a documentarista, roteirista e diretora Marcia Paraiso, com exibição do filme Lua em Sagitário, ambos inéditos na cidade. 

Em sua edição mais recente, em 2020, o Narrativas em Movimento promoveu um debate sobre Audiovisual e Representatividade Negra, de maneira online devido às limitações impostas pela pandemia do novo Coronavírus, o que não diminuiu a qualidade e importância da discussão, da qual participaram o ator e cantor Flavio Bauraqui e a roteirista, diretora e produtora Mariani Ferreira, do coletivo Macumba Lab. O debate foi mediado pelo ator, diretor, professor e roteirista Gelton Quadros, em transmissão ao vivo pelas redes sociais da TV OVO. Além disso, o projeto também proporcionou a realização do workshop Dirigindo a imagem: expressão e técnica na cinematografia, ministrado pelo diretor de fotografia Pedro Rocha, em formato de videoconferência.

Por Tayná Lopes


Workshops, documentário e colóquio para 2021


 

Iniciamos 2021 com notícia boa! Os projetos Narrativas em Movimento e Por Onde Passa a Memória da Cidade, já conhecidos por muitos de vocês, terão mais uma edição neste ano. Os dois foram contemplados pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria, LIC/SM.

A captação de recursos está em processo e é realizada por meio da destinação de impostos que pode ser feita por pessoas físicas e jurídicas. Você pode doar 30% do seu IPTU, ITBI e ISSQN e transformá-los em cultura. É a partir da doação desses incentivadores que conseguimos colocar em prática nossos projetos e fazer parte do grupo que movimenta a cultura da cidade.

Saiba mais sobre os projetos aprovados

  • Narrativas em Movimento – 2021

Valor aprovado: R$ 40.000,00

O projeto completará sua sexta edição e para este ano planejamos a realização de um colóquio online, para discutir sobre o audiovisual e questões socioambientais, além de três workshops e duas sessões de cinema local. Os temas dos workshops serão: direção de fotografia em documentários, montagem cinematográfica e desenho de som. E nas sessões serão exibidos dois filmes brasileiros, que não chegam a entrar na programação das salas de cinema da cidade.

  • Por Onde Passa a Memória da Cidade – 2021

Valor aprovado: R$ 50.000,00

Para a 12º edição deste projeto, iremos realizar um documentário de curta-metragem chamado Tempos de Peste. O foco é a relação entre o presente e o passado, retratando a peste que assolou Santa Maria em 1910 e a pandemia do novo coronavírus vivida hoje.

 

Lívia Maria Teixeira de Oliveira


Apoie nossos projetos de 2020


Dezembro chega e com ele já iniciamos o planejamento para o ano novo que se aproxima. Com a aprovação de três projetos culturais para 2020, pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC/SM), estamos busca do teu apoio. Que tal transformar seu IPTU em cultura?

Como? É simples, fácil e não precisa gastar nada a mais com isso. Você pode doar até 30% do  IPTU (se pago em cota única), ITBI (aquisição de imóvel), ou ISSQN. A doação deve ser feita antes do pagamento dos impostos, pois assim geramos um novo boleto com o desconto dos 30% do valor destinado para nossas propostas.

Se quiser contribuir com a realização das nossas produções, nos contate. Você pode inserir seus dados nesta planilha que vamos entrar em contato, nos ligar ou enviar uma mensagem para o nosso WhatsApp (55 3026 3039).

 

Conheça os projetos aprovados para 2020

  • Por Onde Passa a Memória da Cidade – 2020

Valor aprovado: R$ 39.000,00

Para 2020 propomos retomar histórias da cultura popular. Serão 02 documentários de curta-metragem sobre saberes tradicionais que têm se extinguido com o tempo. Entre os objetivos está revisitar a memória da cidade por meio da história oral, ou seja, construir a história de Santa Maria através de seus moradores, valorizando distintas culturas e histórias de vida. O diferencial deste projeto está em registrar esses saberes e disponibilizá-los para o acesso de qualquer pessoa.

  • Olhares da Comunidade – 2020

Valor aprovado: R$ 33.000,00

Prevê oficinas de realização audiovisual para adolescentes estudantes do ensino fundamental de duas escolas públicas e uma escola indígena de Santa Maria. Além do ensino e da prática audiovisual, a proposta foca na difusão e formação de público para a produção e consumo de curtas santa-marienses por meio de exibições cineclubistas nas escolas onde as oficinas serão realizadas. O resultado das oficinas serão produtos audiovisuais, produzidos pelos próprios estudantes e que retrate a sua comunidade ou temas que dizem respeito ao universo dos participantes, a partir dos exercícios e atividades realizados durante as oficinas.

  • Narrativas em movimento – 2020

Valor aprovado: R$ 25.000,00

O projeto Narrativas em Movimento busca colaborar com os espaços de discussão e reflexão sobre o fazer audiovisual e sobre a sua importância enquanto produto cultural.  O projeto propõe debates, geração de conhecimento e formação a partir de um colóquio sobre audiovisual e representatividade negra e de dois workshops: direção de fotografia audiovisual e captação de som direto.

Por Lívia Maria, Tayná Lopes e Thaisy Finamor

 


Inscrições abertas para workshop de documentário


 

Se você gosta de assistir, estudar e/ou produzir documentários você clicou em uma boa notícia. No fim do mês de agosto, nos dias 23 e 24, iremos promover um workshop de documentário com o cineasta, jornalista e professor Guilherme Castro.

O curso tem carga horária de 10 horas aula e disponibilizaremos somente 20 vagas. As atividades serão na nossa sede, Rua Floriano Peixoto, 267, sendo na sexta-feira, das 14h às 17h e das 18h30 às 20h30; e no sábado das 10h às 12h e das 13h30 às 16h30. O investimento é de R$ 60,00 inteira e R$ 30,00 meia (idosos, estudantes, pessoas com deficiência e jovens de baixa renda de 15 a 29 anos).

Para se inscrever é necessário preencher formulário e realizar o pagamento da inscrição na nossa sede, ou para algum de nossos integrantes, até o dia 20 de agosto, último dia de inscrições. Pedimos também, que você envie uma mensagem inbox em nosso facebook avisando o momento que irá realizar o pagamento para combinarmos o melhor horário. Atenção: a vaga só será confirmada mediante o pagamento. Já o certificado de participação será enviado por e-mail na semana seguinte ao workshop, mediante 75% de presença.

No conteúdo estão previstos elementos como roteiro, narrativa, método, liberdade criativa, conceitos, entre outros tópicos. O workshop será baseado em estudos teóricos e práticos. Junto de exemplos e exposições trabalharemos pontos essenciais à realização de documentários como:

  • Conceitos gerais, no contexto da discussão sobre o documentário, a realidade e a ficção;
  • Diferentes categorias, modos e estilos de documentário;
  • História do documentário: primeiro cinema, documentário clássico, cinema direto, cinema verdade, documentário contemporâneo;
  • Diferenças entre documentário de cinema e de televisão; e entre documentário e reportagem;
  • Tema do documentário (seleção, interesse, pesquisa);
  • Fontes e materiais diversos;
  • Estruturas narrativas;
  • O off e a narrativa sem off;
  • Entrevistas;
  • Argumento e sucessivos tratamentos de roteiro (montagem);
  • A direção e preparação ao documentário;
  • A reconstituição;
  • O método de aproximação;
  • Equipe e preparação da equipe para o documentário;
  • Captação do material: a fotografia e o áudio em documentário.

Sobre o Guilherme Castro

Guilherme Castro é cineasta, professor de audiovisual e jornalista. Dentre suas produções tem-se a direção dos documentários “Becos”, “Transversais”, “Saúde e Golpe”. Os curtas-metragens “Terra Prometida” e “Boa Ventura”. Entre os especiais para a RBSTV tem-se “Mariazinha”, “O Massacre dos Bugres e Garibaldi – Heroi de Dois Mundos”; na TVE RS, dirigiu programas de teledramaturgia, documentários e jornalismo, e foi diretor de programação. Foi presidente do Conselho Estadual de Cultura e da Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos do RS. É mestre e doutorando em cinema pela Universidade Anhembi Morumbi/SP.

O workshop integra a programação do projeto Narrativas em Movimento, que tem financiamento pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC/SM). Dúvidas podem ser enviadas para o e-mail tvovo@tvovo.org, via inbox no Facebook, Instagram e pelo telefone 3026-3039 ou ainda, entrar em contato com integrantes da TV OVO. Esperamos por você!

Por Tayná Lopes


Workshop de roteiro reuniu público diverso


Para Félix, “escrever é guiar o olhar. Roteiro é movimento”.

No dia 15 de junho ocorreu, na sede da TV OVO, o Workshop de Roteiro, ministrado por Félix Rebolledo, que ressaltou o processo de desenvolvimento de um roteiro, passando pelo papel do roteirista, pela estrutura dramática e formatos de roteiro até a construção do personagem. O encontro iniciou  às 9 horas da manhã e se seguiu até as 18 horas de sábado, com intervalos curtos para lanche e almoço, totalizando 8 horas. O público de 25 participantes foi formado por pessoas de diferentes profissões, mas todos querendo escrever suas histórias.

O jornalista Luiz Gustavo Bordin, 47 anos, por exemplo, nos contou que sua paixão por cinema começou lá na infância. “Eu sempre adorei cinema desde criança. E sempre dava um jeito de transformar uma caixa de fósforo em câmera e os soldadinhos em atores ou repórteres.” Além disso, Luiz nos explica sua motivação para participar do workshop. “Eu vim aqui hoje pelo palestrante, uma pessoa experiente e que conhece muito cinema e roteiro. Achei uma excelente oportunidade, porque não é sempre que a gente tem uma pessoa desse calibre aqui em Santa Maria”, comenta Luiz.

Já João Eduardo Fogaça,  23 anos, veio de Cruz Alta para participar da atividade. ele contou que se apaixonou por audiovisual na faculdade após realizar uma disciplina de documentário e que pretende utilizar o ensinamento adquirido para produzir um documentário sobre os carroceiros de sua cidade. “A gente quer mostrar a relação dos carroceiros com o trânsito e as dificuldades que eles enfrentam, tanto de preconceito quanto de locomoção”, compartilha João Eduardo.

O workshop integra a programação do projeto Narrativas em Movimento e é financiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC/SM). A programação prevista para o ano de 2019 conta ainda com mais um workshop de documentário no segundo semestre e também a realização de dois colóquios.

Por Lívia Teixeira
Foto de Juliana Brittes