Notícias

Colóquio discutirá o Audiovisual e Questões Socioambientais


Debater sobre meio ambiente sempre foi uma necessidade para compreender para onde estamos indo enquanto sociedades humanas. Em meio a uma pandemia e a notícias que trazem dados catastróficos em relação ao desmatamento e que levam ao desaparecimento de biomas, abordar e agir em relação às questões sociambientais é sobrevivência para quem milita pela causa; motivo de preocupação para quem busca compreender a situação; e deveria provocar dúvidas naqueles mais desacreditados. Estamos falando da humanidade. É no sentido de gerar debates públicos e de trazer as questões sociambientais para perto do nosso cotidiano que propomos um colóquio que tem a produção audiovisual como impulso.

O colóquio Audiovisual e Questões socioambientais será no dia 17 de junho, a partir das 19h, com transmissão pelo nosso Facebook e YouTube. O encontro online contará com a presença de Estêvão Ciavatta, que é diretor, roteirista e produtor e assina produções premiadas como Um Pé De Quê?” e Amazônia – Sociedade Anônima, fortemente ligadas à temática ambiental; e Thais Lazzeri, jornalista, documentarista e roteirista,  que é diretora do documentário O Amanhã é Hoje e trabalhou por mais de uma década na cobertura de meio ambiente e direitos humanos para grandes veículos do país. A conversa será conduzida por Neli Mombelli, documentarista e produtora, integrante da nossa equipe.

A atividade faz parte do projeto Narrativas em Movimento 2021, financiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria – LIC/SM e terá certificado para aqueles que se inscreverem através do Sympla.

Sobre os convidados

Estêvão Ciavatta é diretor, roteirista, produtor e sócio-fundador da Pindorama Filmes, referência em questões sociais e ambientais, sendo  Amazônia Sociedade Anônima seu filme mais recente. Ciavatta escreveu e dirigiu dezenas de programas de televisão, incluindo Brasil Legal, Central da Periferia, Um pé de quê? e Programa Casé.

Thais Lazzeri é jornalista, documentarista e roteirista. Repórter premiada, trabalhou por 13 anos em redações como Época, Folha de São Paulo e Repórter Brasil. Em 2018, dirigiu e produziu o documentário O Amanhã É Hoje o drama de brasileiros impactados pelas mudanças climáticas, lançado na COP 24 (Polônia). Em 2020, fundou a FALA- histórias para não esquecer, uma produtora de conteúdo estratégico e de filmes em direitos humanos, meio ambiente e democracia.

 

Sobre a mediadora

Neli Mombelli é documentarista, produtora cultural e professora de audiovisual na Universidade Franciscana, com mestrado e doutorado em Comunicação pela Universidade Federal de Santa Maria. Integra o coletivo audiovisual TV OVO há 12 anos onde atua na elaboração de projetos, como oficineira de realização audiovisual e na direção, produção e montagem de filmes. Dentre as principais produções audiovisuais estão Quando Te Avisto (2020), Feminino Substantivo (2019), Depois Daquele Dia (2018), Frequências do Interior (2015), Poeira (2015) e A Semi-lua e a Estrela (2013).

Para ficar por dentro dos nossos projetos culturais, nos siga em nossas redes sociais: Facebook e Instagram.

Por Lívia Maria Teixeira de Oliveira e Tayná Lopes


Documentário feito por jovens indígenas da aldeia guarani de Santa Maria é premiado em festival


Grupo da oficina de audiovisual na aldeia Guarani.

Apesar dos tempos de pandemia, também há notícias boas para comemorarmos. Na semana passada, o documentário Mbya Arandu (Saber Guarani) foi escolhido como melhor documentário no prêmio especial do júri no 13º Curta Taquary – Festival Internacional de Curta-Metragem, de Taquaritinga do Norte, em Pernambuco.

O filme é o resultado das primeiras atividades de linguagem audiovisual da oficina que  realizamos no ano passado com alunos da escola indígena Mbya Yvyrai´Ijá Tenodé Verá Miri, da Aldeia Guarani Mbyá – Tekoá Guaviraty Porã, localizada no Distrito Industrial, em Santa Maria/RS.

Mbya Arandu fala sobre a necessidade de proteger a Mãe Terra porque é ela que nos dá a vida. O texto do prêmio especial do júri ressalta que foram premiados documentários que se destacaram importantes “pela diversidade e pertinência das temáticas, que abordam o meio ambiente, a liberdade da mulher, a inclusão, preconceito, bullying e poder”. Veja a lista completa dos premiados. Neste ano, o festival, realizado de 22 a 25 de abril, foi totalmente virtual, como uma vitrine de entretenimento para a população que está em casa, possibilitando o acesso de todo o conteúdo para votação e eleição do melhor prêmio na modalidade “Júri Popular”.

O documentário foi produzido coletivamente por Claudemir Moreira, Elida T. Benites, Edson Acosta, Gabriel Alves, Júlio Benites, Andrielly T. da Silva, Marisa Beatriz T. Menites, Nelson C. C. Gimenes, Edson A. Timóteo, Marcelina Timóteo, Mila Acosta, Adriano, Neli Mombelli, Heitor Leal, Tayná Lopes e Paulo Tavares. Aproveitamos também para parabenizar a todos os produtores audiovisuais e todos os curtas selecionados no Festival. Seguimos resistindo na produção audiovisual.

Por Thaisy Finamor

Assista ao filme:


Escolas da Urlândia, Renascença e de São Valentim são a próxima parada de oficinas


Ideias e sentimentos traduzidos em ângulos, cores, luz e sombra, ruídos, vozes, cortes, se misturam com realidades e contextos sociais nos próximos meses como potência de expressão cultural, artística e social. Estamos falando do projeto Olhares da Comunidade, que percorrerá três escolas municipais com o desafio de trabalhar a formação audiovisual. Nesta semana visitamos as escolas Reverendo Alfredo Winderlich, no bairro Urlândia, e a escola José Paim de Oliveira, no distrito de São Valentim, para iniciar a produção das oficinas audiovisuais. Ainda, na semana que vem, iremos até a escola Sérgio Lopes, localizada no bairro Renascença.

A proposta é de trabalhar com grupos de 20 estudantes do oitavo e nono ano para exercitar o olhar e a criatividade para a produção audiovisual, estimular a interação e promover a reflexão sobre si mesmo e sobre a relação dos estudantes com a comunidade em que vivem. As oficinas estão programadas para os meses de abril, maio e junho que terá como resultado duas vídeo cartas por escola endereçadas para alguém da escolha deles que tragam reflexões sobre o contexto desses jovens.

Ao fim das 12h de oficina, uma segunda etapa será realizada em nossa sede com 20 estudantes da primeira etapa que queiram aprofundar os conhecimentos em audiovisual. A última ação do projeto prevê  uma sessão de cinema em cada escola para que os novos  realizadores audiovisuais possam apresentar suas produções para a comunidade escolar. O Olhares da Comunidade tem o financiamento da lei de incentivo à cultura de Santa Maria (LIC/SM).

Por Tayná Lopes

Após um dia de chuva, estudantes da escola José Paim de Oliveira, em São Valentim, trocavam passes quando chegamos na escola para conversar sobre as oficinas. Foto: Neli Mombelli


Festival Assimetria recebe inscrições até dia 31/03


As inscrições para o Assimetria – Festival Universitário de Cinema e Audiovisual se encerram no próximo dia 31. A edição deste ano abrange o Sul do Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai e aceita curtas-metragens de até 25 minutos produzidos em diferentes formatos nas categorias documentário, ficção e experimental.

Para participar, a direção do curta e pelo menos uma outra função técnica deve ter sido exercida por realizadores universitários. O regulamento e o formulário de inscrição podem ser acessados neste link. Serão premiados o Melhor Filme Universitário e a Melhor Direção nas três categorias ficção, documentário, experimental. E também será concedido o prêmio de Melhor Filme Universitário – Júri Popular, ao curta eleito pelo público presente nas sessões da mostra competitiva.

O Assimetria será entre os dias 27 e 29 de maio na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis/SC, com exibições simultâneas na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em Santa Maria/RS. As instituições parceiras alternam o local da realização a cada ano. Nesta edição, a premiação será na capital catarinense. O festival é um projeto de extensão do Centro de Artes e Letras (CAL) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em conjunto com a TV OVO e o Cineclube Boca do Monte, e conta com a parceria de professores do Curso de Cinema do Departamento de Artes (ART) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em conjunto com o Cine Paredão, Cineclube Rogério Sganzerla e Cinema Mundo.

 

 


Workshop para fazer vídeos com dispositivos móveis


Para você que curte fazer audiovisuais com dispositivos móveis (smartphone, tablet…) por aí e quer conhecer mais sobre esta linguagem e todos os “apetrechos” que podem ser acoplados para deixar suas histórias mais arrojadas, se liga no workshop de produção audiovisual com tecnologia mobile. A atividade será realizada no dia 21 de abril, sábado, na sede da TV OVO, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h30. Um feriado audiovisual!

Quem vai ministrar o workshop é Leo Roat, diretor cinematográfico e pesquisador e experimentador de novas mídias. Temos 20 vagas disponíveis. As inscrições podem ser feitas neste formulário até 20 de abril. O custo é de R$ 60 integral e R$ 30 meia (estudantes – comprovante de matrícula, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes). A vaga será confirmada mediante o pagamento na sede da TV OVO até dia 20 de abril (das 9h às 11h30 e das 14h às 17h30, de segunda à sexta – Floriano Peixoto, 267) e apresentação de comprovantes para quem optar pela meia inscrição.

O conteúdo do workshop vai desde as formas de produção e suas possibilidades de experimentações com a tecnologia mobile, até a produção, edição e finalização de um produto audiovisual. A atividade integra a programação do Narrativas em Movimento 2018, que tem financiamento da Lei de Incetivo à Cultura de Santa Maria.

Dúvidas e informações pelo em-mail tvovo@tvovo.org, pelo telefone 3026 3039, mensagem in box pela página da TV OVO no facebook.

Foto Renan Mattos


Produção audiovisual em série é tema de colóquio em novembro


Ao evidenciarmos o importante papel da Lei da TV Paga, que cria demanda de conteúdos audiovisuais independentes brasileiros, além do avanço de plataformas de streaming (dispositivos esses que abrem perspectivas para a produção descentralizada e para a comercialização de audiovisuais), notamos a importância de discutirmos a produção audiovisual voltada para séries tanto para internet quanto para televisão. Por isso, organizamos o Colóquio Produção audiovisual em série, que será realizado no dia 17 de novembro.

Para abordarmos o tema em questão, o Colóquio propõe um debate com  Ana Luiza Azevedo, diretora, roteirista, produtora executiva e integrante da Casa de Cinema de Porto Alegre, e com Leonardo Garcia, roteirista, produtor, sócio da Coelho Voador e um dos idealizadores do Frapa (Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre). O colóquio, realizado em parceria com o curso de Jornalismo da Unifra, será na sexta-feira, 17 de novembro, às 19h, no Salão de Atos de Conjunto I da Unifra, Prédio I (4° andar), entrada pela Rua dos Andradas, 1614.  A entrada é gratuita e a pré-inscrição (para a emissão de certificado) pode ser realizado até o dia 16/11, neste formulário.

Além do colóquio, também teremos um workshop de Criação de webséries com Leonardo Garcia, nos dias 17 e 18 de novembro (sexta e sábado), das 9h30 às 12h e das 14h às 17h30, na nossa sede.  A atividade abordará gêneros e formatos, construção de personagens, conflitos, tom e ritmo para propostas seriadas.

Para quem se interessa pelo tema e quer aprender ou aprofundar seus conhecimentos, pode fazer sua inscrição até o dia 16/11 neste link. O pagamento da taxa, R$ 60,00 (R$ 30,00 meia) deve ser feito na sede da TV OVO, rua Floriano Peixoto, 267, das 14h30min às 18h ou com um de nossos integrantes. A vaga será confirmada mediante o pagamento até dia 16 de novembro.

O colóquio e o workshop integram o projeto Narrativas em Movimento, que tem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.

 

Resumo da programação

Sexta-feira,17/11- 19h

Colóquio Produção audiovisual em série

Debate com Leo Garcia e  Ana Luiza Azevedo

Salão de Atos de Conjunto I da Unifra, Prédio I (4° andar) – Rua dos Andradas, 1614.

Entrada Gratuita.

 

Sexta-feira (17/11) e sábado (18/11)

Workshop Criação de webséries

Com Leonardo Garcia (30 vagas)

Das 9h às 12h e das 14h às 17h

Sobrado Centro Cultural, Rua Floriano Peixoto, 267.

Quanto: R$ 60,00 (inteira). R$ 30,00 – meia (estudantes, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos carentes – mediante apresentação de documento comprobatório).

 

Conteúdo Programático:

Afinal o que é uma websérie? Onde vive? Do que se alimenta?

– Introdução

– Formatos

– Gêneros

– Como construir uma ideia. Fundamentos básicos. Criando o Mundo da história.

– Exercício

Personagens: a alma do negócio

– Construção de Personagens. Caracterização. Arquétipos. Conflitos. Motivações. Antagonismo.

– Premissa – Storyline. Plot. Sinopse Geral.

– Estrutura – Duração. Conflito. Tramas e Subtramas.

– Tom e ritmo – As diferentes possibilidades e variantes a serem adotadas.

Por Camila Lourenci

cartaz