Notícias

(N)ovos da TV


Setembro de 2019.

Lá estávamos nós, os mais novos integrantes da TV OVO! Sentamos em uma mesa longa, rodeados dos mais antigos, começamos a ouvi-los na tentativa de capturar tantas novidades. “Os primeiros dias são assim mesmo” – eles falavam, “com o tempo vocês vão se adaptando e pegam o ritmo”.

Era nosso segundo encontro.

Para “atividade” inicial, foi sugerido que nos apresentássemos, que cada um descrevesse brevemente suas características. Simples e prático, alguns minutinhos e pronto, estaríamos apresentados.

– “O café está pronto”, disse Paulo, logo me levantei e fui buscar uma xícara para mim.

Na cozinha, enquanto colocava meu café, tive “uma ótima ideia”. Porque não nos observamos durante uma semana, percebemos características, jeitos etc. e cada um de nós apresenta o outro? Tenho a impressão de que meus novos colegas não acharam a ideia tão boa assim, mas, ela foi aceita. Sorteamos, para que cada um tirasse um nome a quem iria observar. Minha querida amiga Lívia Maria, para não deixar passar, pegou o celular e gravou este momento.

E esse foi o resultado, talvez não muito fidedigno, de nossas observações investigativas:

Bernardo Salcedo, 19 anos, estudante do 2º semestre de Jornalismo na UFSM. De Sapucaia – RS, adora escrever e é colorado de coração. Mora na CEU I, bem pertinho, vai a pé para a TV. Me pareceu quieto, um pouco introspectivo, mas já fiquei sabendo que esse é o normal dos meninos daqui, então tudo bem. Não somente gosta de escrever, como escreve SUPER BEM, com domínio, leveza e criatividade. Entrou sem saber o que era acessibilidade, mas disposto a aprender e dedicar tempo para aprender, agora vai colar comigo no desenvolvimento da Acessibilidade comunicacional da TV.

Em Santa Maria desde 2017, a acadêmica do 6º semestre de Relações Públicas, cearense de coração carioca e geminiana, Regina Montanet decidiu fazer parte da TV em busca de desenvolver seus conhecimentos em comunicação e acessibilidade. Contudo, é notável seu flerte com o audiovisual e sua vontade de aprender mais sobre esse universo. Uma menina de energia boa, está sempre muito disposta a ajudar, é calma, simpática e agradável de conviver. É sincera e também busca esmero na realização de suas atividades. No dia do gaúcho, se sentiu muito feliz ao encontrar carne em todos os acompanhamentos do RU.

Este texto foi elaborado após o uso de técnicas de espionagem que deixariam agentes da KGB e CIA parecendo amadores. Dito isto, segue meu relatório: Seu nome é Naiady Lima, se não me engano tem 21 anos, guria de Uruguaiana (perdão pelo trocadilho) que está terminando o curso de jornalismo. É uma pessoa muito curiosa, está sempre perguntando e anotando coisas, anota tanto que até me faz anotar para não me sentir envergonhado. Meio quieta, mas de sorriso fácil, apesar de não falar muito sempre que se pronuncia tem alguma ideia nova, alguma sugestão. Não gosta muito de ficar parada, sempre está à procura de algo para fazer. Resumindo, uma pessoa de bastante iniciativa, característica que eu admiro. Não sei para que time torce, mas quando eu falei para o time que eu torcia ela não se manifestou, então pode ser do lado azul da força, ou pode ser uma agnóstica dessa religião politeísta que é o futebol.

Eu queria um pouco mais de informações, só que por motivos óbvios não poderia perguntar, então, num exercício de apuração jornalística extremamente rigoroso, como ir até o Facebook, fui atrás de mais informações. Resultado: nenhum resultado. Mas eu sou brasileiro, I never give up, por isso após outra investigação igualmente rigorosa, consegui descobrir que ela gosta bastante de gatos, de um em específico cujo nome ficarei devendo. Bem, essa é a síntese das informações que consegui coletar durante a minha missão. Espero que a Naiady não me processe por calúnia ou difamação.

Bianca é uma menina decidida, que leva as coisas meio branco no preto, meio preto no branco, é o que é! Essa guria de 21 anos não tem tempo a perder. Tem algo pra resolver? Ela não perde tempo e resolve. Ela é de Uruguaiana, faz Engenharia de Produção, Fora Bolsonaro e colorada. Adora um lanchinho. Diferente dos outros, Bianca (ou Baica para os íntimos) já está na TV há um mês envolvida em diversas atividades de produção e organização.

Texto: Construção coletiva dos novos e semi-novos da TV