Notícias

Coronavírus: o inimigo comum


 

O mundo vive em uma epidemia global que ultrapassa fronteiras, limites geográficos, espaço e tempo, que nos coloca como vulneráveis diante desse inimigo que não exige raça, cor, gênero, idade ou classe social.

Com 3.417 casos confirmados de coronavírus no país e 92 mortes (atualizado em 27/03, às 17h), segundo o Ministério da Saúde, o Brasil é considerado o país latino-americano que registra mais infecções por Coronavírus e enfrenta a pandemia com efeitos sociais e econômicos devastadores.

A curva para achatamento do contágio do Coronavírus depende tanto das medidas governamentais, como também da forma que cada indivíduo se comporta diante desse fenômeno social. Por isso a importância fundamental e urgente da quarentena, do distanciamento social e de pôr em prática cuidados rigorosos com a higiene, pois com essas atitudes limitamos a transmissão do vírus. O aumento dos casos e o congestionamento do sistema de saúde já está previsto, o governo espera que o total de casos dobre a cada três dias, por isso, ressalta-se que só se procure um hospital aquele que apresentar febre e falta de ar.

Os especialistas também alertam que o vírus não é uma gripe leve e passageira. Dados do jornal El País apontam que o vírus é mais contagioso e letal que a gripe, matando 0,13% ou 0,16% dos pacientes. Outro problema apontado sobre a doença é a falta de imunidade do vírus no corpo do ser humano.  Todos esses aspectos promovem um contágio muito veloz se medidas de distanciamento social não forem tomadas. Glênio Aguiar Gonçalves, Régis Sperotto de Quadros e Daniela Buske, do Laboratório GDISPEN (Grupo de Dispersão de Poluentes & Engenharia Nuclear), do Programa de Pós-Graduação em Modelagem Matemática (PPGMMat) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) elaboraram um gráfico de evolução do Covid-19 para 15 dias após o caso 50, registrado no Brasil e em Portugal no dia de ontem, 26/03. Veja a publicação completa.

Os cuidados nesse momento devem ser essenciais e rigorosos. Lavar bem as mãos com água e sabão, usar álcool em gel, higienizar maçaneta, talheres, copos, evitar aglomerações, praias, piscinas, bares, festas, viagens de avião, ônibus, trens, e qualquer transporte público ou coletivo, busque também manter todos os ambientes arejados e com as janelas abertas. Além, é claro, do isolamento e da quarentena. Quanto mais reduzirmos nossa circulação, freamos com mais rapidez o contágio. Pesquisas referentes a vacina e medicação já estão sendo feitas no mundo inteiro, mas enquanto elas não chegam, a opção é se proteger desta forma. O vírus está se espalhando por todos os lados, e somente com cuidados individuais que têm impacto coletivo é possível vencer esse jogo.

Até agora, os estados de São Paulo e Rio de Janeiro estão sendo os mais atingidos pela doença. No Rio Grande do Sul, A Secretaria de Saúde do Estado divulgou o boletim às 12h33min que registrava 194 infectados e duas mortes. Já são 44 municípios com casos registrados. Em Santa Maria, o vírus já chegou durante essa semana. A Secretaria de Saúde do município divulgou hoje, 27/03, o registro de cinco casos confirmados e mais 418 suspeitos.

Leia sobre a corrente do bem coletivo em Santa Maria e outros serviços, como atendimento a quem está com sintomas suspeitos e horário de funcionamento de supermercados.

Por Thaisy Finamor