Notícias

Transferida para junho a gravação da corrida de cavalhadas de Caçapava do Sul


Gravação do depoimento de Francisco Élvio Lopes Fernandes, ex-corredor de cavalhadas

A gravação da corrida de cavalhadas em Caçapava do Sul, para o documentário A Semi-lua e a Estrela, foi transferida para o dia 08 de junho, sábado. Cerca de 20 profissionais que trabalham com audiovisual estiveram em Caçapava no último final de semana para registrar o folguedo. No entanto, o domingo que amanheceu nublado com indícios de que iria abrir sol se transformou numa tarde de chuva. Depois de todo o set de gravação montado para a corrida que começaria às 13h30, o tempo fechou e a garoa do meio-dia fez com que os equipamentos tivessem que ser recolhidos do Forte Dom Pedro II, cenário do embate.

Mesmo que a corrida não tenha acontecido, na sexta-feira e no sábado, a equipe da TV OVO registrou depoimentos de ex-corredores e envolvidos nas cavalhadas. Muitas histórias foram relembradas e contadas. Com o infortúnio da chuva, o grupo de corredores que se formou para encenar novamente o folguedo, se reuniu no domingo à tarde no CTG Clareira da Mata, onde decidiram por reativar o grupo de cavalhadas de Caçapava do Sul, registrando a iniciativa em ata.

Reunião de rearticulação do grupo de corredores de cavalhadas

Apesar de toda a mudança de planos em função do adiamento das gravações, a equipe do documentário saiu muito satisfeita com os resultados tidos até então. Principalmente pelo documentário que agora, além de registrar a história do grupo e do folguedo, também passa fazer parte da história das cavalhadas, já que foi graças ao movimento do filme que o grupo se rearticulou.

A TV OVO agradece o empenho de todos os que estão fazendo parte desse momento!

Saiba mais sobre o projeto  A Semi-lua e a Estrela.


TV OVO grava documentário sobre as cavalhadas de Caçapava do Sul


Homens a cavalo empunhando suas espadas, lanças e armas, numa batalha em campo aberto. Um folguedo que reconta a história da luta entre mouros e cristãos durante as cruzadas de Carlos Magno na França do século VIII. As cavalhadas são uma representação épica que ultrapassa fronteiras geográficas e temporais e que por muitos anos existiram em diversas cidades do país.

Neste domingo, dia 17, elas voltam a ser realizadas no Forte Dom Pedro II em Caçapava do Sul. Desativada há seis anos, a corrida de cavalhadas será encenada novamente para a gravação do documentário A semi-lua e a Estrela, coordenado pela TV OVO.

Pessoas que participavam das cavalhadas serão entrevistadas para registrar a memória das corridas durante a sexta-feira, 17, e o sábado, 18. As entrevistas são uma forma de mostrar como um folguedo, que atravessa mais de um milênio, se transforma e incorpora outras características, conforme o tempo em que é representado, demarcando aspectos sociais da sociedade que o vivencia.

Rafel Rigon e Maurício Stock durante as gravações da novena do Divino. Foto: Maurício Canterle

A produção do documentário iniciou no mês de março. Diversos registros de imagens em movimento e fotografias antigas foram articulados para construir a memória das cavalhadas. As gravações começaram no último final de semana, 12 de maio, quando parte da equipe gravou cenas da novena do Divino, momento em que os cavaleiros com suas vestes tradicionais recebem a comunidade na Igreja. Isso porque a corrida de cavalhadas é ligada à Festa do Divino.

O filme é um projeto aprovado via edital pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do governo do Rio Grande do Sul. A Semi-lua e a Estrela, marcas dos mouros e cristãos, terá 26 minutos e conta com um recurso de 40 mil reais para a sua realização. A produção do documentário está mobilizando mais de 50 pessoas entre corredores, produção local e equipe técnica.

Na produção local destacamos o trabalho do Ponto de Cultura Encontro com a Cultura Gaúcha, representado por Vanda Sitó e Carla Rezera Dotto, além de pessoas da comunidade que têm auxiliado nos preparativos para a corrida de cavalhadas que será realizada no domingo, 19, às 13h30 no Forte Dom Pedro II.


Mostra fotográfica TV OVO 17 anos


Jovens, audiovisual, comunidade, protagonismo, experimentação, memória… essas são algumas das palavras que vêm à cabeça quando pensamos na TV OVO. Uma história construída por muitas mãos, de forma colaborativa, agregando diversas ideias e diferentes pessoas, que no dia 12 de maio completa 17 anos.
Essa vivência é contada em imagens na mostra fotográfica que está na sala de exposições da Cesma. São mais de 40 fotografias que ilustram a trajetória da TV OVO, momentos congelados para relembrar e marcar as fases da história da TV e das centenas de pessoas que passaram por ela, seja como voluntárias ou alunas de oficinas.

O quê: Mostra fotográfica 17 anos de TV OVO

Onde: Sala de exposições da Cesma, Rua Professor Braga, 55

Quando: de 06 a 31 de maio de 2013

Horário: Segunda-feira das 14h às 19h50min
De terça à sexta-feira das 9h às 12h e das14h às 18h50min
Sábado das 9h30min às 13h


Cavalhadas: “foi dada a largada”


Reunião de pesquisa no Ponto de Cultura Clareira da Mata Foto: Maurício Canterle

A produção do documentário a Semi-lua e a Estrela, que fala sobre as cavalhadas de Caçapava do Sul, está mobilizando os moradores da cidade para retomar o movimento que parou as atividades há sete anos. Os encontros de pesquisa estão recuperando diversas fotografias e gravações antigas, que fazem parte da memória caçapavana. As reuniões têm sido realizadas no Ponto de Cultura Clareira da Mata.

O documentário, que tem financiamento do FAC do Audiovisual (Fundo de Apoio à Cultura), da Secretaria de Cultura do RS (Sedac), gravará as cenas no mês de maio. Mais de 50 pessoas estão se mobilizando para reviver a corrida de cavalhadas na Fazenda de Guajuvira, no Passo do Megatério, à cerca de 20 km do centro de Caçapava do Sul.

Curiosidade sobre o Passo do Megatério

É um sítio arqueológico onde foram encontrados fósseis de um megatherium, isto é, uma preguiça gigante que viveu há cerca de 20 mil anos. O nome significa “besta gigante”.


TV OVO no Livro Livre 2013


Gravações na Vila Caramelo

Muitas histórias irão circular pela Praça Saldanha Marinho a partir deste sábado, 27, quando começa a Feira do Livro de Santa Maria. E no domingo, 28, a TV OVO irá aumentar o caldo dessas narrativas.

Isso porque serão lançados dois DVD’s das produções da TV OVO. A atividade começará às 19h, no Livro Livre, e terá exibições de histórias de vida, vídeos de bandas da cidade, informações sobre roteiros de sebos, museus e reportagens sobre prédios históricos santa-marienses.

As pessoas que participaram das gravações poderão pegar seu DVD no dia do lançamento. Também serão distribuídas cópias para a Secretaria de Cultura, Secretaria de Educação, entidades culturais e demais interessados.

Saiba mais sobre os DVD’s

O DVD Por onde Passa a Memória da Cidade, que está na sua terceira edição, é resultado do registro da história de 50 pessoas cujas vidas têm alguma ligação com Santa Maria. As gravações foram realizadas em sete localidades da cidade: Vila Caramelo, Cohab Fernando Ferrari, Itararé, Salgado Filho, Vila Nonoai, Praça Saldanha Marinho e Feira do Cooperativismo (Feicoop), no bairro Medianeira. São micronarrativas de cerca de três minutos cada.

Já o DVD Quadros Culturais – TV OVO no Ônibus é constituído por programetes sobre patrimônio, que mostram prédios históricos da cidade, shows de bandas locais e, ainda, roteiros por sebos, parques, balneários e museus de Santa Maria. Cada vídeo, que tem entre 2 e 5 minutos, circularam pelo programa TV OVO no Ônibus em 2012. Os dois projetos têm o apoio da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.

O que: Lançamento dos DVD’s das produções da TV OVO

Quando: 28/04/2013, às 19h

Onde: Feira do Livro – Praça Saldanha Marinho


TV OVO premiada no 11º SMVC


Marcos Borba, diretor do documentário Qu4tro Mistérios do Rosário Fotografia: Eduardo Ramos, especial Diário de Santa Maria

A 11º edição do Festival Santa Maria Vídeo e Cinema (SMVC), que ocorreu de 08 a 13 de abril, levou para o telão da Cesma uma diversidade de produções audiovisuais brasileiras. Quem participou, assistiu a muita coisa boa. A mostra nacional trouxe diversas realidades do Brasil, principalmente nos documentários, e mostrou diferentes olhares sobre nossa cultura, destacando-se as minorias, como a questão dos indígenas, das pessoas com necessidades especiais e dos negros. Foi uma semana para viver o cinema.

E o desejo que fica, em todos aqueles que vivenciam o SMVC, é a volta do Festival para a Praça Saldanha Marinho. Porque democratizar a produção audiovisual é fazê-la circular em lugares democráticos, lugares públicos, pois, como disse o homenageado nacional, Hermano Figueiredo, um filme só se torna filme quando encontra o público, e quanto maior ele for, melhor!

Premiados no SMVC

A TV OVO levou seis troféus para casa.

O documentário Qu4tro Mistérios do Rosário ganhou quatro deles:

– Melhor curta-metragem

– Melhor direção, Marcos Borba

– Melhor Trilha Sonora, Felipe Batistella Alvares

– Prêmio Clayton Coelho de Direitos Humanos

Os outros dois foram para o curta El Tufito:

– Melhor curta do Júri Popular

– Melhor edição, Neli Mombelli e Marcos Borba

A lista completa dos premiados você confere no site do SMVC.

E se você ainda não conhece as nossas produções premiadas, aí estão elas!

Qu4tro Mistérios do Rosário

[youtube LuF043AYmM8 nolink]

El Tufito

[youtube v6_bmokLN2E nolink]