Notícias

TV OVO lança documentários sobre benzedores e conhecedores de ervas medicinais


Cleusa usa ramos verdes para benzer cobreiros

Histórias de pessoas que curam com rezas e ervas medicinais, um saber tradicional que é passado de geração para geração, mas que também tem se perdido com o passar do tempo. É esse patrimônio cultural que os documentários da quarta edição do projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade registram.
O lançamento será nesta segunda-feira, 18 de novembro, às 19 horas, durante o II Encontro de Benzedores(as) e Conhecedores de Ervas Medicinais organizado pela 8ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), durante a 24ª Semana Municipal da Consciência Negra de Santa Maria, promovida pelo Museu Treze de Maio.
Além da exibição, haverá uma roda de conversa com benzedores(as) e conhecedores de ervas medicinais e um chá para acompanhar as atividades.
Esta edição do Por Onde Passa a Memória da Cidade conta com a parceria da 8ª CRE, por meio do GT Diversidade, que realiza um trabalho de mapeamento de benzedores e curadores em Santa Maria. Além disso, o projeto tem o financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.


Saberes populares – benzimentos e ervas medicinais

Certos hábitos e costumes, de tão antigos, parecem existir desde que o mundo foi criado. Os saberes populares fazem parte daquele conhecimento transmitido não pelos livros, mas pela prática, pela oralidade. É uma sabedoria, que como todas as outras, precisa ser resguardada e preservada, pois constitui parte do patrimônio histórico, artístico e cultural da sociedade. Ao longo da história da humanidade, o homem vem observando as plantas e utilizando-as para fins medicinais.

Júlia prepara infusões com os chás que vende em sua banca no Shopping Popular

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reconhece a ação terapêutica das plantas e permite o uso das chamadas “drogas vegetais” para aliviar os sintomas de doenças de baixa gravidade. Atualmente, o governo federal desenvolve a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS, prevista em lei, que contempla diretrizes, ações e responsabilidades do governo federal, estadual e municipal para oferta de serviços e produtos da homeopatia, de plantas medicinais e de fitoterapia, a chamada medicina tradicional e complementar/alternativa. A proposta é institucionalizar estas práticas no Sistema Único de Saúde (SUS).

O que: Lançamento dos documentários sobre benzedores e conhecedores de ervas medicinais da TV OVO
Quando: às 19h do dia 18 de novembro 2013
Onde: Museu Treze de Maio, Rua Silva Jardim, 1407


Em ação: oficina de produção audiovisual na Ruschi


Ouvidos e olhos atentos para a primeiras noções de audiovisual

Desde o início desta semana,  16 jovens da comunidade de Santa Maria deixaram de lado seus papéis de estudantes para se transformarem em atores, roteiristas e produtores audiovisuais.

A TV OVO, em parceria com a escola estadual Augusto Ruschi, situada na Cohab Santa Marta, realiza uma oficina de audiovisual, cujo objetivo, além de ensinar noções básicas de roteiro, produção, direção e fotografia, é democratizar o acesso à cultura e dar novas possibilidades de formação profissional aos jovens.
As atividades são realizadas no turno da noite. Ao final do projeto, que se encerra amanhã, os jovens irão finalizar uma vídeo-ficção autoral, que será apresentado para a escola e para a comunidade.

A iniciativa é contrapartida do projeto Quadros Culturais – TV OVO no Ônibus, que é financiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC-SM).

Criando a história audiovisual


Oficina de produção audiovisual


Aos interessados em aprender e/ou exercitar produção audiovisual, a TV OVO está com inscrições abertas para oficina.

A atividade será de 28 a 31 de outubro, no turno da noite, das 19h às 22h, na Escola Estadual Augusto Ruschi, na Cohab Santa Marta.

São oferecidas 20 vagas para jovens entre 14 e 24 anos. A iniciativa é contrapartida do projeto Quadros Culturais – TV OVO no Ônibus, que é financiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC-SM).

Interessados podem se inscrever  até dia 25/10 acessando o formulário abaixo.

https://docs.google.com/forms/d/1QA49luEg6FzoYwwox-b4-8L6QfJZ9sKQwXtKBFc-aq4/viewform


TV OVO participa da Mostra de Vídeos de Criciúma/SC


Oficina de criação audiovisual

Nos dias 30 e 31 de agosto, o coordenador da TV OVO, Paulo Tavares, participou da II Mostra de Vídeos de Criciúma, em Santa Catarina, onde ministrou oficinas de criação audiovisual e edição, e também palestrou sobre o tema TV Comunitária.

A programação da mostra contou com diversas produções audiovisuais, entre elas três da TV OVO: o curta de ficção El Tufito (2012), gravado no Uruguai; o documentário Rebojo (2011), gravado em São Francisco do Sul/SC e o documentário Escolinha de Cinema, sobre a oficina de audiovisual para crianças em Criciúma.

O evento foi promovido pela Associação Beneficente ABADEUS – Ponto de Cultura Escolinha de Cinema e contou com apoio da Fundação Cultural de Criciúma e do SESC.


Finalizadas as gravações do documentário A Semi-lua e a Estrela


Mouros conduzem a princesa Floripa. Fotografia: Paulo Silva

Uma guerra muito bonita. Sim, lutas quando encenadas como forma de relembrar o passado e manter viva a memória podem ser consideradas belas. Foi assim o embate entre mouros e cristãos no último sábado, 08 de junho, no Forte Dom Pedro II, em Caçapava do Sul. Cristãos, vestidos de azul, e mouros, vestidos de vermelho, contracenaram com um dia ensolarado, com nuvens pincelando o céu, num cenário de tirar o fôlego.

A teatralização do folguedo foi organizada para a gravação das últimas cenas do documentário A Semi-lua e a Estrela. Dirigido por Marcos Borba, o documentário que é um projeto da TV OVO, fala da tradição da corrida de cavalhadas na cidade.

Foram mais de 20 profissionais do audiovisual envolvidos na produção. Entre os equipamentos utilizados estavam uma câmera de cinema digital, um veículo aéreo não tripulável (Vant) e câmeras fotográficas DSLR que gravam em full HD.

O filme é um projeto aprovado via edital pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC-audiovisual), da Secretaria Estadual de Cultura (Sedac) do Rio Grande do Sul. A Semi-lua e a Estrela, marcas dos mouros e cristãos, respectivamente, terá 26 minutos e conta com um recurso de 40 mil reais para a sua realização.

Nos próximos meses o documentário entra em fase de edição. Ele deverá ficar pronto final de outubro e ser lançado com os demais documentários aprovados na categoria Documenta Rio Grande, do edital do FAC.

Felipe Rosa, operando câmera de cinema digital, e Maurício Canterle, dirigindo cena. Fotografia Paulo Silva