Notícias

Cineclube Abelin no SMVC


De acordo com a estimativa do IBGE de 2009, Silveira Martins, um dos berços da colonização italiana no Rio Grande do Sul, tem menos de 3 mil habitantes. Nos últimos meses, a pequena cidade passou a ter um pólo da Universidade Federal de Santa Maria, com sede no antigo Colégio Bom Conselho (foto ao lado), o que fez com que vários estudantes do município ou da região fossem realizar seus estudos acadêmicos por lá. A partir do dia 15 de setembro, Silveira Martins vai contar ainda com sessões cineclubistas todas as terças-feiras, às 19h, no auditório da escola. O Cineclube Aberlin nas Nuvens surge com a proposta de levar produções audiovisuais e debates sobre cinema para a população local.

Na última quarta-feira, relacionado com o 9º Festival Vídeo e Cinema de Santa Maria, ocorreram duas sessões da Mostra Cineclubinho para 180 crianças de escolas de Silveira Martins. Quando as portas do auditório se abriram, as crianças correram para pegar o melhor lugar para assistir os curtas. Muitas, que nunca foram ao cinema, se encantaram com ”Sweet Karolyne”, produção paraibana, e com as animações ”Um dragão no meu baú” e ”Conquistadores”. Entretanto, o curta que as crianças mais gostaram foi ”Leonel Pé de Vento” (veja site).

Premiado no 7º Festival Vídeo e Cinema de Santa Maria e dirigido por Jair Giacomini, o curta-metragem conta a história de Leonel, um menino que vive na região de Vale Vêneto e é ignorado por muita gente por não ter, literalmente, os pés no chão. Leonel vive isolado, dormindo ou lendo nas nuvens. A história conta sua superação e o auxílio fundamental que recebe de uma amiga, a Mariana. É uma ótima história que encanta pela temática da diversidade cultural, pela trilha sonora e ilustração e ainda mais pelo exemplo de vida.

Texto: Júlia Schnorr

Fotos: Prefeitura Municipal de Silveira Martins e Júlia Schnorr



Mostra AUGM: união das universidades Latino Americanas


Nas tardes do 9º SMVC é realizada a mostra da Associação das Universidades do Grupo de Montevidéu (AUGM, ver site), parte do fórum “Entre fronteiras”. A AUGM reúne 25 universidades da América Latina e divide-se em diversos núcleos e comitês acadêmicos. Um deles é o Comitê de  Produção Artística e Cultural, o qual é responsável pela mostra.

Segundo o professor Daniel Morales, Pró-Reitor de Extensão da Universidade Federalde Santa Maria e idealizador da mostra, a exibição audiovisual foi a maneira mais prática encontrada para justificar o trabalho de extensão. Ao comunicar à Associação sobre a intenção de criar essa mostra, o primeiro retorno surgiu da Universidad Nacional del Litoral, de Santa Fé, Argentina. A partir desse contato, passaram a pensar na escolha dos filmes. Um dos critérios é que a produção não fosse parte e nem destinada ao circuito comercial.

A idéia inicial era de que os filmes teriam de ser legendados. Na exibição desta quinta-feira foi diferente. O audiovisual “La Reforma”, fora apresentado sem legendas e com áudio original, em “castelhano”. “Serve para justificar o ‘entre fronteiras’. A falta de legendas atua como uma quebra de barreiras”, explica Morales. Para ser escolhida, a produção deve ter relação com a realidade na qual, as universidades estão inseridas.

O filme argentino trata da reforma universitária ocorrida na Argentina no início do século passado, onde estudantes universitários foram a luta por universidade para todos. “Falar em reforma universitária é falar em reforma social”, define o pró-reitor. Conforme o idealizador “Gerar vínculo entre universidade e comunidade não acadêmica é necessário. De outra forma não teria significado”. Como professores, Gilvan e Daniel percebem que os acadêmicos estão cada vez mais novos e com pensamentos de realizar projetos imediatos e individuais. A esse comportamento, atribuem a desmobilização e despolitização na universidade. “O que vale para a maioria hoje, é o projeto pessoal. O coletivo está esquecido”, relata Daniel Morales.

Dentro de comunidade não acadêmica é possível destacar os parceiros que tornam viáveis o projeto. “A CESMA (ver site) e o próprio SMVC são parceiros fundamentais”, destaca o organizador da mostra, Gilvan Dockhorn. Ele ainda afirma que “não se pode pensar na região centro do estado sem mencionar a UFSM”, e completa ressaltando que em “nenhum momento se fala apenas de produção audiovisual”. A mostra busca projetos culturais que dialoguem com a cultura e identidade local, que tenham a ver com o processo de educação, ou seja, pode ser teatro, literatura ou música. “A intenção é integrar, universidade, comunidade e cultura”, explica Dockhorn.

Confira abaixo, entrevista realizada no dia 31 de agosto, na abertura da Mostra AUGM, no auditório João Miguel de Souza, Centro Cultural CESMA.

[youtube ns9kbQJFSgY nolink]

Texto: Paulo Cadore

Vídeo: in créditos


Fórum dos Festivais: a importância dos festivais no cinema brasileiro


Antônio Leal, um dos diretores do Fórum dos Festivais, esteve presente no SMVC para falar sobre a importância dos festivais audiovisuais para o cinema nacional. Leal se diz um privilegiado por conseguir acompanhá-los pelo Brasil e ressalta o crescimento do número dos festivais de cinema no circuito nacional (hoje são mais de 200 e crescem cerca de 20% ao ano). Porém, ao mesmo tempo, lamenta o fato de o Brasil não ter um circuito amplo de salas comerciais.

Leal também fala sobre a importância dos festivais de cinema, que levam as produções audiovisuais à sociedade, além de representarem o resultado de um empreendedorismo cultural. Sobre o papel do Fórum dos Festivais nos eventos audiovisuais, Leal destaca a importância do fórum, pois age como um agregador, que trabalha cada vez mais pelo fortalecimento do circuito de festivais e também exerce um papel político muito forte, pois através do fórum pode-se sugerir políticas públicas para o governo federal.

O palestrante ainda destaca o papel do SMVC dentro do circuito nacional, pois segundo ele, o festival colabora e contribui para o crescimento dos eventos através da descentralização do circuito das grandes capitais.

Texto: Jefferson Andrade

Foto: Marcelo Cabala


Melhores momentos do SMVC


O Festival de Cinema de Santa Maria chega a sua 9ª edição e ocorre na integra na praça Saldanha Marinho, todas as noites, do dia 30 de agosto até 4 de setembro. Durante a tarde, na Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria – Cesma e em alguns bairros da cidade, são exibidas mostras paralelas e não competitivas, todas gratuitas. A Oficina de Vídeo TV OVO montou uma equipe especial de integrantes e colaboradores para realizar a cobertura desta edição do SMVC. Em um trabalho conjunto com a equipe do festival, a TV OVO realiza a cobertura completa (leia texto).

Dentro do material de cobertura produzido pela TV OVO, está um programete diário com um compilado dos melhores momentos da noite de abertura, dia 30, e da tarde de exibições, dia 31.

Confira!

[youtube 9vnuyRl-76k nolink]

Texto: Sabrina Kluwe

Foto: Marcelo Cabala

Vídeo: in créditos


Futebol é tema no cinema nacional


O Festival SMVC exibiu um recorte diferente na primeira tarde de exibições, terça-feira 31, na Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria – Cesma. Futebol e cinema foram os assuntos da vez. Um recorte do Cinefoot (Festival de Cinema e Futebol, veja site), apresentado por Antonio Leal, trouxe cinco vídeos, entre curtas e médias-metragens.

Mostrando-nos um pouco do seu trabalho, Leal explicou que o objetivo do Cinefoot é motivar o interesse do população pela produção audiovisual e estimular mais pessoas a conhecer o cinema nacional. ¨O futebol é minha paixão. O que eu fiz foi juntar a paixão nacional, o futebol, com o cinema¨. O produtor carioca ainda comentou que o Festival proporcionou o crescimento das comunidades em torno do cinema e também o contato de estudantes que não possuiam acesso as salas de cinema tradicionais.

Antonio Leal é idealizador do Cinefoot e trabalha a mais de 15 anos com festivais.

Confira os títulos apresentados no Cineclube Lanterninha Aurélio:

– A Regra do Jogo – direção Flávia Moraes / SP / 2010

– Mauro Shampoo – Jogador, Cabeleireiro e Homem – direção Leonardo Cunha Lima e Paulo Henrique Fontenelle / RJ – 2006

– Um Artilheiro no Meu Coração – Diego Trajano, Lucas Fitipaldi, Mellyna Reis / PE – 2008

– Faltam 5 Minutos – Luiz Alberto Cassol / RS – 2007

– Loucos de Futebol – Halder Gomes / CE – 2008

Texto: Luciana Belizio


Curtas de Santa Maria e região iniciam as mostras competitivas


O primeiro dia do festival Santa Maria Vídeo e Cinema foi marcado por apresentações teatrais, homenagens e pela mostra competitiva local. O mau tempo não impediu que o publico lotasse a  estrutura montada na Praça Saldanha Marinho para o evento. Foram exibidos 9 curtas, entre ficções e documentários.

Diretores, atores e produção destes vídeos se misturavam em meio a platéia. Entre eles Gilberto Rezer que dirigiu, junto com Marcia Marinho, o documentário “Silveira Martins: um pedacinho da Itália no Brasil”. É a primeira vez que participam do festival. Segundo Rezer a experiencia em produzir o vídeo valerá para vida toda. Quando começaram as gravações, que tiveram duração de um dia, não imaginavam em participar do evento. Eduardo Ramos, pensava do mesmo jeito. Diretor do documentário “casos e causos”, ele teve a idéia de produzir algo para a aula: ¨Na verdade pensei em fazer algo para ganhar nota. Hoje estou vendo que com algo bem feito, posso colher frutos¨, explica Ramos.

Para os dois diretores, é uma grande honra e orgulho ter seu vídeo entre os nove escolhidos para a mostra competitiva local. ¨Só em estar aqui e ser escolhido em meio a trezentos vídeos é um grande prazer¨, comemora Rezer.

O resultado final da mostra competitiva será conhecido no último dia do festival, Sábado 4 de setembro a partir das 19h.

Texto: Ulisses Castro

Foto: Marcelo Cabala

SMVC na praça Saldanha Marinho

O primeiro dia do festival Santa Maria Vídeo e Cinema foi marcado por apresentações teatrais, homenagens e pela mostra competitiva local. O mau tempo não impediu que o publico lotasse a  estrutura montada na Praça Saldanha Marinho para o evento. Por volta das 19h30 um grupo das artes cênicas subiu ao palco. Na peça, foi reproduzido um comercial da empresa Yashica em que o homenageado local, Jair Alan Siqueira, participou. O sucesso da propagando foi tanto, que os representantes da marca vieram ao Brasil para conhece-lo. Logo após a apresentação ele subiu ao palco para receber o troféu Vento Norte.
Foram exibidos 9 curtas e documentários neste primeiro dia. Diretores, atores e produção destes vídeos se misturavam em meio a platéia. Entre eles Gilberto Rezer que dirigiu, junto com Marcia Marinho, o documentário “Silveira Martins:um pedacinho da Itália no Brasil”. É a primeira vez que participam do festival. Segundo Rezer a experiencia em produzir o vídeo valerá para vida toda. Quando começaram as gravações, que tiveram duração de um dia, não imaginavam em participar do evento.
Eduardo Ramos, pensava do mesmo jeito. Diretor do documentário “casos e causos”, ele teve a idéia de produzir algo para a aula
– Na verdade pensei em fazer algo para ganhar nota. Hoje estou vendo que com algo bem feito, posso colher frutos, explica Ramos.
Para os dois diretores o sentimento de ter seu vídeo entre os nove escolhidos para a mostra competitiva local, é uma grande honra e orgulho. – Só em estar aqui e ser escolhido em meio a trezentos vídeos é um grande prazer, comemora Rezer.
O resultado final da mostra competitiva será conhecido no último dia do festival, Sábado 4 de setembro a partir das 19h.