Live de lançamento do filme Quando te Avisto traz indígenas para debate setembro 26, 2020


 

O lançamento do documentário Quando te Avisto (2020, 24’46”), produzido pela TV OVO, será no dia 30 de setembro, quarta-feira, às 19h. Após a exibição do filme haverá um debate  no formato de live com a participação da cineasta indígena Patrícia Ferreira, do advogado indígena Rodrigo Kuaray e do fotógrafo indígena Yago Queiroz. A conversa abordará o audiovisual como ferramenta de representação dos povos indígenas e será mediada por Denise Copetti e Neli Mombelli, diretoras do filme. O encontro poderá ser acompanhado pelo YouTube e Facebook da TV OVO.

O documentário lança um olhar para a presença indígena em Santa Maria e sobre como esses povos participaram da formação da cidade. Também aborda a universalidade da resistência dos povos indígenas e da relação que temos construído enquanto sociedade ao longo dos tempos. Quando te Avisto integrou a Mostra de Curtas Gaúchos do Festival de Gramado deste ano. O curta faz parte do projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade 2019, financiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC/SM). E o lançamento foi contemplado no Edital FAC Digital RS, uma iniciativa da Secretaria da Cultura – Sedac/RS, Feevale e Feevale Techpark.

 

Sobre os convidados

Patrícia Ferreira: É professora, realizadora audiovisual indígena da etnia Mbyá-Guarani e atual presidente da Associação Consciência Guarani. Mora na Aldeia Ko’enju, em São Miguel das Missões/RS, onde leciona desde 2006. Em 2007, cofundou o Coletivo Mbyá-Guarani de cinema.

Rodrigo Kuaray: Guarani Mbya da TI Guarita. É assessor jurídico na Comissão Guarani Yvyrupa, membro da Rede de Advogados Indígenas do Brasil, militante em defesa da Terra e povos indígenas.

Yago Queiroz: Indígena do povo Kaingang e Fulni-ô, etnojornalista, fotógrafo e assessor de comunicação da Articulação dos Povos Indígenas da Região Sul (ARPINSUL), Terra indígena Apucaraninha (PR).

 

Sinopse do filme

O que acontece quando dois olhares se cruzam? E se esses olhares compartilham de um mesmo espaço, mas se constituem em mundos próprios? O que afasta e aproxima indígenas e não indígenas? Entre colonizações e apagamentos históricos, disputas de territórios, presença e invisibilidade, o legado das comunidades indígenas é o da existência através da resistência ancorada na sua espiritualidade, no respeito às diferenças e no vínculo com a natureza.

Por Lívia Maria T. de Oliveira e Tayná Lopes

Tags:, , , , , , , , , , ,
Postado por: Neli Mombelli

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.