Notícias

RetrospectOVO


 

O ano de 2018 foi um ano de muito trabalho e de bons resultados. Lançamos cinco documentários em sessões itinerantes que percorreram escolas, praças e feiras (Feira do livro e Santa Maria e feira Internacional do Cooperativismo): Palma e Santa Flora trazem um recorte da história dos dois distritos rurais santa-marienses; Rock do K7 percorre a memória roqueira da cidade nos anos 80 e 90; Cultura de Afetos aborda a rede de solidariedade, trabalho, sonhos e luta que compõe os 25 anos de Feicoop; e Depois Daquele Dia, que tematiza os impactos da tragédia da Kiss em Santa Maria.

Ainda, em 2018, produzimos mais dois documentários – Pains e Passo do Verde –, realizamos duas oficinas em duas escolas municipais e sete exibições itinerantes em escolas públicas. Andamos pelo interior, furamos pneu, choveu, o carro estragou, choveu de novo, o telhado do galpão precisou ser trocado, mudamos tudo de lugar, choveu mais uma vez, mudamos de novo, veio o sol, secou e deu tudo certo. Realizamos dois colóquios com excelentes debates, ajudamos na organização do festival universitário Assimetria, participamos do festival Santa Maria Vídeo e Cinema (SMVC), integramos a mesa de debate sobre acessibilidade no Festival de Cinema Estudantil (Cinest), lançamos o livro Cronicaria na Feira do Livro, nossa primeira produção em livro impresso, e que no apagar das luzes deste ano ganha sua versão em áudio, no formato de livro falado.

E, entre tantas produções e conquistas, a que mais marcou foi o tombamento definitivo do Sobrado como patrimônio histórico e cultural de Santa Maria, o que nos permite seguir com o projeto de restauro, cuja primeira fase já está encaminhada para avaliação da Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer  do RS (Sedactel), o que nos permitirá inciar a captação via lei de incentivo à cultura do Estado (LIC/RS) em 2019, nosso grande projeto para o ano que se aproxima.

E, claro, 2018 finda não só com sonhos realizados, mas abre portas para os sonhos que se renovam e para os que estão por serem sonhados. Além da primeira etapa de construção do Sobrado Centro Cultural, já estamos empenhados com os projetos aprovados via Lic municipal, que preveem a produção de um documentário com foco na história de origem da formação de Santa Maria, intercalando a versão histórica e a lendária, fazendo uma jornada em busca dos filhos de Imembuí, pois, segundo a lenda, todos os santa-marienses são fruto de uma relação de amor de um homem branco português com uma indígena; quatro oficinas com alunos de escolas públicas que resultarão em quatro exibições de oito vídeos; e a realização de mais dois colóquios e dois workshops para formar, debater e viver o audiovisual. E seguimos com os projetos independentes, entre eles a produção de um documentário sobre o acervo contínuo de art déco da Avenida Rio Branco, produzido em parceria com Marcelo Canellas, e mais uma proposta de livro, pois agora que aprendemos, não podemos parar.

E se fazemos o que fazemos e nos tornamos o que temos sonhado é porque o amanhã é construído no plural, e o passado nos ensina a sermos presente. Que venha 2019 com suas promessas, fragilidades, utopias, desassossegos, afetos e desafios. Sigamos de mãos dadas!

 

 

 

 


Cronicaria na versão livro falado


Um dos livros mais vendidos na Feira do Livro 2018 de Santa Maria agora tem versão em áudio. O livro falado Cronicaria foi publicado na plataforma que originou o livro impresso. Ele pode ser acessado na íntegra ou ouvido em faixas em tvovo.org/cronicaria/livrofalado/, além de estar disponível para download.

O livro falado é uma proposta de tornar a literatura acessível a todos, sobretudo para as pessoas com deficiência visual. A ideia de produzir o Cronicaria no suporte de livro falado veio de uma provocação que Daverlan Dalla Lana, um jovem cego, fez à Marcelo Canellas, em maio, no dia de sessão de autógrafos do livro impresso na Feira do Livro.

A partir de então, iniciamos a produção desse desafio. Com suporte do laboratório do curso de Jornalismo da Universidade Franciscana, realizamos as gravações da locução das crônicas, que foram feitas nas vozes dos próprios cronistas: Manuela Fantinel e Marcelo Canellas. A apresentação e as crônicas produzidas em um workshop do projeto do Cronicaria, que integraram a publicação impressa, foram narradas pela voz de Neli Mombelli, que assina a organização do livro e a coordenação do livro falado. O desafio maior foi realizar as audiodescrições das fotocrônicas. Manuela e Julia Machado precisaram estudar sobre o assunto, além de contar com o apoio do Núcleo de Acessibilidade da Universidade Federal de Santa Maria, sobretudo de Cristian Evandro Sehnem.

Julia comenta que há uma ordem de narração das fotos e das ilustrações para compor o enquadramento e possibilitar a compreensão da imagem. Há também a subjetividade que permeia a leitura de determinadas imagens pelo grau de abstração e interpretação que elas podem conter. “Para esse universo de audiodescrições das imagens, tivemos que fazer muita pesquisa e entrar em contato com quem é deficiente visual, para então conseguirmos compreender e realizar da melhor forma. Nunca tínhamos trabalhado com esse tipo de processo. A consultoria do Daverlan e o apoio do Núcleo de Acessibilidade foi essencial”, afirma Julia, que, além das fotocrônicas, narrou outros elementos do livro como capa e ficha técnica. 

Esta é a primeira produção neste suporte que a TV OVO realiza, assim como o Cronicaria foi o primeiro livro impresso. Essas produções levam o selo do Sobrado Centro Cultural, projeto que prevê a integração de múltiplas artes no espaço onde fica a nossa sede. No que se refere a acessibilidade de obras culturais, temos trabalhado com a legendagem de nossas produções audiovisuais e, em 2015, lançamos nosso primeiro curta de ficção, o Poeira, com audiodescrição. Ainda temos muito o que avançar para naturalizarmos a questão da acessibilidade em nossa rotina produtiva, mas temos incorporado essas iniciativas conforme nossas possibilidades e também a partir de parcerias que vamos estabelecendo pelo caminho.

Sobre o Cronicaria

O Cronicaria é resultado de um processo coletivo que integra cronistas e leitores desde sua concepção. Ele nasce da proposição da TV OVO em conjunto com Marcelo, Manuela e mais 126 pessoas que, por meio de um financiamento coletivo via internet, contribuíram para a publicação de crônicas semanais, às quartas e aos sábados, no site do projeto, entre agosto e novembro de 2017.

A partir das publicações, produzimos uma coletânea reunindo crônicas e fotocrônicas que se transformaram em um livro, lançado na Feira do Livro de Santa Maria em maio deste ano. Em um mês, foram vendidos quase 200 exemplares, além da distribuição gratuita de mais de 800 exemplares para as bibliotecas das escolas da rede municipal, que receberam dez exemplares da obra. O livro impresso pode ser adquirido na Cesma, na Athena ou em nossa sede (Floriano Peixoto, 267).

Por Tayná Lopes e Neli Mombelli

 

Manuela e Marcelo gravaram a locução de suas crônicas no estúdio do laboratório de rádio do curso de Jornalismo da UFN. Fotografia de Neli Mombelli