Notícias

Encerramento do curso profissionalizante de editor de áudio e vídeo


curso editor

O curso profissionalizante de editor de áudio e vídeo encerrou no último sábado com 13 profissionais com registro e certificado concedido pelo pelo Sindicato dos Radialistas. O curso foi uma parceria do Sindicato, Uninter e TV OVO. As aulas iniciaram no dia 19 de março e encerraran  no dia 23 de julho, com carga horária de 300 horas.

Segundo Paulo Tavares, um dos professores do curso, para se exercer a profissão de editor de áudio e vídeo em uma empresa de radiodifusão, a pessoa precisa do registro, que é dado pelo Ministério do Trabalho com uma avaliação do Sindicato dos Radialistas. Este curso “tem esse objetivo, de o pessoal ter a formação pra ter o certificado e encaminhar o registro profissional na área de editor de áudio e vídeo”, explica Paulo.

A partir de um contato da  regional do Sindicato dos Radialistas-RS, a TV OVO  ficou responsável por preparar o conteúdo e ministrar as aulas, tanto práticas quanto teóricas.  As aulas teóricas englobavam temas como linguagem cinematográfica, história da televisão, legislação, entre outros; enquanto as práticas eram sempre ligadas com uma parte teórica, como teoria da montagem e laboratório de montagem, edição linear e não linear, edição de som e projeto experimental. O curso foi uma oportunidade de reafirmar a experiência da TV com oficinas de formação.

Foi pela possibilidade de obter o certificado e poder encaminhar o registro que Tales Richter se interessou pelo curso. “Vi uma ótima possibilidade de somar ao trabalho que eu já venho desenvolvendo como editor, absorvendo conhecimento técnico e prático passado pelos professores”. Joana Gunther, que é formada em Jornalismo, foi atrás do curso para se aprofundar em questões já estudadas na graduação. Joana ainda conta que se interessou bastante e gostou por não ser apenas a prática da edição, mas todos os estudos teóricos também. Já o aluno Ítalo Bicca vem toda semana de São Borja, onde cursa Publicidade e Propaganda na Unipampa, para participar das aulas.

Nos quase quatro meses de curso, o ambiente de ensino proporcionou um espaço que foi além da transmissão de conteúdo, a troca de experiência entre os professores e alunos e o compartilhamento de referências audiovisuais transformou os sábados em um lugar de crescimento profissional e pessoal.

Por Nicoli Saft
Fotografia Paulo Tavares

 


Pitching dos roteiros da série Cena Cultural


cena cultural

Julho costuma ser sinônimo de uma pequena pausa nas atividades. Aproveitamos a desaceleração da troca de semestre para realizar um pitching dos roteiros dos episódios do projeto Cena Cultural que começarão a ser rodados a partir de agosto.

O projeto retrata os segmentos culturais da cidade, conforme previstos em lei. Ao todo, são dez segmentos culturais. Em 2015, foram gravados quatro episódios do projeto: Teatro e Circo, Culturas Populares, Livro e Literatura, e Audiovisual – cinema e vídeo.

Os próximos a serem produzidos são: Dança, Tradição e Folclore, Música, Artesanato, Artes Visuais, e Memória e Patrimônio histórico, artístico e cultural. O Cena Cultural é financiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC/SM).

Confira os episódios produzidos no ano passado.

Por Laura Boessio


Quer conhecer um pouco mais de Santa Maria?


Ocorre até o dia 31 de julho, a exposição “Produção Arquitetônica Contemporânea de Santa Maria”, no espaço cultura do Monet Plaza Shopping. A mostra é realizada pelo Instituto de Planejamento de Santa Maria (Iplan) e tem como objetivo expandir a divulgação da produção arquitetônica de Santa Maria para que a população da cidade conheça e desfrute dos projetos que estão sendo desenvolvidos aqui. A exposição contempla diversos tipos de projetos arquitetônicos, como residenciais familiares e também a revitalização de lugares considerados patrimônios histórico-culturais da cidade, como a Gare da Estação Férrea.

O projeto de restauração do Sobrado Centro Cultural, atual sede da TV OVO, também integra a mostra. O Monet Plaza Shopping localiza-se na Av. Fernando Ferrari, nº 1.483. Para quem deseja apreciar os projetos, a visitação pode ser feita de segunda a sábado, das 10hás 22h. Já nos domingos e feriados, das 11h ás 19h.

Por Helena Moura e Julia Machado

Foto Divulgação TV OVO

 

SOBRADO-CASAROVO-04


Uma feira de ideias


Um grande espaço de debates, conscientização, práticas libertadoras, trocas de experiências, de convivência fraternas entre várias culturas. O maior evento solidário da América Latina extrapola a comercialização direta e busca transformar o mundo.

A 23ª Feira Internacional do Cooperativismo (FEICOOP) e a 12ª Feira Latino Americana de Economia Solidária iniciaram sua programação no dia 08 de julho, sexta-feira, e se estendeu até o último domingo, dia 10.  As atividades foram realizadas no Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter – Rua Heitor Campos, no Bairro Medianeira.

O evento é organizado anualmente pelo projeto Esperança/Cooesperança em parceria com várias entidades. A Feira de 2016 foi planejada desde o final do ano passado e contou com a presença de expositores de diferentes regiões do país, de outros países da América Latina e de outros continentes como Europa e África. Conheça mais sobre o projeto: www.esperancacooesperanca.org

Segundo a coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança e vice-presidente da Cáritas Brasileira, irmã Lourdes Dill, a organização da Feira é como uma engrenagem. Se uma parte não funciona, o resto também para de funcionar. “Nós batalhamos para fazer a feira e as pessoas que participam também tem que batalhar. Não é barato. Tudo que se gasta, em hospedagem, alimentação e transporte. Mas mesmo assim, as pessoas querem vir e isso é o que contagia a gente a lutar pra fazer o evento” comenta Lourdes.

A programação deste ano trouxe atividades culturais, seminários, oficinas e, é claro, a comercialização dos produtos trazidos pelos expositores. Frutos da agroindústria familiar, hortifrutigranjeiros, peças de artesanato, plantas ornamentais e alimentação. Dentre as atividades culturais, estavam incluídas apresentações de grupos de dança e música, mostra de vídeos e a participação de grupos culturais, com o Grupo Cultural Indígena Kaigang.

Irmã Lourdes afirma que a Feira tem um papel importante para a economia do local, mas muito mais do que isso tem papel social e solidário, de formação, proposta de mudança de vida e de luta em sociedade. A primeira edição da FEICOOP aconteceu em 1994 no dia em que foi instaurado o Plano Real no Brasil e no ano que vem completa vinte e cinco anos. “É lindo demais, é uma coisa que não tem preço que pague!”, conclui a irmã.

Quem foi à Feira no último final de semana pôde apreciar boa música, desfrutar da infinidade de produtos comercializados, passear, e ainda conhecer diferentes culturas. Gente daqui da região e de outros lugares do Brasil e do mundo estavam lá, trocando ideias, experiências e mostrando traços típicos de suas etnias. Nos pavilhões da FEICOOP foi possível vivenciar uma experiência de transformação, onde milhares de pessoas partilharam um espaço rico em cores, sabores, culturas diferentes e solidariedade.

O mau tempo em Santa Maria não prejudicou o sucesso da Feira, que teve o maior público de todas as edições. Os visitantes não se intimidaram com a chuva ou o barro no Parque da Medianeira e garantiram uma movimentação constante nos pavilhões, oficinas e seminários. A Feira traz para a cidade uma oportunidade única. De formação, troca de conhecimento, outro olhar para a economia e de um conjunto de culturas reunidas no mesmo espaço. Vida longa à Feira do Cooperativismo!

 

Confira as (outras) atividades que aconteceram durante esses três dias

12ª Feira Latino Americana de Economia Solidária – ECOSOL

23ª FEICOOP – Feira Internacional do Cooperativismo

16ª Mostra da Biodiversidade e Feira da Agricultura Familiar

12º Seminário Latino Americano de Economia Solidária

12ª Caminhada Ecumênica e Internacional pela PAZ e Justiça Social

12º Acampamento do Levante Popular da Juventude

 

Texto: Julia Machado

Imagem: Fanpage  Feicoop

22 edição FEICOOP 2015 - Imagens Fanpage FEICOOP


Jornalista Marcelo Canellas recebe Medalha do Mérito Farroupilha


No último dia 27 de junho, o jornalista Marcelo Canellas, parceiro aqui da TV OVO, recebeu a Medalha do Mérito Farroupilha, uma homenagem concedida pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul àqueles que contribuem para o desenvolvimento econômico, social e cultural do estado.

A homenagem foi proposta pelo deputado estadual Valdeci Oliveira, que, assim como Canellas, é santa-mariense por adoção. Durante a cerimônia, Valdeci ressaltou a vocação de Canellas para tratar de temas sociais em suas reportagens, “o que contribui para a reflexão da sociedade e, consequentemente, para a mudança no País”. Na ocasião, Valdeci citou os mais recentes e que fazem menção direta a Santa Maria, como a reportagem sobre a Royale Escola de Dança e Integração e a doação do casarão da esquina entre as Floriano Peixoto e Ernesto Becker para a TV OVO.

Durante a homenagem, Canellas, que adota para si as características de repórter peregrino e cronista provinciano, lembrou que mesmo morando fora do RS nesses 28 anos em que atua como jornalista nacional e internacionalmente, nunca deixou de estar ligado a Santa Maria e ao Rio Grande do Sul.

Natural de Passo Fundo, Marcelo Canellas formou-se em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Maria em 1987. Depois de um breve período como repórter da RBS Santa Maria, migrou para a EPTV de Ribeirão Preto, e logo passou a constar no quadro de repórteres especiais da Rede Globo. Por suas reportagens, Canellas já recebeu diversos prêmios, dentre eles o prêmio Vladimir Herzog na categoria documentário e a Medalha ao Mérito da Organização das Nações Unidas.

Em 2013, lançou seu primeiro livro, Províncias, crônicas da alma interiorana:

Foto: Guerreiro – Agência de Notícias ALRS

Por William Boesio

Medalha do Mérito FerroupilhaMedalha do Mérito Farroupilha