Notícias

TV OVO no fisl 13


A TV OVO está com uma equipe participando da cobertura do 13 Fórum Internacional do Software Livre (fisl).

As notícias sobre o evento podem ser conferidas no site do fisl 13.

Além dos vídeos, no site estão disponíveis fotografias e textos da cobertura do Fórum. Ainda, diversas palestras estão sendo transmitidas online.

Os vídeos produzidos pela TV OVO em parceria com a TV SL (Software Livre) também podem ser acessados no nosso canal do youtube

O Fisl, que iniciou na última quarta-feira, segue até o próximo sábado, 28/07.

Confira uma das entrevistas que realizamos, sobre a inclusão digital e o papel da sociedade civil neste processo.

[youtube PpThgVKRfwY&list nolink]


Banda Sexta Etílica lança videoclipe


A banda santa-mariense Sexta Etílica lançou nesta sexta, 20, o videoclipe Apocalipsexual. As imagens foram gravadas no galpão do Sobrado que será a futura sede da TV OVO.

Com direção de Felipe Iop Capeleto, o videoclipe é um presente em comemoração aos dois anos de formação da banda. Ainda, a produção do trabalho foi realizada por alunos do 5º semestre de
Publicidade e Propaganda da UNIFRA e a direção de fotografia é assinada por Alexsandro Pedrollo de Oliveira.

A banda Sexta Etílica é formada por Guilherme Seco, no vocal, Douglas Both, no baixo e Diego Both, na guitarra.

Confere o trabalho da gurizada aí, que está muito bacana!

[youtube p4DXI0JT9lI&feature=player_detailpage nolink]


Memórias da vida


No último sábado, 14, a equipe da TV OVO montou um set na escola estadual Irmão José Otão, durante a 19ª Feicoop, para registrar a história de pessoas que, de alguma forma, tem ligação com Santa Maria.

Um agricultor, uma artesã, uma educadora de economia solidária, uma estudante de teatro e um educador indígena falaram dos seus sonhos, do seu trabalho, da sua vida… Compartilharam suas histórias e suas ligações com a cidade, as quais farão parte do Acervo Memórias, que ficará à disposição ao público a partir do ano que vem na Biblioteca do Audiovisual Sérgio de Assis Brasil.

Essa atividade faz parte do projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade, que tem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura do município. Durante 2012, mais nove localidades serão visitadas em Santa Maria e mais 45 pessoas deverão registrar a sua história para as lentes da TV OVO.

E que venham mais pessoas ricas de história, ricas de vida, ricas de gente, como as primeiras cinco que participaram das gravações na Feicoop.

Um exemplo de coragem para Ângela, são as mulheres catadoras com quem ela trabalha no projeto Recid - rede de Educação Cidadã


Feicoop é palco da diversidade


Antonio Gringo canta e encanta o público da Feira

A abertura oficial da 19ª Feicoop (Feira Estadual do Cooperativismo) e da 8ª Ecosol (Feira de Economia Solidária do Mercosul), nesta sexta,  foi em grande estilo, com a participação musical do cantor Antonio Gringo. Além de Gringo, estiveram presentes no Palco da Feira autoridades como a irmã Lourdes Dill, coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança, o Arcebispo da Arquidiocese de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert, o reitor da Universidade Federal de Santa Maria, Felipe Muller, entre outros.

Dom Hélio Adelar Rubert fez a abertura oficial do evento falando que a feira incentiva o consumo de produtos naturais, é um grande espaço para a biodiversidade e que desde o início a perspectiva dela é de acolhimento e apoio.

Conforme a irmã Lourdes Dill, integrante da comissão organizadora do evento, é com muita alegria e carinho que ela e os colaboradores organizam a Feira. “É um momento de aprender e ensinar”. Para ela, todos os que passam pelo evento trazem e levam experiência e conhecimento sobre a economia solidária. Além do Projeto Esperança/Cooesperança, também faz parte da coordenação do evento o Banco  da  Esperança, a prefeitura municipal  de  Santa Maria com  apoio  de  várias  organizações  e  com  a participação  de  empreendimentos  da economia  solidária, entidades e organizações.

Tendo como principal objetivo o estímulo ao pequeno produtor, o maior evento de economia solidária da América Latina tem mais de 800 grupos de expositores vindos de três continentes, 14 países  e de praticamente todos os Estados brasileiros (são mais de  430 municípios).

A feira é composta uma grande diversidade de etnias e culturas, espalhadas entre agricultores familiares, quilombolas, catadores, povos indígenas, artesãos, educadores, artistas e gestores públicos. Quem visitar o local poderá encontrar cerca de 7 mil produtos, além de atividades culturais e oficinas educativas.

A feira, que termina neste domingo,15,  é no Centro de Referência em Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, que fica na Rua Heitor Campos, no Bairro Medianeira. Este ano, também vai ocorrer uma preparação para o 2º Fórum e 2ª Feira Mundial de Economia Solidária, que serão realizados entre os dias 11 e 14 de julho de 2013, em Santa Maria. Mais informações com a assessoria de imprensa do evento pelo telefone (55) 9681-1384.

Abertura oficial da 19ª Feicoop e 8° Ecosol

Texto: Alessandra Noal

Fotos: Ariéli Ziegler


Moeda social MATE promove a economia solidária na 19ª Feicoop


Economia solidária é uma forma de produção e consumo que deixa de lado o capital para valorizar o ser humano, normalmente utilizada entre comunidades, grupos, eventos, cooperativas, de forma autônoma e como ativismo anticapitalista. A moeda social Mate é uma das mais ativas no Rio Grande do Sul, associada à RETS-RS (Rede Estadual de Troca Solidária).

Banca de trocas solidárias na Feicoop

Quem for à Feicoop, pode encontrar a moeda no estande RETS-RS. Qualquer pessoa pode levar produtos para trocar por Mates, cédulas de papel impressas em cores, que podem ser trocados por outros produtos de diversos comerciantes durante a feira e não podem ser cambiadas por Real. Ao final do evento, todos os Mates que circularam devem ser trocados por produtos no Ecobanco, para impedir que os participantes acumulem excesso e paralisem o sistema.

A ideia principal da economia solidária é suprir as necessidades das pessoas, opondo-se a acumulação de capital. A integrante do grupo, Solange Mânica, conta sobre a origem do nome:

“Antigamente, tudo era resolvido na roda de mate. Eu, poucas vezes, vi meu pai, que era agricultor, abrir a carteira para usar dinheiro. Se faltasse semente de milho, ele trocava por semente de soja”. Solange defende o escambo também como proteção das crises do capital, lembrando que seu pai nunca sofrera perdas trocando produtos.

Alexandre Lucas, também integrante do RETS, fala que o Mate não é uma moeda para ser acumulada, e deve ser trocada até o final do evento. Os produtos são baratos pelo caráter solidário. A última coisa que este sistema autônomo aceita é ganância. Na última edição da Feicoop, foram registrados quase 1400 negócios cuja moeda de troca utilizada era o Mate.

Em Novo Hamburgo, de segunda a sexta-feira, vários jovens de mais de 70 escolas municipais reúnem-se no Centro de Educação Ambiental para trocar desde produções próprias até produtos que não utilizem mais, por meio da economia solidária, em uma espécie de “loja” que funciona no local.

Além do Mate, diversas outras moedas do estilo atuam no Rio Grande do Sul, como a Palmerinha (utilizada na Vila Palmeira, em Novo Hamburgo), a Guajuviras (utilizada na comunidade Guajuviras, em Canoas) e o Pampavivo (utilizado no Clube de Trocas de Novo Hamburgo), além do Txai, moeda social criada em função do Fórum Social Mundial.

Texto: Maurício Fanfa

Foto: Ariéli Ziegler


Abertas as portas da 19ª Feicoop e da 8º Ecosol


Hortifrutis sem agrotóxicos serão vendidos especialmente no sábado, dia 14, pela manhã. Foto: Júlia Schnorr

Começou às 8h de hoje, em Santa Maria, o maior evento de Economia Solidária da América Latina. Entre os dias 13 e 15 de julho mais de 160 mil visitantes devem passar pela 19ª Feira Estadual do Cooperativismo (Feicoop) e 8ª Feira de Economia Solidária do Mercosul (Ecosol). Conforme a Brigada Militar, no ano passado o público total foi de 151 mil pessoas.

Cerca de 800 expositores estão distribuídos no Centro de Referência em Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, que fica na Rua Heitor Campos, no Bairro Medianeira. Neste ano, o espaço tem mais de 20 mil metros quadrados de cobertura.

Além da comercialização de produtos de integrantes da agricultura familiar, agroindústrias familiares, povos indígenas, trabalhadores do campo, entre outros, a programação está recheada de atividades como seminários e oficinas para promover debates e troca de experiências. O objetivo do evento é motivar a consciência de um comércio justo, consumo ético e solidário, no fortalecimento da segurança alimentar nutricional sustentável. A abertura oficial será hoje, às 16h.

Em paralelo, também ocorrerão a 11ª Feira Nacional de Economia Solidária, 12ª Mostra da Biodiversidade e Feira de Agricultura Familiar, 8º Seminário Latino Americano de Economia Solidária, 8ª Caminhada Internacional e Ecumênica pela Paz e 8º Levante da Juventude. Os eventos são promovidos pelo Projeto Esperança/ Cooesperança, da Arquidiocese de Santa Maria, com apoio da Prefeitura Municipal.

Mais informações com a assessoria de imprensa do evento pelo telefone (55) 9681-1384.

Texto: Alessandra Noal – Repórter TV OVO

Confira a cobertura colaborativa da TV OVO durante a 17ª Feicoop clicando aqui.