Notícias

Curtas de Santa Maria e região iniciam as mostras competitivas


O primeiro dia do festival Santa Maria Vídeo e Cinema foi marcado por apresentações teatrais, homenagens e pela mostra competitiva local. O mau tempo não impediu que o publico lotasse a  estrutura montada na Praça Saldanha Marinho para o evento. Foram exibidos 9 curtas, entre ficções e documentários.

Diretores, atores e produção destes vídeos se misturavam em meio a platéia. Entre eles Gilberto Rezer que dirigiu, junto com Marcia Marinho, o documentário “Silveira Martins: um pedacinho da Itália no Brasil”. É a primeira vez que participam do festival. Segundo Rezer a experiencia em produzir o vídeo valerá para vida toda. Quando começaram as gravações, que tiveram duração de um dia, não imaginavam em participar do evento. Eduardo Ramos, pensava do mesmo jeito. Diretor do documentário “casos e causos”, ele teve a idéia de produzir algo para a aula: ¨Na verdade pensei em fazer algo para ganhar nota. Hoje estou vendo que com algo bem feito, posso colher frutos¨, explica Ramos.

Para os dois diretores, é uma grande honra e orgulho ter seu vídeo entre os nove escolhidos para a mostra competitiva local. ¨Só em estar aqui e ser escolhido em meio a trezentos vídeos é um grande prazer¨, comemora Rezer.

O resultado final da mostra competitiva será conhecido no último dia do festival, Sábado 4 de setembro a partir das 19h.

Texto: Ulisses Castro

Foto: Marcelo Cabala

SMVC na praça Saldanha Marinho

O primeiro dia do festival Santa Maria Vídeo e Cinema foi marcado por apresentações teatrais, homenagens e pela mostra competitiva local. O mau tempo não impediu que o publico lotasse a  estrutura montada na Praça Saldanha Marinho para o evento. Por volta das 19h30 um grupo das artes cênicas subiu ao palco. Na peça, foi reproduzido um comercial da empresa Yashica em que o homenageado local, Jair Alan Siqueira, participou. O sucesso da propagando foi tanto, que os representantes da marca vieram ao Brasil para conhece-lo. Logo após a apresentação ele subiu ao palco para receber o troféu Vento Norte.
Foram exibidos 9 curtas e documentários neste primeiro dia. Diretores, atores e produção destes vídeos se misturavam em meio a platéia. Entre eles Gilberto Rezer que dirigiu, junto com Marcia Marinho, o documentário “Silveira Martins:um pedacinho da Itália no Brasil”. É a primeira vez que participam do festival. Segundo Rezer a experiencia em produzir o vídeo valerá para vida toda. Quando começaram as gravações, que tiveram duração de um dia, não imaginavam em participar do evento.
Eduardo Ramos, pensava do mesmo jeito. Diretor do documentário “casos e causos”, ele teve a idéia de produzir algo para a aula
– Na verdade pensei em fazer algo para ganhar nota. Hoje estou vendo que com algo bem feito, posso colher frutos, explica Ramos.
Para os dois diretores o sentimento de ter seu vídeo entre os nove escolhidos para a mostra competitiva local, é uma grande honra e orgulho. – Só em estar aqui e ser escolhido em meio a trezentos vídeos é um grande prazer, comemora Rezer.
O resultado final da mostra competitiva será conhecido no último dia do festival, Sábado 4 de setembro a partir das 19h.


Homenageado local recebe Troféu Vento Norte


A entrega do Troféu Vento Norte ao homenageado local foi um dos pontos da abertura do 9º Santa Maria Vídeo e Cinema – SMVC . Jair Alan Cortês Siqueira é o escolhido desta edição do Festival. Jornalista por formação, Siqueira se define como um apaixonado por cinema. Foi a sétima arte que abriu novos horizontes na sua vida pessoal e artística. “O cinema me fez descobrir a música e o teatro”, explicou Siqueira que também é músico.

Para Jair Alan, a oportunidade de ser homenageado do 9º SMVC, é o reconhecimento de toda uma geração que “lutou” em prol do audiovisual na cidade. O crítico de cinema do jornal A Razão, faz cinema desde os anos 70 e atuou em cerca de 40 comerciais. Um comercial que rendeu reconhecimento estrangeiro. Japoneses da Yashika vieram à Santa Maria conhecer aquele que, segundo os nipônicos, era ator do melhor comercial da nova máquina fotográfica da empresa.

Siqueira, ainda explicou sobre a grande representatividade do longa A Noviça Rebelde, em sua vida, deve-se principalmente ao fato de seu pai ter um temperamento parecido ao do capitão Von Trapp. Um homem rígido, rigoroso, seguidor dos “bons costumes”. “Já é uma tradição de família assistir A Noviça Rebelde,. É uma mania”, definiu ele, que também é editor-chefe do Jornal da UFSM.

Ao final de seu discurso ele defendeu que os museus da cidade tenham locais para abrigar acervos audiovisuais. “Temos que manter vivas nossas memórias”, com essa intenção o jornalista, ator e músico encerrara seu discurso deixando uma ideia para resgatar o passado e preservar o presente.

Texto: Paulo Ricardo Cadore

Fotos: Marcelo Cabala e Júlia Schnorr


Sétima arte é atração na Praça Saldanha Marinho


Cadeiras lotadas. Assim foi a noite de abertura do Santa Maria Vídeo e Cinema – SMVC. A lona montada na Praça Saldanha Marinho abrigou o grande público que compareceu para prestigiar o primeiro dia do Festival que chega a 9º edição. Até sábado, 4 de setembro, os santa-marienses poderão conferir curtas de Santa Maria e região e de outras cidades do país, como Curitiba (PR), São Luiz (MA), Salvador (BA), Fortaleza (CE), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), entre outras (lista completa dos selecionados no ou nos folders impressos disponíveis na Praça).

Atores de grupos independentes da cidade abriram a noite com uma apresentação que fez a platéia cair no riso. Em seguida, foi exibido um vídeo sobre a vida e carreira do homenageado local, Jair Alan (leia texto). ¨Particularmente, me sinto imortal com essa homenagem¨ disse Alan após receber o Troféu Vento Norte das mãos do fundador do Teatro Universitário Independente – TUI, Clênio Faccin. Ainda em seu discurso, Alan revelou que está muito honrado e que essa homenagem se constitui em um dos melhores momentos da sua vida.

Seguindo o protocolo da abertura, o Coordenador Geral do SMVC, Luiz Alberto Cassol, citou nove motivos que culminaram na realização da 9º edição do Festival (leia em www.smvc.org.br). Cassol ainda fez agradecimentos e falou da importância das parcerias para a efetivação do SMVC deste ano, que, devido a algumas dificuldades, quase não foi realizado na Praça. Ao final, o Coordenador ressaltou mais uma vez a importância do público: ¨O festival só existe por causa do público!¨.

A mostra competitiva (leia texto) de Santa Maria e região iniciou a semana de exibições do 9 Festival, uma realização da ONG SMVC, com promoção da Prefeitura Municipal de Santa Maria e co-promoção da Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria – Cesma.

Texto: Priscila Costa

Fotos: Marcelo Cabala


TV OVO no 9º Santa Maria Vídeo e Cinema


A Oficina de Vídeo TV OVO mais uma vez está integrada no Santa Maria Vídeo e Cinema. Nesta 9º edição a TV OVO fará a cobertura colaborativa do festival, o streaming da abertura e entrevistas, além do suporte técnico.

A cobertura consiste na produção de vídeos, texto e áudio e será realizada em parceria a assessoria de comunicação do SMVC. Todo o conteúdo produzido sobre as atividades programadas e demais temas será publicado no site da TV OVO (www.tvovo.org) e linkado no site do Festival (www.smvc.org.br). O streaming, ou seja, a transmissão ao vivo pela internet ocorrerá a noite, durante a abertura da mostra competitiva na página www.tvovo.org/aovivo. Após, os internautas poderão conferir entrevistas com os realizadores, homenageados e demais participantes e uma playlist de vídeos selecionados pelo Festival, além de um chat simultâneo. O Twitter também será outra ferramenta de divulgação durante a cobertura, no @tvovo (siga-nos) serão publicadas informações sob a tag #SMVC2010 e no facebook (perfil).

O 9º Santa Maria Vídeo e Cinema vem esse ano com o tema Entre Fronteiras, no intuito de celebrar as parcerias realizadas com os países vizinhos e também colocar em pauta a discussão sobre a produção audiovisual transnacional. Em 2010, Rosemberg Cariry, cineasta e presidente do CBC – Congresso Brasileiro de Cinema, é o homenageado nacional e Jair Alan, jornalista e crítico de cinema, o homenageado local.

O Festival acontece de 30 a 4 de setembro, na Praça Saldanha Marinho, Santa Maria – RS. A programação completa pode ser conferida no www.smvc.org.br.


Audiovisual como ferramenta para abordar a violência sexual infantil


Trabalhar questões referentes à violência nas escolas é uma exigência dos dias atuais, mas para isso, é preciso preparar professores e funcionários para lidar com temas tão delicadas. Em Santa Maria, um projeto chamado “A escola e os desafios da sociedade contemporânea – a missão dos educadores” está capacitando os profissionais da educação nesse sentido. O projeto, idealizado pelo Ministério Público de Santa Maria em parceria com a 8ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) e com a Secretaria de Município de Educação (SMED), está em fase de testes em duas escolas municipais e duas estaduais.

[youtube ZmcP1udiyYk nolink]

Para tratar da violência em sala de aula e de temas como o abuso sexual, uma questão delicada principalmente entre as crianças, o projeto está fazendo uso da linguagem audiovisual. Assim, outro parceiro do projeto é o Canal Futura, que possui uma série de animação chamada “Que exploração é essa?” que expõe de forma didática e sensível questões ligadas ao abuso sexual infantil.

[youtube BNMGmDqPECc nolink]

Texto por Neli Mombelli


A diversidade brasileira como inspiraçao


O escultor Paulo Celestino do Vale, natural de Bela Vista (MS), está expondo parte de seus trabalhos no 4° andar do Santa Maria Shopping. A mostra de artes plásticas ocorre durante a semana da Cultura do Shopping e vai até amanhã, dia 21.

Celestino morou em diversas regiões do país, como em João Pessoa (PB) e São Paulo (SP), e conta com as experiências vividas para seu processo criativo. Esse fato torna sua obra bastante diversa, pois trabalha com o cotidiano dos municípios em que viveu. O escultor também busca retratar os povos que encontrou, como os índios Terena, assim como personagens conhecidas e marcantes das comunidades.

Confira a entrevista com o escultor sul-matro-grossense:

Reportagem: Júlia Schnorr

Imagens e edição: Jonathan de Souza