Notícias

Conectados com o passado


Desde a primeira semana de outubro, estão disponíveis no canal do YouTube da TV OVO os documentários sobre os distritos de São Valentim (dirigido por Jaiana Garcia) e Santo Antão (dirigido por Marcos Borba).

Ambas as produções foram gravadas no ano passado e o lançamento oficial foi na Feira do Livro 2017, além das exibições nas comunidades. Os documentários fazem parte do projeto  “Por Onde Passa a Memória da Cidade”, que tem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura, e que retrata as histórias de lugares e pessoas de Santa Maria.

Os registros mais recentes que contam as histórias dos distritos de Santa Maria se juntam à Arroio do Só, Boca do Monte e Arroio Grande. Outro documentário inédito na rede é Silveira Martins, que retrata o município integrante da Quarta Colônia de Imigração Italiana.

No momento, a equipe da TV OVO segue sua jornada  com mais dois documentários dos distritos em andamento: Palma e Santa Flora. O primeiro está em fase de gravação enquanto Santa Flora se encontra em fase de pós-produção.

 

Sinopses

Santo Antão

O distrito de Santo Antão é um lugar, como disse um morador, onde cada curva de estrada tem uma história para contar. As curvas guardam um pedaço do passado do país, nos rastros do caminho dos tropeiros para a feira de Sorocaba/SP; conservam os vestígios jesuítas da “salgadeira”; podem ser tristes como o asfalto que até hoje não chegou. Elas também foram abrigo do peregrino João Maria de Agostini, responsável por mobilizar milhares de fiéis em busca de cura, cuja fé perdura até hoje com a romaria de Santo Antão. O distrito de Santo Antão é um espaço rico nas histórias, nas pessoas, no potencial turístico e em segredos que talvez nunca sejam descobertos.

 

São Valentim

Foi pelas rodas das carretas que passavam pela região que o desenvolvimento chegou a Santa Maria. Onde hoje se localiza a sede do distrito de São Valentim, carreteiros faziam paradas para descanso na sombra, davam água aos bois e seguiam viagem. Vindas principalmente de São Gabriel, Rosário do Sul e Alegrete, as carretas foram as responsáveis, durante muito tempo, pela manutenção do ciclo econômico do município. Este documentário traz recortes dessas histórias que começam por volta de 1900, com a construção da casa da “esquina dos Toniolo” – o famoso ponto de encontro dos carreteiros – e que até hoje são parte da memória dos moradores não querem perder suas raízes.

Por Valdemar Neto
Foto de Laura Lis Boessio

santo antão


Exibição dos filmes sobre Santo Antão e São Valentim nas comunidades


Nos próximos dias a TV OVO vai exibir os documentários sobre os distritos de Santo Antão e de São Valentim nas respectivas comunidades. A exibição do filme sobre Santo Antão, que tem a direção de Marcos Borba, vai ser quarta-feira, dia 31 de maio, às 18h, no Salão da Capela de Santo Antão. Já o documentário sobre São Valentim, dirigido por Jaiana Garcia, terá o lançamento na comunidade na quinta-feira, 1º de junho, às 19h, no Salão da Igreja de São Valentim, na Colônia Toniolo. Haverá debate com a equipe de produção após a sessão.

Os dois filmes possuem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura (LIC/SM) e fazem parte do projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade, que retrata pessoas, lugares, memórias, histórias de Santa Maria: uma terra multifacetada em sua constituição, com diferentes identidades e vocação para o transitório.

Santo Antão – Sinopse

O distrito de Santo Antão é um lugar, como disse um morador, onde cada curva de estrada tem uma história para contar. As curvas guardam um pedaço do passado do país, nos rastros do caminho dos tropeiros para a feira de Sorocaba/SP; conservam os vestígios jesuítas da “salgadeira”; podem ser tristes como o asfalto que até hoje não chegou. Elas também foram abrigo do peregrino João Maria de Agostini, responsável por mobilizar milhares de fiéis em busca de cura, cuja fé perdura até hoje com a romaria de Santo Antão. O distrito de Santo Antão é um espaço rico nas histórias, nas pessoas, no potencial turístico e em segredos que talvez nunca sejam descobertos.

São Valentim - Sinopse

Foi pelas rodas das carretas que passavam pela região que o desenvolvimento chegou a Santa Maria. Onde hoje se localiza a sede do distrito de São Valentim, carreteiros faziam paradas para descanso na sombra, davam água aos bois e seguiam viagem. Vindas principalmente de São Gabriel, Rosário do Sul e Alegrete, as carretas foram as responsáveis, durante muito tempo, pela manutenção do ciclo econômico do município. Este documentário traz recortes dessas histórias que começam por volta de 1900, com a construção da casa da “esquina dos Toniolo” – o famoso ponto de encontro dos carreteiros – e que até hoje são parte da memória dos moradores não querem perder suas raízes.

 

Por Pedro Piegas

são valentim

Gravação no distrito de São Valentim


Santa Maria além dos morros que vemos


Santa Maria não é formada apenas pelo centro, bairros e vilas que nos habituamos a ver e percorrer. Além da sede, a cidade possui outros nove distritos, cada um com as suas peculiaridades e histórias. Histórias essas que, desde 2014, tentamos contar em documentários inseridos no projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade, criado em 2008.

O distrito da vez é São Valentim. Localizado na porção sudoeste do município, tem como característica a figura do carreteiro, importante trabalhador que utilizava a carreta de bois para transportar mercadorias pela região central e pelo Estado. Hoje o distrito, como é comum em todo o meio rural, e apesar da curta distância até o centro da cidade, lida com o êxodo dos jovens para o meio urbano. Mas há quem permaneça e saiba aproveitar o que a vida no interior tem a oferecer.

Das festas nas comunidades à lida no campo, os moradores vão formando a identidade do local. E nessa tentativa de registrar histórias que nos ajudem a conhecer um pouco mais a cidade que nos rodeia, vamos conhecendo pessoas. Pessoas, é delas, com elas e para elas que falamos quando fazemos um trabalho assim, de comunicação comunitária. Muitas vezes são pessoas comuns. E quantas coisas elas têm a nos contar.

É o exemplo de Dona Maria. Ela tinha um sonho, queria ter seguido os estudos. Mas quando criança teve de largar tudo e ajudar o pai no campo. Casada há quase 60 anos, aprendeu com o marido, Seu Arlindo, a lidar com ferro. Ele traz consigo as lembranças da vida de carreteiro e algumas cicatrizes das lidas como ferreiro. Retrato de um outro tempo, onde não tinha televisão, rádio ou luz, nem mesmo asfalto, coisas que aos poucos foram chegando à localidade. Já seu Odonelson, além de tirar o sustento de sua família da plantação, leva às gerações mais novas um pouco da história sob a qual o distrito e, consequentemente, a cidade foram forjados. Na escola da localidade, de tempos em tempos, mostra a carreta aos estudantes que não conhecem.

Muitas outras histórias foram contadas para as lentes atentas, inclusive sobre a formação do local, os lugares onde antes os carreteiros paravam, as dificuldades e alegrias de se viver no meio rural. Mas isso é papo para se conferir com o curta na tela. O documentário sobre São Valentim passa agora para a fase de edição, o projeto é uma realização da TV OVO e é financiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.

Por Heitor Leal
Fotos de making of: Denise Copetti
Foto still: Alexsandro Pedrollo

Dona Maria e Seu Arlindo II

Depoimento de Dona Maria e Seu Arlindo

Dona Maria e Seu Arlindo I

Dona Maria e Seu Arlindo estão casados há 60 anos.

Gravações em São Valentim

Gravações em São Valentim. Heitor Leal na captação de som direto. Direção de Jaiana Garcia.