Notícias

TV OVO grava documentário sobre as cavalhadas de Caçapava do Sul


Homens a cavalo empunhando suas espadas, lanças e armas, numa batalha em campo aberto. Um folguedo que reconta a história da luta entre mouros e cristãos durante as cruzadas de Carlos Magno na França do século VIII. As cavalhadas são uma representação épica que ultrapassa fronteiras geográficas e temporais e que por muitos anos existiram em diversas cidades do país.

Neste domingo, dia 17, elas voltam a ser realizadas no Forte Dom Pedro II em Caçapava do Sul. Desativada há seis anos, a corrida de cavalhadas será encenada novamente para a gravação do documentário A semi-lua e a Estrela, coordenado pela TV OVO.

Pessoas que participavam das cavalhadas serão entrevistadas para registrar a memória das corridas durante a sexta-feira, 17, e o sábado, 18. As entrevistas são uma forma de mostrar como um folguedo, que atravessa mais de um milênio, se transforma e incorpora outras características, conforme o tempo em que é representado, demarcando aspectos sociais da sociedade que o vivencia.

Rafel Rigon e Maurício Stock durante as gravações da novena do Divino. Foto: Maurício Canterle

A produção do documentário iniciou no mês de março. Diversos registros de imagens em movimento e fotografias antigas foram articulados para construir a memória das cavalhadas. As gravações começaram no último final de semana, 12 de maio, quando parte da equipe gravou cenas da novena do Divino, momento em que os cavaleiros com suas vestes tradicionais recebem a comunidade na Igreja. Isso porque a corrida de cavalhadas é ligada à Festa do Divino.

O filme é um projeto aprovado via edital pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do governo do Rio Grande do Sul. A Semi-lua e a Estrela, marcas dos mouros e cristãos, terá 26 minutos e conta com um recurso de 40 mil reais para a sua realização. A produção do documentário está mobilizando mais de 50 pessoas entre corredores, produção local e equipe técnica.

Na produção local destacamos o trabalho do Ponto de Cultura Encontro com a Cultura Gaúcha, representado por Vanda Sitó e Carla Rezera Dotto, além de pessoas da comunidade que têm auxiliado nos preparativos para a corrida de cavalhadas que será realizada no domingo, 19, às 13h30 no Forte Dom Pedro II.