Notícias

Sobrado da TV OVO é tombado como patrimônio histórico


Na última sexta-feira, 06/07, foi assinado o decreto de tombamento do nosso sobrado como patrimônio histórico e cultural de Santa Maria, um reconhecimento que vem com 102 anos de idade. Este documento é um gesto que deixa o nosso objetivo, junto com Marcelo Canellas, Tita Pereira e Daniel Pereyron (representantes de um grupo de arquitetos), e Lucas Just e Guilherme Angonese (equipe de engenheiros) mais próximo. Restaurar o casarão, construir e dar vida ao Sobrado Centro Cultural irá fazer a cidade pulsar com mais um espaço de fruição de cultura e formação na área do audiovisual.
Na última sexta, demos mais um passo, porque já enfrentamos muito entulho para reformar as salas; já recolocamos telhas depois de um vendaval; já juntamos uma multidão para celebrar os 20 anos da TV OVO, em 2016. A partir de agora, seguimos com mais possibilidades de arrecadar os recursos necessários para restaurar e construir o espaço.
A assinatura do decreto de tombamento também marca a valorização do patrimônio histórico e cultural da cidade justamente em tempos de pressão das construtoras para afrouxar a lei que protege os edifícios do centro histórico de Santa Maria.
Seguimos, passo a passo, com a certeza de que não podemos parar.


Decreto de tombamento do sobrado da TV OVO será assinado nesta sexta, 06/07


O decreto de tombamento do sobrado, sede da TV OVO, que fica na esquina da Rua Ernesto Becker com Floriano Peixoto, será assinado nesta sexta-feira, 06/07, às 11h30. A assinatura estava prevista para o último dia 28, mas foi transferida em função do falecimento de Seu Zacheu Canellas, pai de Marcelo Canellas, que foi quem doou o imóvel para a TV OVO e que defende a história e a memória da cidade. O ato será realizado no próprio imóvel, ond efica a sede da TV OVO (Rua Floriano Peixoto, 267). O documento resguarda o casarão como patrimônio histórico e cultural de Santa Maria. Além do sobrado, cuja construção data de 1916, também será tombada a fachada do galpão anexo, que é de 1940.

A fachada principal do casarão, que fica na Rua Floriano Peixoto, é de aparência eclética, possui um frontão triangular, relevos na fachada, medalhões e platibanda, ressaltando-se o frontão triangular do Neoclássico. Apesar da degradação, ainda é possível perceber a solidez construtiva e a elegância do imóvel. Já o galpão, com acesso pela rua Ernesto Becker, onde hoje está situada a sede da TV OVO, é uma construção mais recente, com a fachada em Art Déco, e faz referência a outro período histórico santa-mariense.

O tombamento justifica-se pelo legado cultural, arquitetônico, histórico e social que o sobrado e a fachada do galpão representam para Santa Maria. O tombamento trará consequências positivas para a cidade na medida em que amplia as possibilidades de captação de recursos para o restauro do imóvel, tanto pela lei de incentivo à cultura estadual quanto pela federal, a Lei Rouanet. A submissão de projetos e a captação deverão ocorrer nos próximos meses.

 

A autoria do desenho é desconhecida. Encontramos-o preso em uma das janelas do sobrado faz um tempo. Por entendermos como uma arte de rua, deixamos ele lá. E assim como apareceu, ele também desapareceu no dia seguinte.


Decreto tombará o sobrado da TV OVO como patrimônio histórico santa-mariense


Amanhã, 28/06, será assinado o decreto de tombamento do sobrado, sede da TV OVO, que fica na esquina da Rua Ernesto Becker com Floriano Peixoto, como patrimônio histórico e cultural de Santa Maria. A assinatura será às 12h45min no gabinete do prefeito municipal (Rua Venâncio Aires, 277, 7º andar). Além do sobrado, cuja construção data de 1916, também será tombada a fachada do galpão anexo, que é de 1940.

A fachada principal do casarão, que fica na Rua Floriano Peixoto, é de aparência eclética, possui um frontão triangular, relevos na fachada, medalhões e platibanda, ressaltando-se o frontão triangular do Neoclássico. Apesar da degradação, ainda é possível perceber a solidez construtiva e a elegância do imóvel. Já o galpão, com acesso pela rua Ernesto Becker, onde hoje está situada a sede da TV OVO, é uma construção mais recente, com a fachada em Art Déco, e faz referência a outro período histórico santa-mariense.

O tombamento justifica-se pelo legado cultural, arquitetônico, histórico e social que o sobrado e a fachada do galpão representam para Santa Maria. O tombamento trará consequências positivas para a cidade na medida em que amplia as possibilidades de captação de recursos para o restauro do imóvel, tanto pela lei de incentivo à cultura estadual quanto pela federal, a Lei Rouanet. A submissão de projetos e a captação deverão ocorrer nos próximos meses.

Antes da assinatura, às 12h30, haverá um ato de abraço em volta da SUCV (Sociedade União dos Caixeiros Viajantes), que integra as atividades do movimento o Rio Grande abraça o patrimônio cultural, organizado pelo Conselho Estadual de Cultura (CEC). No texto do evento no Facebook, o conselho diz estar “preocupado com o estado de abandono que vem ameaçando a preservação do patrimônio cultural no Estado do RS”.  Trata-se de “uma ação em rede, para denunciar o abandono e alertar autoridades, comunidades e proprietários sobre a importância da preservação do patrimônio para nossa memória e para a Cultura”. O abraço ocorrerá simultaneamente em diversas cidades gaúchas.

Foto de Neli Mombelli


Cinema nos 110 anos da Vila Belga


A Vila Belga de Santa Maria completa 110 anos neste mês. A última casa do conjunto habitacional foi concluída em 13 de abril de 1907. Ao todo, são 84 residências. Entre as atividades em comemoração ao  aniversário, está a exibição de documentários que produzimos que passam pela história da Vila Belga, desde as construções e a sua ligação direta com a Gare da Estação e a ferrovia, além de ser um dos lugares referência para comercialização sustentável de artesanato, no Brique da Vila Belga.

 

A exibição será na quarta, dia 12/04, às 19 horas, em frente à Associação dos Moradores Ferroviários da Vila Belga. Entre os documentários exibidos estão os da série Cena Cultural, sendo um sobre o Artesanato (direção de William Boessio) e outro sobre  Memória e Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Direção de Helena Moura e Laura Boessio).
 
O projeto Cena Cultural foi produzido em 2015 e 2016 com financiamento da Lic e abordou todos os segmentos culturais da cidade. A proposta produziu uma material rico e diversificado sobre o fazer artístico e suas múltiplas manifestações. Também integram a mostra produções do projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade, que recupera e registra a memória santa-mariense.

 

Foto de Renan Mattos

 

vila belga