» oficina de audiovisual

Notícias

TV OVO participa de oficinas na fronteira do RS


Um misto de amizade, expectativa, troca de conhecimento, criatividade e emoção marcou a primeira fase de formação dos jovens dinamizadores do projeto DIZ AÍ FRONTEIRAS, que ocorreu na cidade de Uruguaiana nos dias 8, 9 e 10 de novembro.

O projeto é promovido pela área de Mobilização e Articulação Comunitária do Canal Futura e tem como objetivo articular e capacitar jovens para o audiovisual, fomentar o protagonismo e a atuação cidadã das cidades de Uruguaiana e Santana do Livramento no Brasil, Passo de Los Libres na Argentina e Rivera no Uruguai. Além disso, visa estimular a reflexão de questões relacionadas à juventude em regiões de fronteira com relação à comunicação, cidadania e educação nesses locais a partir da produção de obras audiovisuais para a interprogramação de 2014 do Canal Futura.

Partindo de seu auto conhecimento, cada jovem foi provocado a refletir sobre si, a realidade que o cerca e a sua relação com os outros. Foram diversos momentos de troca de saberes, reflexão e debates, intercalados com dinâmicas, grupos de trabalho e práticas de audiovisual, fotografia digital e web texto.

Nesta fase, o projeto reuniu 20 jovens, sendo 5 de cada uma das cidades envolvidas. Na próxima fase, que acontece nos meses de janeiro e fevereiro de 2014, nas cidades de Santana do Livramento e Uruguaiana, mais 180 jovens se integrarão ao projeto. Serão produzidos cinco interprogramas de aproximadamente 7 minutos cada.

Para a realização do projeto Diz Aí Fronteiras, o Canal Futura tem financiamento do CAF – Banco de Desenvolvimento da América Latina, e conta com parceria das organanizações TV OVO, de Santa Maria/ RS , CAMP, de Porto Alegre/RS e Câmera Clara, de Florianópolis/ SC. Ainda, tem o apoio institucional do IFSUL – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense e do Sest/Senat – Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte.



Documentário sobre a Vila Oliveira


Nesta terça-feira, 11/10, é dia de sessão cineclubista na Vila Oliveira.
Alunas do 8º e 9º ano da Escola Castro Alves irão exibir o documentário realizado por elas sobre a comunidade onde vivem.
O vídeo é resultado dos três meses de oficina que elas participaram do Projeto Olhares da Comunidade.
Promovido pela TV OVO, o projeto tem apoio da LIC municipal, e dá oficinas de realização audiovisual em escolas públicas de Santa Maria.
A exibição será às 11h, no Instituto Espírita Leocádio José Correia, na Vila Oliveira.
Toda a comunidade está convidada a participar.

O Projeto Olhares da Comunidade está com oficina em andamento na Escola Hylda Vasconcellos, no Campestre do Menini Deus, e, no final deste mês, começará na Escola Júlio do Canto, em Camobi.

O quê: documentário sobre a Vila Oliveira
Quando: terça-feira, 11/10
Onde: Instituto Espírita Leocádio José Correia


Oficina de audiovisual começa na Escola Hylda Vasconcellos


Um dia chuvoso e frio, não muito agradável, marcou o início da oficina de realização audiovisual na semana passada, na Escola Municipal Hylda Vasconcellos. Mas mesmo assim, a galera não desanimou e compareceu na aula. Já o segundo dia,  quente e ensolarado, perfeito para fazer imagens, animou a todos, que estavam bem curiosos para fazer os primeiros takes. São 18 alunos, entre 12 e 17 anos,  que estão participando das atividades.

A oficina faz parte do projeto Olhares da Comunidade, aprovado na Lei de Incentivo à Cultura, e deverá seguir até o final de outubro. A ideia é que a gurizada aprenda teoria e técnica audiovisual, desde operar câmeras a roteirizar e produzir um documentário sobre a comunidade onde vivem, no bairro Campestre do Menino Deus.

Os meninos (Jonathan, Lucas e Raudrey) que dão as oficinas também passaram pelo mesmo processo. Em 2oo5, quando estudavam nas escolas dos bairros Nova Santa Marta, Nonoai e Cohab Fernando Ferrari, fizeram as oficinas da TV OVO e integraram a equipe que colabora com a entidade.

Enquanto no Campestre as atividades estão começando, na Vila Oliveira, elas estão terminando. A oficina na Escola Municipal Castro Alves, que começou em maio, termina no final do mês de agosto. As alunas de lá, sim, são só meninas, já estão gravando os depoimentos que farão parte do documentário que será produzido por elas.