Notícias

Programa Cena Cultural terá exibições na TV Câmara


Neste sábado (26), os episódios dos programas Cena Cultural, produzidos pela TV OVO, vão começar a ser transmitidos na programação da TV Câmara de Santa Maria, no canal 16 da NET. O projeto tem como intuito valorizar as manifestações culturais da cidade e reconhecer a importância da organização dos diferentes agentes culturais do município, de forma a contribuir significativamente para preservar a memória histórica, cultural e patrimonial de Santa Maria.

São dez programas que abordam os segmentos culturais definidos pelo Plano Municipal de Cultura, que serão transmitidos na seguinte ordem: Audiovisual, Cinema e Vídeo; Culturas Populares; Livro e Literatura; Teatro e Circo; Tradição e Folclore; Artesanato; Música; Artes Visuais; Dança; Patrimônio Histórico Artístico e Cultural. Cada episódio traz uma entrevista com um integrante do segmento para expandir a discussão da área.

Em junho, no dia 5, às 20h, vai ter exibição dos episódios do Cena Cultural na Escola Municipal de Artes Eduardo Trevisan (EMAET). O projeto Cena Cultural têm financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC/SM).


Confira a programação na TV Câmara:
Programas inéditos –  Sábados, às 20h
Programas reprises – Domingo, às 20h; terças de noite, após a sessão plenária; quartas, às 11h30min
Sinopses dos episódios por ordem das exibições:


Audiovisual, Cinema e Vídeo

O sonho, a paixão, a dedicação e a batalha dos realizadores audiovisuais santa-marienses para fazer da cidade um polo audiovisual.
Culturas Populares
O viés de coletivos santa-marienses que mostra as expressões populares da cidade em atividades artísticas, educativas, culturais e sociais.
Livro e Literatura
O vídeo destaca a importância da Feira do Livro e conta com a presença de escritores que representam o cenário literário santa-mariense.
Teatro e Circo
A arte da representação acompanha Santa Maria desde que o primeiro apito do trem ecoou nos morros de seus arredores e hoje ela se reinventa em diversos grupos e atores teatrais da cidade.
Tradição e Folclore
Os costumes, os legados e as histórias que perduram entre as gerações. O episódio sobre tradição e folclore aborda a diversidade étnica e cultural em Santa Maria, onde os grupos seguem cultivando as suas raízes para manter viva a essência da cidade.
Artesanato
Seis personagens, que fazem do artesanato local parte importante de suas vidas, contam as diferentes relações que estabelecem com sua produção.
Música
A diversidade de sons e músicos compõe o cenário multifacetado da música em Santa Maria. Entre praças, escolas e ruas podemos ouvir algumas das expressões musicais características da cidade.
Artes Visuais
O processo de descoberta artística dentro da academia, a criatividade e expressão dos quadrinhos, a fotografia como forma de registro e a arte pulsante nas ruas. Esses são alguns pontos que foram abordados no episódio sobre artes visuais em Santa Maria.
Dança
O corpo em transformação, a elegância dos movimentos como uma forma de expressão e de contar uma história. O episódio de dança fala sobre os diferentes grupos e coletivos em Santa Maria que se unem nos ritmos e coreografias.
Patrimônio Histórico Artístico e Cultural
Santa Maria tem a sua história contada e guardada através dos prédios, dos documentos e de elementos culturais. O episódio nos leva a pensar sobre a memória e o patrimônio histórico, artístico e cultural da nossa cidade.

 

Por Pedro Piegas e Heitor Leal

CENA na camara


Videoclipe “O Rei dos Excluídos” é gravado no Sobrado


Na fria noite de 5 de junho, domingo, o Sobrado da Rua Floriano peixoto esquina com Ernesto Becker foi cenário da gravação do videoclipe da música O Rei dos Excluídos, de Diego Lopes. A  direção do clipe ficou a cargo de Fernando Codevilla e a TV OVO entrou como parceira neste projeto, tendo na direção de fotografia Alexsandro Pedrollo, na assistência Marcos Borba e na produção Neli Mombelli.

Diego Lopes, conhecido por ser o baixista da banda Acústicos e Valvulados, está lançando seu segundo disco solo, chamado Tabuleiro. Após receber grandes críticas ao seu primeiro álbum, Diego ficou com grandes dúvidas se conseguia mesmo fazer música. Para buscar as respostas decidiu fazer exatamente isso: música – e foi assim que surgiu o Tabuleiro.

O álbum não trata somente de responder às críticas recebidas, mas também aborda assuntos universais.  Na verdade, não há uma interpretação única. Tudo depende de quem ouve, de como o ouvinte encaixa a letra e a melodia na sua vida. O músico salienta que os dois discos retratam a época de sua vida em que foram gravados. O segundo disco traz um certo amadurecimento: Diego está casado, com filho, e isso se reflete em seu trabalho.

Ao falar sobre a música do videoclipe, O Rei dos Excluídos, o Diego diz que ela não é sobre alguém em específico, e sim sobre todos nós. Para ele, é sobre alguém que não se mexe para fazer nada e ainda assim se acha o cara. “Acho que todo mundo conhece alguém que acha que sabe tudo, pode tudo, mas só não faz nada porque nada vale a pena fazer”, comenta Diego. É a partir  disso que o diretor do videoclipe, Fernando Codevilla, explica o conceito do cenário – um local em ruínas. O espaço “traz essa noção de ausência de movimento. Um homem está sentado em meio a sua casa em ruínas e não faz nada para mudá-la”.

Diego Lopes diz que adora Santa Maria e a ideia de gravar na cidade veio do Fernando, que já era amigo de Diego. O Tabuleiro mesmo era um lugar em Júlio de Castilhos, cidade da família do músico. O álbum foi produzido de maneira independente e está sendo divulgado pelo meio digital, pois, segundo Diego, no corre-corre atual, não são muitas as pessoas que param para escutar um disco inteiro, faixa por faixa, mas que mesmo assim optou por gravar um disco. Ele  revela, rindo, que fez um álbum todo, pois tinha muito o que falar.

Sobre o cenário musical, Diego lembra que antes dos álbuns serem tão importantes, no final dos anos 60, os principais trabalhos dos artistas eram em singles. Só se fazia discos completos quando os singles rendiam. Até mesmo os Beatles lançaram várias músicas que não entraram para seus álbuns. Ele acredita que estamos voltando para esta fase de singles.  Enquanto isso, em breve o álbum Tabuleiro deverá estar em lojas físicas como Livraria Cultura, Saraiva e Multisom.

Por Nicoli Saft
Fotografia de Fernando Codevilla

rei dos excluidos


Um dia para cantar os 20 anos e o fazer cultural


Se a TV OVO completou 20 anos na quinta-feira, 12 de maio de 2016, vale lembrar que Paulo Tavares, quem lançou nossa pedra fundamental sem nem imaginar, esteve de aniversário na terça-feira, dia 10 de maio, e Marcos Borba, outro nome cuja história se confunde com a da TV, assoprava suas velinhas no dia 14 de maio. Assim, com tantos aniversários, não havia como não comemorar em grande estilo: um palco aberto com a rua e os morros ao fundo emolduraram as apresentações de Guantánamo Groove, Pirisca Grecco e Pegada Torta, bandas que se formaram em Santa Maria para produzir cada uma a sua música, e que aceitaram subir ao palco para um público de cerca de 500 pessoas em frente ao Sobrado, todo iluminado pelo videomapping dos também santa-marienses  Fernando Krum e Fernando Codevilla.

O palco e a fachada do casarão também serviram para protestos contra o fim do Ministério da Cultura com as hashtags #ficaMinc e #lutopelacultura. A medida tomada no primeiro dia do governo interino de Michel Temer (PMDB), uma sexta-feira 13, foi considerada por aqueles que atuam no cenário cultural brasileiro como um retrocesso, tendo sido sustentada por um simples argumento de “corte de gastos”. Criado ainda no governo Sarney, O Ministério da Cultura somente teve caráter de secretaria nos anos de Fernando Collor, retirando do segmento cultural sua autonomia de gestão e o transformando em mera secretaria do Ministério da Educação.

Após a mobilização dos artistas, produtores culturais e movimentos sociais – e visando reduzir as críticas sobre seu governo – Temer voltou atrás e recriou o Ministério da Cultura no dia 21 de maio, após ter nomeado Marcelo Carneiro para secretário de cultura, passando então Marcelo ao cargo de ministro. Resta agora saber como será a gestão do Ministério.

Por William Boessio
Fotografia de Neli Mombelli


Domingos Di-versos


Para agitar o final de semana, no domingo de 28 de junho, a partir das 16 horas,a TV OVO promove  o primeiro  Domingo Di-versos.

A ideia é reunir diferentes atrações culturais em  sua sede, na Rua Floriano Peixoto, esquina com Ernesto Becker. Haverá leituras de poesias, música, teatro, exibição de audiovisuais e exposição de artes plásticas, além de comidas e bebidas. A atividade é gratuita e aberta à comunidade.

Agende-se e participe!


Curso para músicos


A Incubadora Cultural Odomode desenvolve há anos atividades na grande Porto Alegre através de cursos, oficinas e produções artísticas.

O curso de Empreendedor Musical Criativo começa dia 2 de abril e é voltada para artistas musicais.