Notícias

Último documentário sobre os distritos registra a história de Pains


O projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade, que tem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria, está se encaminhando para o fim. A missão de contar a história em vídeo dos nove distritos que compõe Santa Maria está quase completa. Todos depoimentos dos moradores e as imagens bucólicas e cheias de vida que evidenciam a riqueza cultural e histórica do município estão disponíveis no nosso canal no YouTube. Em breve, o último documentário da série será acrescentado na conta. Agora, as lentes das câmeras tem se voltado para o distrito de Pains.

O trabalho de apuração e pré-produção já foi realizado pela equipe e as informações coletadas serviram de base para a criação da ideia do documentário. Na direção do documentário estão Alexsandro Pedrollo e Heitor Leal, dando o tom do estilo e da narrativa da produção. Ao longo de quatro dias de gravação, os moradores abrem as portas de suas casas para nos receber e compartilharem conosco a relação histórica e afetiva que possuem com o distrito de Pains. “A ideia é conhecer o distrito a partir das pessoas que moram lá. Como se estivéssemos fazendo uma visita e conhecendo essas pessoas no seu dia a dia”, comenta Heitor.

As gravações do documentário ocorrem durante este mês. Alan Orlando, integrante da equipe, é responsável por fazer algumas imagens nas diárias de gravações e conta sobre participar da realização de mais um filme. “É gratificante poder percorrer os distritos fazendo o que mais gostamos. Contamos com a colaboração e hospitalidade dos moradores dos distritos. A ajuda deles com informações sobre o lugar, histórias e indicações de pessoas são essenciais. A possibilidade de fazer audiovisual somada a oportunidade de conhecer mais o lugar em que vivemos me deixa feliz e realizado”.

Por Tainara Liesenfeld

Cena captada na localidade São Geraldo, no distrito de Pains. Foto de Renan Mattos.

 


Oficina de audiovisual: ensinar e aprender na mesma medida


Se pararmos para pensar um minuto de forma profunda, percebemos que a cegueira causada pelo excesso de imagens nos ataca dia a dia. Exercitar o olhar e a criatividade é cada vez mais difícil em meio a tantas cores, sons e formas. E é justamente essa ideia de “cegueira” em meio ao caos de informações que motiva e direciona o trabalho da equipe de oficineiros da TV OVO, nas oficinas formação direcionadas ao audiovisual.

Francine Nunes, integrante do atual grupo de oficineiros, ela ressalta que elas são muito importante,  já que “a TV OVO nasce baseada nisso, na realização de oficinas e formação de jovens para o audiovisual. Então eu fico muito contente que 22 anos depois a gente ainda esteja trabalhando com oficinas, isso é manter uma essência”.

A primeira oficina realizada neste ano foi na escola Tancredo Penna de Moraes, localizada no distrito de Palma. Alan Orlando, integrante da equipe de oficineiros, relata que é muito bom ver o interesse, a curiosidade e a vontade das crianças e adolescentes de entender um universo novo que chega até elas.

Um dos desafios encontrados na aplicação desta oficina foi a idade das crianças, Francine conta que a turma era formada por alunos de diferentes idades, de 10 até 15 anos. “Eu sei que pode parecer que são só cinco anos de diferença, mas nessa fase da vida cinco anos é um abismo, era visível a diferença que cada criança interagia com as atividades e para nós era extremamente desafiador explicar e orientar cada um de um jeito diferente. Mas, no final, o resultado foi excelente, eles conseguiram falar sobre temáticas que perpassam a vida deles, a escola, as vivências adolescentes. Eles conseguiram colocar tudo isso no produto final e fazer um produto que falasse sobre o que eles viam e sentiam. Resultou num vídeo sobre o que é importante pra eles nesse momento”, explica Francine.  Foram produzidos dois vídeos, um sobre o tema ódio e preconceito e o outro sobre respeito a todos.

Francine caracteriza o projeto como um estímulo para que os alunos desenvolvam audiovisualmente o que elas já sabem a partir do cotidiano.  Para ela, a proposta faz pensar sobre o que podemos fazer a partir de nossa experiência em conjunto com domínio da tecnologia e do audiovisual. A partir dessa interface, a oficina propõe pensar sobre a relação com a comunidade em que a gente vive, envolvendo criatividade, habilidades e desejos.

“As dinâmicas escolhidas para compor essa oficina tem apenas propostas que partem da realidade das crianças. Hoje elas já têm muito contato com o audiovisual, elas consomem muito o audiovisual, elas têm acesso ao celular, a câmera, então a gente já sai desse lugar que é o de que nós vamos lá só ensinar coisas. Elas já sabem muito, é uma oficina muito mais de troca. É um estímulo à forma de expressão, ao que eles querem dizer para o mundo, mostrar para as outras pessoas, ao que sentem, ao que pensam e ao que expressam”, finaliza Francine.

As oficinas fazem parte do projeto Olhares da Comunidade 2018 que tem o financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (Lic/SM).

Por Tayná Lopes

Exercício de enquadramento no projeto Olhares da Comunidade no distrito de Palma.


Lista dos curtas selecionados para a mostra Olhares da Comunidade


Divulgamos a lista de produções selecionadas no edital Olhares da Comunidade. As obras irão integrar o circuito cineclubista itinerante que vai exibir curtas de documentário e ficção em diversas regiões da cidade.

Os selecionados são:
Pugna
Nada é Perfeito
Linhas Tortas
Um museu de outro mundo
O candidato

A programação tem temática livre busca fomentar diálogo e troca de ideias entre os jovens das escolas e integrantes das comunidades. Os filmes foram selecionados a partir de conceitos como: relevância social, atualidade, narrativa envolvente, fotografia e roteiro. Nossa ideia é promover a circulação de produções, levar o cinema para perto das comunidades, utiliza-lo como ferramenta de debate, compartilhamento de conhecimentos e inspirações.

Além das produções selecionadas via inscrição, vamos exibir dois curtas realizados na primeira fase do projeto Olhares da Comunidade no distrito de Palma. Os alunos da Escola Major Tancredo Penna de Moraes foram os protagonistas dos filme, tanto na roteirização, quanto na produção, gravação e atuação.

As exibições da sessões itinerantes serão realizadas entre os meses de setembro e outubro de 2018, em 6 localidades: Praça Boa Esperança/Bairro Nova Santa Marta, EMEF Vicente Farencena/Bairro Camobi, EMEF Major Tancredo Penna de Morais/distrito de Palma, EMEF Pão dos Pobres/Bairro Nossa Senhora de Fátima, Colégio Estadual Padre Romulo Zanchi/Bairro Presidente João Goulart, EMEF José P. de Oliveira/distrito de São Valentim.

Agradecemos a todos que enviaram suas produções e colaboraram com nosso edital, com a comunidade santa-mariense e com a circulação de produções audiovisuais. O edital é uma proposição da TV OVO através do Projeto Olhares da Comunidade 2018, com o financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC-SM).

Por Tayná Lopes


Edital para seleção de produções santa-marienses para integrar circuito cineclubista itinerante


Lançamos um edital para fazer uma curadoria de produções santa-marienses que irão integrar a programação de um circuito cineclubista itinerante por diferentes regiões do município.  A iniciativa propõe a organização de uma programação com temática livre e que contribua socialmente para o diálogo de questões relevantes, pertinentes e atuais, priorizando a articulação e o protagonismo jovem. As incrições vão até dia 18 de agosto e a lista dos selecionados será publicada no dia 25 deste mês.

Para se inscrever, preencha o formulário  e envie o material audiovisual por Wetransfer, Dropbox, One Drive, Google Drive ou Vimeo (desde que esteja habilitada a opção de download) para o e-mail tvovo@tvovo.org, anexando uma foto de divulgação com legenda e a Autorização de direitos de exibição assinada que está no Anexo I do edital. Não existe limitação de número de propostas a serem enviadas por pessoa.

As exibições serão realizadas entre os meses de setembro e outubro de 2018, em 6 sessões, nos seguintes locais: Praça Boa Esperança/Bairro Nova Santa Marta, EMEF Vicente Farencena/Bairro Camobi, EMEF Major Tancredo Penna de Morais/distrito de Palma, EMEF Pão dos Pobres/Bairro Nossa Senhora de Fátima, Colégio Estadual Padre Romulo Zanchi/Bairro Presidente João Goulart, EMEF José P. de Oliveira/distrito de São Valentim.

O edital é uma proposição da TV OVO através do Projeto Olhares da Comunidade 2018, com o financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC-SM) e tem o objetivo de expandir a difusão das produções realizadas na cidade, por meio de sessões cineclubistas em diferentes regiões do município.

Acesse o edital: Edital Olhares da Comunidade 2018

 


Inscreva-se no workshop de direção de arte


Estão abertas as inscrições para o workshop de Direção de Arte para audovisual, que será ministrado por Luísa Copetti. A direção de arte engloba conjuntos de técnicas e decisões que determinam o visual da obra produzida. No audiovisual, o diretor de arte alinha os elementos visuais à estética concebida para cada cena. Paleta de cores, figurinos e cenários são alguns dos elementos coordenados pelo diretor.

A atividade será no dia 18 de agosto, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h30, na sede da TV OVO, Rua Floriano Peixoto, 267. O investimento para participar do workshop é de R$ 60 integral e R$ 30 meia (estudantes – comprovante de matrícula, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes). Serão ofertadas 20 vagas. As inscrições podem ser feitas neste formulário.

O workshop integra a programação do projeto Narrativas em Movimento 2018, que tem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC/SM).


Sobre a oficineira

Luísa Copetti é sócia da Lumaluma Produtora, sediada em Porto Alegre. Ela trabalha com direção de arte analógica e digital desde 2006. Atuou como diretora de arte em produções como os curtas-metragens Espelho Hexagonal e Quanto mais suicidas, menos suicidas e o longa-metragem Bebeto Alves em Mais uma Canção. Atuou como diretora de arte, entre outras funções no projeto OCTO da RBSTambém é designer, ilustradora e diretora de animação. Você pode conhecer mais sobre os trabalhos dela em https://www.luisacopetti.com/

Conteúdo programático do workshop:

  • Fundamentos estéticos e plásticos da direção de arte
  • Funções
  • Equipe de arte
  • Planejamento da produção de arte
  • Pesquisa de referências
  • Estruturação técnica

Luísa Copetti no cenário do curta-metragem Quanto mais suicidas, menos suicidas, com direção de Maurício Canterle.


Em breve, inscrições para workshop de direção de arte


Chegamos ao segundo semestre de 2018 e estamos ansiosos para colocar em prática nossas próximas atividades! Depois do workshop de tecnologia mobile em maio, anunciamos mais uma proposta de formação imperdível! No início de agosto abrem as inscrições para o workshop de Direção de Arte para audovisual, que será ministrado por Luísa Copetti.
A direção de arte engloba conjuntos de técnicas e decisões que determinam o visual da obra produzida. No audiovisual, o diretor de arte alinha os elementos visuais à estética concebida para cada cena. Paleta de cores, figurinos e cenários são alguns dos elementos coordenados pelo diretor.

A atividade será no dia 18 de agosto, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h30, na sede da TV OVO, Rua Floriano Peixoto, 267.

O investimento para participar do workshop é de R$ 60 integral e R$ 30 meia (estudantes – comprovante de matrícula, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos comprovadamente carentes). Serão ofertadas 20 vagas. As inscrições serão feitas em formulário a ser disponibilizado no início de agosto no nosso site e na nossa pagina no Facebook.

O workshop integra a programação do projeto Narrativas em Movimento 2018, que tem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC/SM).


Sobre a oficineira

Luísa Copetti é sócia da Lumaluma Produtora, sediada em Porto Alegre. Ela trabalha com direção de arte analógica e digital desde 2006. Atuou como diretora de arte em produções como os curtas-metragens Espelho Hexagonal e Quanto mais suicidas, menos suicidas e o longa-metragem Bebeto Alves em Mais uma Canção. Também é designer, ilustradora e diretora de animação.

Conteúdo programático do workshop:

  • Fundamentos estéticos e plásticos da direção de arte
  • Funções
  • Equipe de arte
  • Planejamento da produção de arte
  • Pesquisa de referências
  • Estruturação técnica

Por Alan Orlando