Notícias

Luz, câmera e apostilas na mão


O mês de agosto foi agitado na TV OVO. Dentre workshops, lançamento do Cronicaria e oficinas e sessões de cinema no Noroeste gaúcho, também  começamos os encontros da oficina de produção audiovisual para alunos de escolas públicas de Santa Maria.

As atividades iniciaram na segunda-feira, 14, no Sobrado centro Cultural, com alunos que frequentam o 8° e 9° ano e o EJA do ensino fundamental, e 1º ano de ensino médio, que participaram das atividades de integração e apresentação do formato da oficina. Os estudantes são das escolas Hylda Vasconcellos, João da Maia Braga, Alfredo Winderlich, Dom Luiz Victor Sartori, Duque de Caxias, Adelmo Simas Genro e Walter Jobim.

O contato dos alunos, que tem idade entre 15 e 40 anos, com o “estranho mundo dos seres audiovisuais” segue até outubro. Cada grupo vai passar por quatro etapas dentro da produção audiovisual, tendo contato com as teorias de criação, linguagem, edição, produção e gravação de um produto. A proposta é a de que os participantes saiam com mais do que uma ideia na cabeça e uma câmera na mão: buscamos estimular um pensamento audiovisual e que todos saiam habilitados a compartilhar e a conduzir os conhecimentos em núcleos de suas escolas e ou comunidades.

A iniciativa integra o projeto Narrativas em Movimento 2017 desenvolvido pela TV OVO com financiamento da Lei de Incentivo à Cultura.

Por Renan Mattos
Foto de Camila Lourenci

oficina


Workshop sobre o som no audiovisual?! Tivemos!


Nos dias 12 e 19 de agosto, realizamos o workshop “o som no audiovisual” no Sobrado Centro Cultural. Ministrado pelo músico e compositor Márcio Echeverria Gomes, a oficina tratou sobre os diferentes contextos em que o som se insere nas produções, mostrando que é preciso ter planejamento e muito zelo aos detalhes para alcançar um resultado sonoro de qualidade.

Na oficina foi possível aprender sobre detalhes teóricos, os equipamentos empregados na captação do som direto, os softwares utilizados para tratamento e mixagem, o poder da trilha sonora como fio condutor da narrativa, entre outras técnicas. O espectador muitas vezes não consegue perceber a complexidade e os pormenores que envolvem o desenho de som. Eventos como o workshop são uma grande oportunidade de ter contato e dialogar com profissionais que trabalham com audiovisual, além de adquirir novos conhecimentos para qualificação.

Márcio Echeverria incentiva a todos a “colocarem a mão na massa” como melhor método de aprendizado.  Pensando nisso, houveram exercícios práticos de foley, em que os participantes deveriam criar efeitos sonoros para um vídeo de animação. Coletivamente, foram gravados sons utilizando objetos que estavam nas redondezas e que os participantes avaliaram oportunos para a tarefa.  Na segunda etapa, depois da gravação, eles deveriam, com auxílio do software que desejassem, sincronizar os efeitos sonoros com o vídeo.

O workshop “O som no audiovisual” foi mais uma atividade do projeto Narrativas em Movimento 2017, que conta com o financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria. Fique ligado em nosso site e redes sociais para as próximas oficinas!

Por Alan Orlando
Foto de Heitor Leal

som no audiovisual


Inscreva-se no workshop “o som no audiovisual”


Tão importante quanto as imagens, o som exerce um papel fundamental no audiovisual. Afinal, como a própria palavra indica, é a junção de imagens em movimento com o som que resulta em um produto audiovisual.

O som no audiovisual envolve uma série de elementos que vão desde diálogos à trilha sonora, passando pelo som ambiente e efeitos sonoros. Desenho de som, tratamento de áudio na pós-produção audiovisual e mixagem e masterização são conceitos necessários para trabalhar em uma obra audiovisual de qualidade.

Para quem gosta desse assunto aí vai uma boa notícia, nos dias 12 e 19 de agosto, realizaremos, no Sobrado Centro Cultural, o workshop O som no audiovisual. Serão duas tardes dedicadas à reflexão e à prática desse elemento audiovisual por vezes pouco explorado.

O workshop, com 15 vagas, será ministrado por Márcio Echeverria Gomes, nosso parceiro, responsável pelo desenho de som de algumas de nossas obras. Para quem se interessa pelo tema e quer aprofundar os conhecimentos em áudio voltado ao audiovisual pode fazer a sua inscrição no workshop até o dia 10 de agosto neste link.

O pagamento da taxa deve ser feito pessoalmente na sede da TV OVO, rua Floriano Peixoto, 267, das 14h30min às 18h. Em caso de dúvidas ou incompatibilidade de horário, nos envie um e-mail (tvovo@tvovo.org), nos ligue (3026 3039) ou entre contato inbox no Facebook (tvovosm). A vaga será confirmada mediante o pagamento até dia 10 de agosto.

 

O quê: Workshop O som no audiovisual
Quando: dias 12 e 19 de agosto, das 14h às 18h.
Local: Sobrado Centro Cultural. Rua Floriano Peixoto, 267.
Quanto: R$ 60 inteira. R$ 30 meia (estudantes, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos carentes – mediante apresentação de documento comprobatório)

Conteúdo programático
- Som direto;
- Análise sonora audiovisual;
- Desenho de som;
- Tratamento de áudio na pós-produção audiovisual;
- Mixagem e masterização final.

 

O Workshop O som no audiovisual faz parte do Projeto Narrativas em Movimento 2017 e conta com o financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.

Por Heitor Leal

Márcio fez a captação de som direto no curta-metragem Poeira.

Márcio fez a captação de som direto no curta-metragem Poeira. Fotografia de Fernando Krum.


Oficina de audiovisual: conectando saberes


Fazer audiovisual vai muito além de simplesmente ligar uma câmera e contar uma história. Para explicar isso, entre os meses de agosto e outubro, iremos ministrar uma oficina de produção audiovisual para 25 jovens de escolas estaduais e municipais de Santa Maria. As turmas serão formadas por alunos do 8° e 9° ano  e EJA do ensino fundamental, e 1º ano de ensino médio. A oficina será nas segundas e quintas-ferias à tarde e em alguns sábados. No total serão 20 encontros, cada um com três horas de duração, com exceção dos sábados, em que a carga horário será de seis horas. As inscrições e seleções de alunos estão sendo realizadas diretamente com as escolas por meio da Secretaria Municipal de Educação. Serão cinco escolas no total. As atividades iniciam dia 14 de agosto e seguem até final de outubro.

As oficinas serão compostas por quatro módulos ministrados simultaneamente. De forma rotativa, cada grupo passará por  criação, linguagem, produção e gravação e edição. Dentro de cada módulo, os estudantes terão a oportunidade de entender como funcionam todas as etapas de uma produção audiovisual. Na criação, eles vão aprender sobre narrativa, técnicas de abordagem e também como colocar no papel suas propostas criativas. Com um aporte mais teórico, o módulo de linguagem vai ensinar o que de fato é o audiovisual, abordar sobre planos, enquadramentos e movimentos. No módulo produção, a criação e a linguagem são transportadas para as funções. É hora de colocar os conhecimentos em prática e também compreender as responsabilidades dessa etapa. E a edição vai focar em análise de roteiro, organização de arquivos, técnicas de corte de imagem e tratamento de som. Tudo será trabalhado com uma didática não-linear.

A ideia é a de que, a partir dessa oficina, os alunos organizem núcleos em suas escolas e compartilhem seus conhecimentos sobre audiovisual com os colegas. Para os jovens, ter um contato próximo com o processo de fazer audiovisual pode ser mais uma ferramenta educacional e cultural para ajudá-los a conectar e expandir os conhecimentos para além da sala de aula. A iniciativa integra o projeto Narrativas em Movimento desenvolvido pela TV OVO com aporte da Lei de Incentivo à Cultura.

Por Valdemar Neto
Foto Graziele Kemmerich

Oficina na escola Augusto Ruschi

Oficina na escola Augusto Ruschi


A feira que semeia histórias


Um documentário, assim como uma feira, não é feito da noite para o dia, e, também não é realizado apenas por uma pessoa. Nos dias 7, 8 e 9 de julho, a equipe da TV OVO esteve presente em mais uma Feira Internacional do Cooperativismo (Feicoop), onde conheceu histórias de produtores de diversas partes do Brasil e da América Latina.

Isso porque, em 2018, a feira completa 25 anos e a TV OVO irá transformar parte dessa trajetória em um registro audiovisual. Nestes anos, a Feicoop se consolidou, principalmente, como um espaço de diversidades culturais, articulações, debates e trocas de experiências entre empreendimentos ligados à economia solidária, que compreendem agroindústrias familiares, povos indígenas, catadores, quilombolas entre outros diversos movimentos sociais. Este ano, a 24ª edição da Feicoop reuniu expositores de mais de 500 municípios de todos os estados brasileiros e de mais de vinte países, como, por exemplo, África do Sul, Alemanha, Argentina, Chile, China, Colômbia, Costa do Marfim, Cuba, Equador, Espanha, Hungria, Itália, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal, Senegal e Uruguai.

A pré-produção do documentário iniciou em junho,quando foram feitas as primeiras entrevistas com os produtores locais no Feirão Colonial, que é realizado aos sábados, das 7h às 11h30min, no Centro de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter. As entrevistas com  participantes locais e de outros estados e países foram gravadas no último final de semana, além de imagens das diversas atividades. Foram 3 equipes de gravação com 11 pessoas envolvidas ao todo.

O documentário tem financiamento da Lei de Incentivo a Cultura (Lic/SM). O lançamento deverá ser na próxima edição da Feicoop entre os dias 12 e 15 de julho de 2018, em Santa Maria.

Por Pedro Piegas (texto e fotografia)

documentário feicoop


Exibição dos filmes sobre Santo Antão e São Valentim nas comunidades


Nos próximos dias a TV OVO vai exibir os documentários sobre os distritos de Santo Antão e de São Valentim nas respectivas comunidades. A exibição do filme sobre Santo Antão, que tem a direção de Marcos Borba, vai ser quarta-feira, dia 31 de maio, às 18h, no Salão da Capela de Santo Antão. Já o documentário sobre São Valentim, dirigido por Jaiana Garcia, terá o lançamento na comunidade na quinta-feira, 1º de junho, às 19h, no Salão da Igreja de São Valentim, na Colônia Toniolo. Haverá debate com a equipe de produção após a sessão.

Os dois filmes possuem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura (LIC/SM) e fazem parte do projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade, que retrata pessoas, lugares, memórias, histórias de Santa Maria: uma terra multifacetada em sua constituição, com diferentes identidades e vocação para o transitório.

Santo Antão – Sinopse

O distrito de Santo Antão é um lugar, como disse um morador, onde cada curva de estrada tem uma história para contar. As curvas guardam um pedaço do passado do país, nos rastros do caminho dos tropeiros para a feira de Sorocaba/SP; conservam os vestígios jesuítas da “salgadeira”; podem ser tristes como o asfalto que até hoje não chegou. Elas também foram abrigo do peregrino João Maria de Agostini, responsável por mobilizar milhares de fiéis em busca de cura, cuja fé perdura até hoje com a romaria de Santo Antão. O distrito de Santo Antão é um espaço rico nas histórias, nas pessoas, no potencial turístico e em segredos que talvez nunca sejam descobertos.

São Valentim - Sinopse

Foi pelas rodas das carretas que passavam pela região que o desenvolvimento chegou a Santa Maria. Onde hoje se localiza a sede do distrito de São Valentim, carreteiros faziam paradas para descanso na sombra, davam água aos bois e seguiam viagem. Vindas principalmente de São Gabriel, Rosário do Sul e Alegrete, as carretas foram as responsáveis, durante muito tempo, pela manutenção do ciclo econômico do município. Este documentário traz recortes dessas histórias que começam por volta de 1900, com a construção da casa da “esquina dos Toniolo” – o famoso ponto de encontro dos carreteiros – e que até hoje são parte da memória dos moradores não querem perder suas raízes.

 

Por Pedro Piegas

são valentim

Gravação no distrito de São Valentim