Notícias

Confira o trailer do documentário a Semi-lua e a Estrela


Um ano de produção, mais de 50 pessoas envolvidas, profissionais de três cidades – Caçapava do Sul, Santa Maria e Porto Alegre, doze tratamentos até a versão final do documentário, histórias, crenças, paixões, vidas… Assim se resume a realização do documentário A Semi-lua e a Estrela, que recupera a memória da corrida de cavalhadas, que há sete anos não ocorria em Caçapava do Sul. Um filme não apenas para falar das tradições, mas também para fazer história e reavivar a encenação do folguedo. A luta entre mouros e cristãos. A Semi-lua e a Estrela.marcio_gravação cavalhadasmarcio_gravação cavalhadas

Gravado entre maio e junho de 2013, o filme A Semi-lua e a Estrela é financiado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC-audiovisual), da Secretaria Estadual de Cultura (Sedac),  e é uma realização da TV OVO, com direção de Marcos Borba.

O pré-lançamento será realizado em março em Santa Maria e em Caçapava do Sul, em datas ainda a serem divulgadas. Entre março e maio deste ano ele será exibido na programação da TVE/RS, juntamente com os demais documentários aprovados no mesmo edital, na categoria Documenta Rio Grande.

Sinopse
Homens a cavalo empunhando espadas, lanças e pistolas, numa batalha em campo aberto. As cavalhadas são uma representação épica que ultrapassa fronteiras geográficas e temporais e que por muitos anos existiram em diversas cidades do Brasil. O folguedo, que reconta a história da luta entre mouros e cristãos durante as cruzadas de Carlos Magno na Europa do século VIII, se reinventa em pleno século XXI em Caçapava do Sul.

[youtube w2oqPnYR03w nolink]


Finalizadas as gravações do documentário A Semi-lua e a Estrela


Mouros conduzem a princesa Floripa. Fotografia: Paulo Silva

Uma guerra muito bonita. Sim, lutas quando encenadas como forma de relembrar o passado e manter viva a memória podem ser consideradas belas. Foi assim o embate entre mouros e cristãos no último sábado, 08 de junho, no Forte Dom Pedro II, em Caçapava do Sul. Cristãos, vestidos de azul, e mouros, vestidos de vermelho, contracenaram com um dia ensolarado, com nuvens pincelando o céu, num cenário de tirar o fôlego.

A teatralização do folguedo foi organizada para a gravação das últimas cenas do documentário A Semi-lua e a Estrela. Dirigido por Marcos Borba, o documentário que é um projeto da TV OVO, fala da tradição da corrida de cavalhadas na cidade.

Foram mais de 20 profissionais do audiovisual envolvidos na produção. Entre os equipamentos utilizados estavam uma câmera de cinema digital, um veículo aéreo não tripulável (Vant) e câmeras fotográficas DSLR que gravam em full HD.

O filme é um projeto aprovado via edital pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC-audiovisual), da Secretaria Estadual de Cultura (Sedac) do Rio Grande do Sul. A Semi-lua e a Estrela, marcas dos mouros e cristãos, respectivamente, terá 26 minutos e conta com um recurso de 40 mil reais para a sua realização.

Nos próximos meses o documentário entra em fase de edição. Ele deverá ficar pronto final de outubro e ser lançado com os demais documentários aprovados na categoria Documenta Rio Grande, do edital do FAC.

Felipe Rosa, operando câmera de cinema digital, e Maurício Canterle, dirigindo cena. Fotografia Paulo Silva