Notícias

A feira que semeia histórias


Um documentário, assim como uma feira, não é feito da noite para o dia, e, também não é realizado apenas por uma pessoa. Nos dias 7, 8 e 9 de julho, a equipe da TV OVO esteve presente em mais uma Feira Internacional do Cooperativismo (Feicoop), onde conheceu histórias de produtores de diversas partes do Brasil e da América Latina.

Isso porque, em 2018, a feira completa 25 anos e a TV OVO irá transformar parte dessa trajetória em um registro audiovisual. Nestes anos, a Feicoop se consolidou, principalmente, como um espaço de diversidades culturais, articulações, debates e trocas de experiências entre empreendimentos ligados à economia solidária, que compreendem agroindústrias familiares, povos indígenas, catadores, quilombolas entre outros diversos movimentos sociais. Este ano, a 24ª edição da Feicoop reuniu expositores de mais de 500 municípios de todos os estados brasileiros e de mais de vinte países, como, por exemplo, África do Sul, Alemanha, Argentina, Chile, China, Colômbia, Costa do Marfim, Cuba, Equador, Espanha, Hungria, Itália, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal, Senegal e Uruguai.

A pré-produção do documentário iniciou em junho,quando foram feitas as primeiras entrevistas com os produtores locais no Feirão Colonial, que é realizado aos sábados, das 7h às 11h30min, no Centro de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter. As entrevistas com  participantes locais e de outros estados e países foram gravadas no último final de semana, além de imagens das diversas atividades. Foram 3 equipes de gravação com 11 pessoas envolvidas ao todo.

O documentário tem financiamento da Lei de Incentivo a Cultura (Lic/SM). O lançamento deverá ser na próxima edição da Feicoop entre os dias 12 e 15 de julho de 2018, em Santa Maria.

Por Pedro Piegas (texto e fotografia)

documentário feicoop


25 anos de FEICOOP nas telas


Um dos eventos mais tradicionais de economia solidária em Santa Maria e o maior da América Latina completa, em 2018, 25 anos. Para ajudar a marcar essas mais de duas décadas de atividade, seremos parceiros na realização de um documentário que contará essa trajetória.

A 24ª Feira Internacional do Cooperativismo e a 13ª Feira Latino Americana de Economia Solidária, que ocorrem entre os dias 7 e 9 de julho de 2017, serão palco para captação de imagens e depoimentos. O projeto do documentário FEICOOP: 25 anos de Cultura e Cooperativismo também contará com cenas de arquivo da TV OVO. Toda a produção, que tem financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria, ocorre este ano para que o filme seja lançado em 2018, durante as comemorações do aniversário.

Além da comercialização dos produtos da economia solidária, as mostras artísticas e culturais também terão espaço garantido no vídeo. Músicas, danças e apresentações étnicas dos participantes que movimentam os três dias de feira.

O documentário é mais uma forma de mostrar a importância desse evento para Santa Maria, que a cada ano traz para a cidade pessoas de todo o Brasil e do mundo para compartilhar produtos e experiências da economia solidária e do cooperativismo, que se refletem para além das datas da feira – são modos de vida.

Texto por Heitor Leal

Foto de Victória Holzbach (Caritas Passo Fundo)

feicoop


Uma feira de ideias


Um grande espaço de debates, conscientização, práticas libertadoras, trocas de experiências, de convivência fraternas entre várias culturas. O maior evento solidário da América Latina extrapola a comercialização direta e busca transformar o mundo.

A 23ª Feira Internacional do Cooperativismo (FEICOOP) e a 12ª Feira Latino Americana de Economia Solidária iniciaram sua programação no dia 08 de julho, sexta-feira, e se estendeu até o último domingo, dia 10.  As atividades foram realizadas no Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter – Rua Heitor Campos, no Bairro Medianeira.

O evento é organizado anualmente pelo projeto Esperança/Cooesperança em parceria com várias entidades. A Feira de 2016 foi planejada desde o final do ano passado e contou com a presença de expositores de diferentes regiões do país, de outros países da América Latina e de outros continentes como Europa e África. Conheça mais sobre o projeto: www.esperancacooesperanca.org

Segundo a coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança e vice-presidente da Cáritas Brasileira, irmã Lourdes Dill, a organização da Feira é como uma engrenagem. Se uma parte não funciona, o resto também para de funcionar. “Nós batalhamos para fazer a feira e as pessoas que participam também tem que batalhar. Não é barato. Tudo que se gasta, em hospedagem, alimentação e transporte. Mas mesmo assim, as pessoas querem vir e isso é o que contagia a gente a lutar pra fazer o evento” comenta Lourdes.

A programação deste ano trouxe atividades culturais, seminários, oficinas e, é claro, a comercialização dos produtos trazidos pelos expositores. Frutos da agroindústria familiar, hortifrutigranjeiros, peças de artesanato, plantas ornamentais e alimentação. Dentre as atividades culturais, estavam incluídas apresentações de grupos de dança e música, mostra de vídeos e a participação de grupos culturais, com o Grupo Cultural Indígena Kaigang.

Irmã Lourdes afirma que a Feira tem um papel importante para a economia do local, mas muito mais do que isso tem papel social e solidário, de formação, proposta de mudança de vida e de luta em sociedade. A primeira edição da FEICOOP aconteceu em 1994 no dia em que foi instaurado o Plano Real no Brasil e no ano que vem completa vinte e cinco anos. “É lindo demais, é uma coisa que não tem preço que pague!”, conclui a irmã.

Quem foi à Feira no último final de semana pôde apreciar boa música, desfrutar da infinidade de produtos comercializados, passear, e ainda conhecer diferentes culturas. Gente daqui da região e de outros lugares do Brasil e do mundo estavam lá, trocando ideias, experiências e mostrando traços típicos de suas etnias. Nos pavilhões da FEICOOP foi possível vivenciar uma experiência de transformação, onde milhares de pessoas partilharam um espaço rico em cores, sabores, culturas diferentes e solidariedade.

O mau tempo em Santa Maria não prejudicou o sucesso da Feira, que teve o maior público de todas as edições. Os visitantes não se intimidaram com a chuva ou o barro no Parque da Medianeira e garantiram uma movimentação constante nos pavilhões, oficinas e seminários. A Feira traz para a cidade uma oportunidade única. De formação, troca de conhecimento, outro olhar para a economia e de um conjunto de culturas reunidas no mesmo espaço. Vida longa à Feira do Cooperativismo!

 

Confira as (outras) atividades que aconteceram durante esses três dias

12ª Feira Latino Americana de Economia Solidária – ECOSOL

23ª FEICOOP – Feira Internacional do Cooperativismo

16ª Mostra da Biodiversidade e Feira da Agricultura Familiar

12º Seminário Latino Americano de Economia Solidária

12ª Caminhada Ecumênica e Internacional pela PAZ e Justiça Social

12º Acampamento do Levante Popular da Juventude

 

Texto: Julia Machado

Imagem: Fanpage  Feicoop

22 edição FEICOOP 2015 - Imagens Fanpage FEICOOP


Em pauta a Lei Cultura Viva RS


Durante a 11ª Feira Latino-Americana de Economia Solidária e a 22ª Feira Internacional do Cooperativismo, foi realizado, em Santa Maria, o I Seminário Lei Cultura Viva RS. Durante o evento, que contou com a participação de mais de 40 pessoas, os participantes debateram sobre a implementação da Lei 14.663/2014 que foi sancionada em 30 de dezembro do ano passado.

Acerca da lei, discutiu-se o cadastro de Pontos de Cultura, Comitê Gestor e o Objeto Financeiro da Política Estadual Cultura Viva RS. Além dos debates, o público presente também participou de uma oficina sobre os editais do Ministério da Cultura para Pontos de Cultura Indígena, Pontos de Mídia Livre e Redes, conduzida pela Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural.

Esse foi o primeiro de um total de seis seminários previstos no Rio Grande do Sul, que é o único estado brasileiro a ter uma Lei Cultura Viva estadual.

Seminário Lei cultura viva rs


Seminário Lei Cultura Viva RS em Santa Maria


Neste, sábado, 11 de julho, será realizado o I Seminário Cultura Viva RS durante a 11ª Feira Latino Americana de Economia Solidária e 22ª Feira Internacional do Cooperativismo. A atividade é organizada pela representação da Região Centro na Comissão RS e pela TV OVO para compor o Comitê Gestor da Política Cultura Viva Estadual, conforme prevê a lei 14.663.

Estão convidados os Pontos de Cultura e todos fazedores de cultura interessados na Cultura Viva, mais a Secretaria Estadual de Cultura, a Representação Regional Sul do MINC, a Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa e o CODIC FAMURS, que com as indicações da Comissão RS dos Pontos de Cultura comporão o Comitê Gestor.

Cabe lembrar que no dia 30 de dezembro de 2014 foi sancionada no Rio Grande do Sul a Lei Cultura Viva RS, sendo esta a primeira Lei Cultura Viva em um Estado. E antes, em julho de 2014 , a Lei Cultura Viva Nacional foi sancionada pela Presidência da República.

Programação do Seminário Lei Cultura Viva RS – Santa Maria

08:30 – Credenciamento

09:00 – Mesa de Abertura

09:45 – Apresentação da Política Estadual de Cultura Viva – Lei Nº 14.663, de 30/12/2014.

11:15 – Exibição do documentário “Ao Sul de um Movimento” 40min – Direção Priscila Costa, Produção Pontão de Cultura FOCU/TV OVO.

12:00 – Intervalo para almoço

14:00 – Intervenção do Grupo Ginga Bale – Grupo de Dança Afro Brasileira.

14:10 – Grupos de Trabalho: cadastramento, Comitê Gestor, objeto de financiamento

16:00 – Oficina Editais do Ministério da Cultura

18:00 – Encerramento

 

Banner seminário lei cultura viva


Abertas as portas da 19ª Feicoop e da 8º Ecosol


Hortifrutis sem agrotóxicos serão vendidos especialmente no sábado, dia 14, pela manhã. Foto: Júlia Schnorr

Começou às 8h de hoje, em Santa Maria, o maior evento de Economia Solidária da América Latina. Entre os dias 13 e 15 de julho mais de 160 mil visitantes devem passar pela 19ª Feira Estadual do Cooperativismo (Feicoop) e 8ª Feira de Economia Solidária do Mercosul (Ecosol). Conforme a Brigada Militar, no ano passado o público total foi de 151 mil pessoas.

Cerca de 800 expositores estão distribuídos no Centro de Referência em Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, que fica na Rua Heitor Campos, no Bairro Medianeira. Neste ano, o espaço tem mais de 20 mil metros quadrados de cobertura.

Além da comercialização de produtos de integrantes da agricultura familiar, agroindústrias familiares, povos indígenas, trabalhadores do campo, entre outros, a programação está recheada de atividades como seminários e oficinas para promover debates e troca de experiências. O objetivo do evento é motivar a consciência de um comércio justo, consumo ético e solidário, no fortalecimento da segurança alimentar nutricional sustentável. A abertura oficial será hoje, às 16h.

Em paralelo, também ocorrerão a 11ª Feira Nacional de Economia Solidária, 12ª Mostra da Biodiversidade e Feira de Agricultura Familiar, 8º Seminário Latino Americano de Economia Solidária, 8ª Caminhada Internacional e Ecumênica pela Paz e 8º Levante da Juventude. Os eventos são promovidos pelo Projeto Esperança/ Cooesperança, da Arquidiocese de Santa Maria, com apoio da Prefeitura Municipal.

Mais informações com a assessoria de imprensa do evento pelo telefone (55) 9681-1384.

Texto: Alessandra Noal – Repórter TV OVO

Confira a cobertura colaborativa da TV OVO durante a 17ª Feicoop clicando aqui.