Notícias

A construção do Sobrado Centro Cultural


“Quando Evandro Ribeiro mandou fazer esse casarão em 1916, exatos 100 anos, ele não sabia que estava ajudando a dar rosto, a dar fisionomia ao momento urbano da nossa cidade, ele não sabia que estava ajudando a imprimir a digital da nossa identidade e do nosso passado ferroviário. Em 1996, precisamente no dia 12 de maio, portanto há exatos 20 anos, quando Paulo Tavares reuniu um grupo de garotos lá na Vila Caramelo, ele provavelmente não sabia a extraordinária aventura que ele estava começando para retirar jovens da periferia do desalento e do desamparo e oferecendo caminhos e possibilidades para eles. Quando eu comprei essa casa aqui, eu só queria salvar um casarão da ruína. Eu não sabia que seria o ponto de conexão dessas duas histórias tão fabulosas.”

Foi com essas palavras que, em 12 de maio de 2016, o jornalista Marcelo Canellas fez da casa do poeta Evandro Ribeiro a casa oficial da TV OVO, nosso viveiro de sonhos, segundo Paulo Tavares.

Em solenidade, com a presença de  amigos, diversos produtores culturais e autoridades do município, Marcelo Canellas assinou o documento que transfere a posse do sobrado, localizado na esquina da rua Floriano Peixoto com a Ernesto Becker, para a TV OVO, que ocupava o casarão desde de 2011, quando foi acertada a parceria entre Canellas e a instituição.

Com a transferência do casarão, a TV OVO ganhou um espaço que agora pode chamar de seu, mas que também é de todo santa-mariense. Estavam presentes aproximadamente 80 pessoas para a apresentação do projeto de Restauro do Sobrado Centro Cultural,coordenado pelos arquitetos Clarissa Pereira e Daniel Pereyron que contaram com a ajuda de colaboradores que se somaram durante o período de elaboração.

O projeto apresentado prevê dois espaços. Um deles é a restauração do casarão que abrigará o museu da imagem e do som, cineclube, biblioteca do audiovisual, café cultural e espaço para exposições. O outro ambiente será um prédio, aos fundos, com salas de aulas, estúdios de TV, cinema e áudio e espaço para apresentações teatrais.

“O Sobrado Centro Cultural pode ser um espaço de reflexão e crítica ao jornalismo que é feito pelos meios tradicionais, e de novos caminhos para uma profissão que está mudando quanto à gestão de negócios, à plataformas e modos de fazer”, foram as palavras finais da fala de Marcelo Canellas.

Até o final de julho, as equipes do escritório de arquitetura Smarqs e Simultânea Engenharia trabalham nos projetos estrutural e complementares para, após esta etapa, a TV OVO iniciar a captação de recursos em leis de incentivo. Além do direcionamento de recursos por meio de mecanismos de fomento, pessoas físicas e jurídicas também pode fazer doações diretas para construção do Sobrado Centro Cultural de fato.

Por Helena Moura, Laura Boessio e William Boessio

Fotografia de Julia Machado

Assinatura da escritura de doação do imóvel.

Assinatura da escritura de doação do imóvel.


Sobrado como Centro Cultural



Anoitecia em Santa Maria. Os preparativos para o lançamento dos documentários da TV OVO agitavam o casarão da esquina das ruas Floriano Peixoto e Ernesto Beck. O público estava ansioso para visitar os escombros do Sobrado, antigo casarão construído em 1916, na época dourada da viação férrea na cidade.

A trupe Saca-rolhas preparou uma intervenção artística que remeteu aos anos em que o casarão tinha teto, janelas e portas. Enquanto um grupo circulava pelo Sobrado e participava da atividade, outro aguardava no pátio ao lado. Os atores perguntavam aos participantes:

- Alguém lembra do Sobrado? Existiam cinco sacadas: uma, duas, três, quatro, cinco! Você já esqueceu do Sobrado?

A intenção da intervenção foi preparar o terreno para o lançamento documentários, que têm tudo a ver com as memórias de diversos bairros de Santa Maria. No momento em que se fala sobre o passado, não é objetivo do projeto tentar contá-lo da maneira como ocorreu, mas sim se pretende mostrar a relação do presente, dos moradores, com esse passado histórico.

Após a atividade cênica, todos foram convidados a conhecer o galpão (sim, o mesmo do Teto para TV OVO!). Lá, para a surpresa e alegria das crianças presentes, havia um pipoqueiro. Seu Aldino* fez pipocas durante toda a noite, garantindo uma ótima sessão de filmes.

Foram apresentadas seis produções realizadas ao longo de 2011 pelo projeto ”Por onde passa a memória da cidade”, aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura. Foram exibidos dois documentários, ”Qu4tro mistérios do Rosário” e ”Nos trilhos do Itararé”, além de 4 mini-documentários da série ”No meu tempo”, que busca valorizar a história de vida de pessoas que tenham relação com Santa Maria.

Embora as reformas estejam ainda no início, o espaço foi ocupado e a atividade deu início ao Sobrado como Centro Cultural.

Que vocês acharam?

*Quem quiser contratar o pipoqueiro Aldino, os telefones para contato são 84188707 e 32121483.

Fotos: Júlia Schnorr