Notícias

TV OVO é parceira na realização de debate sobre audiovisual


Na próxima segunda-feira, dia 20/06, às 14h, será realizado em nossa sede o Fórum de Debate sobre Audiovisual, organizado por alunas do terceiro semestre do curso de Relações Públicas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), com orientação do professor Flavi Ferreira Lisboa.

O objetivo do Fórum visa proporcionar conhecimento sobre o mercado audiovisual. Os convidados para o debate são representantes de diferentes grupos que trabalham com audiovisual em Santa Maria: o Estúdio 21, ligado ao Departamento de Comunicação Social da UFSM, a Toca Audiovisual, produtora audiovisual, e nós, TV OVO.

Além de discutir o cenário atual, os representantes de cada grupo abordarão assuntos como os processos e ferramentas de produção audiovisual, a importância e o impacto deste tipo de comunicação e, também, a formação do profissional desta área.

Por Laura Boessio
Imagem: Divulgação do evento

Fórum RP


TV OVO no Mobrec 2016


O núcleo santa-mariense do Movimento Brasileiro de Educadores Cristãos (Mobrec) realizou o XVI Congresso Internacional de Educação Popular, o XXV Seminário Internacional de Educação Popular, o III Seminário Internacional Sindical e oIII Seminário Internacional de Educação Profissional do Instituto Federal Farroupilha, de 07 a 10 de junho.

A programação contou com diversas mesas, conferências e intervenções artísticas durante esse período. O propósito do Mobrec é unir forças para refletir e debater questões ligadas a educação, cultura e cidadania, pensando a qualificação dos educadores e a transformação da sociedade através da educação e do conhecimento.

Neste ano, o jornalista e associado da TV OVO Marcos Borba participou como mediador do debate As mídias como instrumento do desenvolvimento do pensamento reflexivo, dentro do eixo de Educação Popular e as possíveis revelações do conhecimento. A TV já havia participado do evento em 2012 e no ano passado, quando o assunto foi Construindo caminhos possíveis na educação de qualidade.

Segundo Borba, o congresso possibilita uma troca de experiências a fim de aperfeiçoar o trabalho nos espaços de formação, assim como na TV OVO, e também refletir sobre o papel da educação, da cultura e da comunicação na formação dos cidadãos. “Para a TV OVO, além de apresentar o trabalho que desenvolvemos, o Mobrec fortalece nossa veia de Educomunicação e também capacita o nosso trabalho pedagógico. Os nossos 20 anos de experiência também podem motivar outros projetos a seguirem em frente no caminho da comunicação comunitária, da educomunicação e da cidadania”, relata o jornalista.

O tema proposto no debate, segundo Marcos, é muito rico e permite um mergulho mais profundo na apreciação sobre a contribuição e o dever das mídias na educação e no processo de produção de conhecimento na sociedade. Ou seja, o nosso papel. “Dialogar com os jovens sobre o papel da comunicação e cultura na sociedade, a partir da experiência da TV, é desafiador e motivador, especialmente porque nós queremos ampliar os espaços e as ações de formação dentro da TV OVO”, concluiu Borba.

Por Julia Machado

mobrec


Videoclipe “O Rei dos Excluídos” é gravado no Sobrado


Na fria noite de 5 de junho, domingo, o Sobrado da Rua Floriano peixoto esquina com Ernesto Becker foi cenário da gravação do videoclipe da música O Rei dos Excluídos, de Diego Lopes. A  direção do clipe ficou a cargo de Fernando Codevilla e a TV OVO entrou como parceira neste projeto, tendo na direção de fotografia Alexsandro Pedrollo, na assistência Marcos Borba e na produção Neli Mombelli.

Diego Lopes, conhecido por ser o baixista da banda Acústicos e Valvulados, está lançando seu segundo disco solo, chamado Tabuleiro. Após receber grandes críticas ao seu primeiro álbum, Diego ficou com grandes dúvidas se conseguia mesmo fazer música. Para buscar as respostas decidiu fazer exatamente isso: música – e foi assim que surgiu o Tabuleiro.

O álbum não trata somente de responder às críticas recebidas, mas também aborda assuntos universais.  Na verdade, não há uma interpretação única. Tudo depende de quem ouve, de como o ouvinte encaixa a letra e a melodia na sua vida. O músico salienta que os dois discos retratam a época de sua vida em que foram gravados. O segundo disco traz um certo amadurecimento: Diego está casado, com filho, e isso se reflete em seu trabalho.

Ao falar sobre a música do videoclipe, O Rei dos Excluídos, o Diego diz que ela não é sobre alguém em específico, e sim sobre todos nós. Para ele, é sobre alguém que não se mexe para fazer nada e ainda assim se acha o cara. “Acho que todo mundo conhece alguém que acha que sabe tudo, pode tudo, mas só não faz nada porque nada vale a pena fazer”, comenta Diego. É a partir  disso que o diretor do videoclipe, Fernando Codevilla, explica o conceito do cenário – um local em ruínas. O espaço “traz essa noção de ausência de movimento. Um homem está sentado em meio a sua casa em ruínas e não faz nada para mudá-la”.

Diego Lopes diz que adora Santa Maria e a ideia de gravar na cidade veio do Fernando, que já era amigo de Diego. O Tabuleiro mesmo era um lugar em Júlio de Castilhos, cidade da família do músico. O álbum foi produzido de maneira independente e está sendo divulgado pelo meio digital, pois, segundo Diego, no corre-corre atual, não são muitas as pessoas que param para escutar um disco inteiro, faixa por faixa, mas que mesmo assim optou por gravar um disco. Ele  revela, rindo, que fez um álbum todo, pois tinha muito o que falar.

Sobre o cenário musical, Diego lembra que antes dos álbuns serem tão importantes, no final dos anos 60, os principais trabalhos dos artistas eram em singles. Só se fazia discos completos quando os singles rendiam. Até mesmo os Beatles lançaram várias músicas que não entraram para seus álbuns. Ele acredita que estamos voltando para esta fase de singles.  Enquanto isso, em breve o álbum Tabuleiro deverá estar em lojas físicas como Livraria Cultura, Saraiva e Multisom.

Por Nicoli Saft
Fotografia de Fernando Codevilla

rei dos excluidos


Um dia para cantar os 20 anos e o fazer cultural


Se a TV OVO completou 20 anos na quinta-feira, 12 de maio de 2016, vale lembrar que Paulo Tavares, quem lançou nossa pedra fundamental sem nem imaginar, esteve de aniversário na terça-feira, dia 10 de maio, e Marcos Borba, outro nome cuja história se confunde com a da TV, assoprava suas velinhas no dia 14 de maio. Assim, com tantos aniversários, não havia como não comemorar em grande estilo: um palco aberto com a rua e os morros ao fundo emolduraram as apresentações de Guantánamo Groove, Pirisca Grecco e Pegada Torta, bandas que se formaram em Santa Maria para produzir cada uma a sua música, e que aceitaram subir ao palco para um público de cerca de 500 pessoas em frente ao Sobrado, todo iluminado pelo videomapping dos também santa-marienses  Fernando Krum e Fernando Codevilla.

O palco e a fachada do casarão também serviram para protestos contra o fim do Ministério da Cultura com as hashtags #ficaMinc e #lutopelacultura. A medida tomada no primeiro dia do governo interino de Michel Temer (PMDB), uma sexta-feira 13, foi considerada por aqueles que atuam no cenário cultural brasileiro como um retrocesso, tendo sido sustentada por um simples argumento de “corte de gastos”. Criado ainda no governo Sarney, O Ministério da Cultura somente teve caráter de secretaria nos anos de Fernando Collor, retirando do segmento cultural sua autonomia de gestão e o transformando em mera secretaria do Ministério da Educação.

Após a mobilização dos artistas, produtores culturais e movimentos sociais – e visando reduzir as críticas sobre seu governo – Temer voltou atrás e recriou o Ministério da Cultura no dia 21 de maio, após ter nomeado Marcelo Carneiro para secretário de cultura, passando então Marcelo ao cargo de ministro. Resta agora saber como será a gestão do Ministério.

Por William Boessio
Fotografia de Neli Mombelli


A construção do Sobrado Centro Cultural


“Quando Evandro Ribeiro mandou fazer esse casarão em 1916, exatos 100 anos, ele não sabia que estava ajudando a dar rosto, a dar fisionomia ao momento urbano da nossa cidade, ele não sabia que estava ajudando a imprimir a digital da nossa identidade e do nosso passado ferroviário. Em 1996, precisamente no dia 12 de maio, portanto há exatos 20 anos, quando Paulo Tavares reuniu um grupo de garotos lá na Vila Caramelo, ele provavelmente não sabia a extraordinária aventura que ele estava começando para retirar jovens da periferia do desalento e do desamparo e oferecendo caminhos e possibilidades para eles. Quando eu comprei essa casa aqui, eu só queria salvar um casarão da ruína. Eu não sabia que seria o ponto de conexão dessas duas histórias tão fabulosas.”

Foi com essas palavras que, em 12 de maio de 2016, o jornalista Marcelo Canellas fez da casa do poeta Evandro Ribeiro a casa oficial da TV OVO, nosso viveiro de sonhos, segundo Paulo Tavares.

Em solenidade, com a presença de  amigos, diversos produtores culturais e autoridades do município, Marcelo Canellas assinou o documento que transfere a posse do sobrado, localizado na esquina da rua Floriano Peixoto com a Ernesto Becker, para a TV OVO, que ocupava o casarão desde de 2011, quando foi acertada a parceria entre Canellas e a instituição.

Com a transferência do casarão, a TV OVO ganhou um espaço que agora pode chamar de seu, mas que também é de todo santa-mariense. Estavam presentes aproximadamente 80 pessoas para a apresentação do projeto de Restauro do Sobrado Centro Cultural,coordenado pelos arquitetos Clarissa Pereira e Daniel Pereyron que contaram com a ajuda de colaboradores que se somaram durante o período de elaboração.

O projeto apresentado prevê dois espaços. Um deles é a restauração do casarão que abrigará o museu da imagem e do som, cineclube, biblioteca do audiovisual, café cultural e espaço para exposições. O outro ambiente será um prédio, aos fundos, com salas de aulas, estúdios de TV, cinema e áudio e espaço para apresentações teatrais.

“O Sobrado Centro Cultural pode ser um espaço de reflexão e crítica ao jornalismo que é feito pelos meios tradicionais, e de novos caminhos para uma profissão que está mudando quanto à gestão de negócios, à plataformas e modos de fazer”, foram as palavras finais da fala de Marcelo Canellas.

Até o final de julho, as equipes do escritório de arquitetura Smarqs e Simultânea Engenharia trabalham nos projetos estrutural e complementares para, após esta etapa, a TV OVO iniciar a captação de recursos em leis de incentivo. Além do direcionamento de recursos por meio de mecanismos de fomento, pessoas físicas e jurídicas também pode fazer doações diretas para construção do Sobrado Centro Cultural de fato.

Por Helena Moura, Laura Boessio e William Boessio

Fotografia de Julia Machado

Assinatura da escritura de doação do imóvel.

Assinatura da escritura de doação do imóvel.