» Um escritor inquieto no Livro Livre

Um escritor inquieto no Livro Livre maio 9, 2012


Ele queria ser músico, mas não sabia cantar. Inquieto, Gabito Nunes sempre procurou um jeito de se expressar. Foi na pré-adolescência que descobriu esse jeito: escrever. Já que o seu único talento para a música era com a gaita de boca, que não permite que se cante ao mesmo tempo em que se toca o instrumento. O garoto também achava que era o Jim Morrison. Andava sempre com um caderno para escrever e se trancava no banheiro com amigos para recitar “poemas” no estilo de “Sociedade dos Poetas Mortos”.

Gabito Nunes foi o convidado de mais um bate-papo do Livro Livre, onde contou essas e muitas outras histórias.  O porto-alegrense já publicou dois livros de micro-contos – A manhã Seguinte sempre Chega e Não sou Mulher de Rosas – e um e-book de crônicas – Tudo o que Sobrou.  Além disso, ganhou o top blog 2010 com o extinto Caras como eu e é considerado um dos cronistas de maior empatia na web.

No início, ele pensou que queria ser jornalista, mas não se adaptou ao formato rígido da profissão. O autor queria mais que aquilo. Buscou a publicidade e chegou a montar uma agência, mas ainda queria mais. Começou a escrever o blog Caras como eu e decidiu pela escrita como forma de vida.  Embora tenha declarado que a escrita não seja algo que se escolhe ou se tenha muito controle.

As novas mídias fizeram com que ele fosse um escritor um pouco diferente do convencional. A internet foi a principal forma que ele encontrou para divulgar seu trabalho.  Gabito Nunes acredita que ela tem as mesmas possibilidades de qualquer outro meio de comunicação, com a diferença de que todos podem acessar e publicar. Além disso, sobre as cópias, acredita que o que alguém escreve não é da pessoa, mas do mundo.

Depois de escrever para o mundo só textos curtos durante um longo período, o escritor resolveu ir além mais uma vez e se reinventar: em breve lançará seu primeiro romance: Ao norte de mim mesmo. As inspirações para escrever vêm de autores como Jack Kerouac e Nick Hornby e também da música, que faz parte de muitos de seus trabalhos.

Ao final do bate-papo, Gabito Nunes incentivou aqueles que também têm o sonho de escrever e lembrou ao público o quanto é importante ser inquieto e querer sempre mais da vida. Nem precisava, a vida dele já havia deixado isso claro.

Para quem quiser saber ou ler mais sobre o cara e sua obras:  http://www.gabitonunes.com.br

Para quem quiser ler sua telenovela: http://julietenuncamais.gabitonunes.com.br/

Texto: Ananda Delevati

Tags:, , , ,
Postado por: Neli Mombelli

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *