Notícias

Cinema para todos


Durante o 9º SMVC, o apoiador Kalu pouco era visto na Praça Saldanha Marinho, onde ocorreram as mostras competitivas de Santa Maria e região e Nacional. O educador rodou muitos quilômetros, visitando bairros, como Itararé e Por do Sol, e distritos, como o Passo das Tropas. O objetivo principal: descentralizar o Festival, levar o cinema até as pessoas que não tem como ir até a praça. Com uma programação distinta da que ocorreu no centro da cidade, a mostra nos bairros foi realizada em 22 locais diferentes.

A atividade mais procurada foi a Mostra Cineclubinho, onde crianças puderam ter contato com o formato curta-metragem e também com o cineclubismo. Improvisado com lonas ou projetado na própria parede, como na foto ao lado, o conjunto de curtas tiveram duração de até 40 minutos e contaram com centenas de olhos atentos.

Veja o vídeo da Mostra Cineclubinho na Escola Municipal João da Maia Braga, no Passo das Tropas.

[youtube QfCUfeg8IaM nolink]

Texto: Júlia Schnorr

Fotografia: Marcelo Cabala

Vídeo: in créditos


Audiovisual como construção coletiva


Oberá é uma cidade de pequeno porte da província de Misiones, na Argentina. Com grande influência indígena, é nessa cidade que a Productora de la Tierra busca despertar olhares diversos para o audiovisual. Para Axel Monsú, coordenador geral do Festival Oberá em Cortos (veja site), o objetivo da ONG também é visibilizar a perspectiva da juventude sobre distintos temas. Nesse ano, o Cine Joven, principal projeto da Productora de la Tierra, trabalha com a temática da água e do meio ambiente.

Durate o 9º Santa Maria Vídeo e Cinema  (SMVC), curtas e documentários de diversos países foram exibidos no auditório da CESMA – Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria. Desde 2007 há troca de produções audiovisuais entre os festivais de Santa Maria e de Oberá, reforçando a construção coletiva, assim como a colaboração entre realizadores.

Texto: Júlia Schonnor

Fotos: Marcelo Cabala

Colaboração: Paulo Teixeira


SMVC em imagens: melhores momentos do segundo dia de Festival


Todas as noites, antes do início da Mostra Competitiva, o público pode conferir uma síntese das melhores imagens dessa 9° edição do Santa Maria Vídeo e Cinema. Mas quem não esteve presente, ainda pode conferir as imagens dos Festival, no segundo vídeo da semana.

Mostra Cinefoot, Mostra Competitiva de terça-feira, dia 31, e entrevistas com o Ronaldo Adriano, realizador do curta-metragem ¨Vestígios do Tempo¨, Gilvan Dockhorn, professor e cineclubista, Antonio Leal, homenageado, e Sáskia Sá, júri da Mostra Competitiva de Santa Maria e região compõe o vídeo que foi apresentado na quarta-feira, dia 1° de setembro.

Confira!!

[youtube yPprgr5_3Ug nolink]

Texto: Priscila Costa

Foto: Marcelo Cabala

Vídeo: in créditos


Cineclube Abelin no SMVC


De acordo com a estimativa do IBGE de 2009, Silveira Martins, um dos berços da colonização italiana no Rio Grande do Sul, tem menos de 3 mil habitantes. Nos últimos meses, a pequena cidade passou a ter um pólo da Universidade Federal de Santa Maria, com sede no antigo Colégio Bom Conselho (foto ao lado), o que fez com que vários estudantes do município ou da região fossem realizar seus estudos acadêmicos por lá. A partir do dia 15 de setembro, Silveira Martins vai contar ainda com sessões cineclubistas todas as terças-feiras, às 19h, no auditório da escola. O Cineclube Aberlin nas Nuvens surge com a proposta de levar produções audiovisuais e debates sobre cinema para a população local.

Na última quarta-feira, relacionado com o 9º Festival Vídeo e Cinema de Santa Maria, ocorreram duas sessões da Mostra Cineclubinho para 180 crianças de escolas de Silveira Martins. Quando as portas do auditório se abriram, as crianças correram para pegar o melhor lugar para assistir os curtas. Muitas, que nunca foram ao cinema, se encantaram com ”Sweet Karolyne”, produção paraibana, e com as animações ”Um dragão no meu baú” e ”Conquistadores”. Entretanto, o curta que as crianças mais gostaram foi ”Leonel Pé de Vento” (veja site).

Premiado no 7º Festival Vídeo e Cinema de Santa Maria e dirigido por Jair Giacomini, o curta-metragem conta a história de Leonel, um menino que vive na região de Vale Vêneto e é ignorado por muita gente por não ter, literalmente, os pés no chão. Leonel vive isolado, dormindo ou lendo nas nuvens. A história conta sua superação e o auxílio fundamental que recebe de uma amiga, a Mariana. É uma ótima história que encanta pela temática da diversidade cultural, pela trilha sonora e ilustração e ainda mais pelo exemplo de vida.

Texto: Júlia Schnorr

Fotos: Prefeitura Municipal de Silveira Martins e Júlia Schnorr



Mostra AUGM: união das universidades Latino Americanas


Nas tardes do 9º SMVC é realizada a mostra da Associação das Universidades do Grupo de Montevidéu (AUGM, ver site), parte do fórum “Entre fronteiras”. A AUGM reúne 25 universidades da América Latina e divide-se em diversos núcleos e comitês acadêmicos. Um deles é o Comitê de  Produção Artística e Cultural, o qual é responsável pela mostra.

Segundo o professor Daniel Morales, Pró-Reitor de Extensão da Universidade Federalde Santa Maria e idealizador da mostra, a exibição audiovisual foi a maneira mais prática encontrada para justificar o trabalho de extensão. Ao comunicar à Associação sobre a intenção de criar essa mostra, o primeiro retorno surgiu da Universidad Nacional del Litoral, de Santa Fé, Argentina. A partir desse contato, passaram a pensar na escolha dos filmes. Um dos critérios é que a produção não fosse parte e nem destinada ao circuito comercial.

A idéia inicial era de que os filmes teriam de ser legendados. Na exibição desta quinta-feira foi diferente. O audiovisual “La Reforma”, fora apresentado sem legendas e com áudio original, em “castelhano”. “Serve para justificar o ‘entre fronteiras’. A falta de legendas atua como uma quebra de barreiras”, explica Morales. Para ser escolhida, a produção deve ter relação com a realidade na qual, as universidades estão inseridas.

O filme argentino trata da reforma universitária ocorrida na Argentina no início do século passado, onde estudantes universitários foram a luta por universidade para todos. “Falar em reforma universitária é falar em reforma social”, define o pró-reitor. Conforme o idealizador “Gerar vínculo entre universidade e comunidade não acadêmica é necessário. De outra forma não teria significado”. Como professores, Gilvan e Daniel percebem que os acadêmicos estão cada vez mais novos e com pensamentos de realizar projetos imediatos e individuais. A esse comportamento, atribuem a desmobilização e despolitização na universidade. “O que vale para a maioria hoje, é o projeto pessoal. O coletivo está esquecido”, relata Daniel Morales.

Dentro de comunidade não acadêmica é possível destacar os parceiros que tornam viáveis o projeto. “A CESMA (ver site) e o próprio SMVC são parceiros fundamentais”, destaca o organizador da mostra, Gilvan Dockhorn. Ele ainda afirma que “não se pode pensar na região centro do estado sem mencionar a UFSM”, e completa ressaltando que em “nenhum momento se fala apenas de produção audiovisual”. A mostra busca projetos culturais que dialoguem com a cultura e identidade local, que tenham a ver com o processo de educação, ou seja, pode ser teatro, literatura ou música. “A intenção é integrar, universidade, comunidade e cultura”, explica Dockhorn.

Confira abaixo, entrevista realizada no dia 31 de agosto, na abertura da Mostra AUGM, no auditório João Miguel de Souza, Centro Cultural CESMA.

[youtube ns9kbQJFSgY nolink]

Texto: Paulo Cadore

Vídeo: in créditos


Fórum dos Festivais: a importância dos festivais no cinema brasileiro


Antônio Leal, um dos diretores do Fórum dos Festivais, esteve presente no SMVC para falar sobre a importância dos festivais audiovisuais para o cinema nacional. Leal se diz um privilegiado por conseguir acompanhá-los pelo Brasil e ressalta o crescimento do número dos festivais de cinema no circuito nacional (hoje são mais de 200 e crescem cerca de 20% ao ano). Porém, ao mesmo tempo, lamenta o fato de o Brasil não ter um circuito amplo de salas comerciais.

Leal também fala sobre a importância dos festivais de cinema, que levam as produções audiovisuais à sociedade, além de representarem o resultado de um empreendedorismo cultural. Sobre o papel do Fórum dos Festivais nos eventos audiovisuais, Leal destaca a importância do fórum, pois age como um agregador, que trabalha cada vez mais pelo fortalecimento do circuito de festivais e também exerce um papel político muito forte, pois através do fórum pode-se sugerir políticas públicas para o governo federal.

O palestrante ainda destaca o papel do SMVC dentro do circuito nacional, pois segundo ele, o festival colabora e contribui para o crescimento dos eventos através da descentralização do circuito das grandes capitais.

Texto: Jefferson Andrade

Foto: Marcelo Cabala