Oficina de Som (captação e finalização) – Oficineiro Cristiano Scherer Maio 27, 2010



Cristiano Scherer – Técnico de som audiovisual

Registro Profissional: 554/SATED-RS

Cristianoscherer@gmail.com

ATIVIDADES PROFISSIONAIS

Técnico de Som Direto (curtas e médias metragens):

Até –16mm, mono, direção Gilson Vargas, Plongée Jam jazzing, 1997.

Velhinhas – 16mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 1998.

Fome – 16mm, direção João Filho, mono, 1998.

Intestino Grosso –, 16mm, mono, direção Augusto Canani, 1999.

The Beggining – 16mm, mono, direção Alexandre Basso, 2000,

Club – 35mm, mono, direção Cristiano Zanella, 2000.

Suco de Tomate – 35mm, Dolby SD, direção Bia Werther, 2000.

Quem? – 35mm, mono, direção Gilson Vargas, Plongée Jam Jazzing, 2000.

Outros – 35mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2000.

O Sanduíche – 35mm, mono, direção Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2000.

Domingo – 35mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2001.

Dona Cristina Perdeu a Memória, 35 mm, Dolby SD, direção Ana Azevedo, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2001.

Alumbramentos – 35mm, Dolby SD, direção Laine Milan, TVI, 2002.

Mãe Monstro – 16 mm, mono, direção Cristiane Reck, Cooperativa de Vídeo, 2003.

A Domicílio – 35 mm, Dolby SD, direção Nelson Diniz, Clube Silêncio, 2004.

Técnico de Som Direto (televisão):

Noite – especial para TV, 32 min., baseado em novela de Érico Veríssimo, direção de Gílson Vargas, Clube Silêncio, 2005.

Lutzenberger: For Ever Gaia – DOCTVIII, 52min., direção Frank Coe e Otto Guerra, OTTO DESENHOS, 2006/2007.

Técnico de Som Direto (longas metragens):

Netto Perde sua Alma – 3º etapa – 35mm, Dolby SD, direção Beto Souza e Tabajara Ruas, Scuderia Filmes, 2001.

Houve uma vez dois verões –35 mm, Dolby SD, direção Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2001.

Do Chuí ao Oiapoque – documentário, 35 mm, Dolby SD,/DTS, direção Claudia Neubern, co-produção franco-brasileira, 2002.

O Homem que Copiava – ficção , 35 mm, Dolby SD, direção Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2002.

MST – documentário 35 mm, Dolby SD, direção Miguel Torres, Canal Plus e Almodóvar Produciones, 2003.

Cão sem Dono – 35 mm, Dolby SD, direção Beto Brant e Renato Ciasca, Drama Filmes e Clube Silêncio, 2006/2007.

Ainda Orangotangos – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio, 2006/2007.

Quase um Tango Argentino – 35 mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, MGM Produções, 2008.

Microfonista (longas metragens):

Netto Perde Sua Alma – etapas 1 e 2 – 35mm, Dolby SD, Beto Souza e Tabajara Ruas, Piedra Solo, 2000/2001.

A Partilha – 35mm, direção Daniel Filho, Rio de Janeiro, Globo Filmes/Lereby Produções, 2000.

Assistente de Som Direto (longas metragens):

Tolerância – 35mm, Dolby SD, direção Carlos Gerbase, Casa de Cinema de Porto Alegre, 1999.

O Trapalhão e a Luz Azul – 35mm, Dolby SD, direção Paulo Aragão e Boury, Rio de Janeiro, Renato Aragão Produções Artísticas, 1999.

Editor de Som (curtas e médias metragens):

Cinemeando no Garagem –  S8mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 1999.

Amanhã – S8mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2000.

A Verdade às Vezes Mancha – 16mm, mono, Andre Arieta.

Quem? – 35mm, mono, direção Gilson Vargas, Plongée Jam Jazzing, 2000.

Domingo – 35mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2001.

Isaura – 35mm, mono, direção Alex Sernambi, 2001.

Vagalume – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plongee Cinema, 2002.

Dona Cristina Perdeu a Memória, 35 mm, Dolby SD, direção Ana Azevedo, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2002.

Alumbramentos – 35mm, Dolby SD, direção Laine Milan, TVI. 2002.

O Príncipe das Águas – 35mm,  Dolby, SD, direção Werner Schuneman, Novo Sete de Cinema, 2002.

Pia Mater – 35 mm, Dolby SD, direção Denisson Ramalho, Olhos de Cão, 2002.

Mãe Monstro – 16 mm, mono, direção Cristiane Reck, Cooperativa de Vídeo, 2003.

Messalina – 35 mm, mono, direção Cristiane Oliveira, Clube Silêncio, 2004.

Cinco Naipes – 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2004.

A Domicilio – 35 mm, mono, direção Nelson Diniz, 2004, Clube Silêncio, 2004.

O Inicio do Fim – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, CLube Silencio, 2006.

Sketches – 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2006.

LOTUS – 35 mm, Doby SD, direção Cristiano Trein, Sangue Bom Filmes, 2006.

Editor de Som (longa metragens):

Houve uma vez dois verões – 35 mm, Dolby SD, direção Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2001.

Wood e Stock – animação, 35mm, Dolby SD, direção Otto Guerra,  Otto Desenhos, 2006.

Noite de São João – 35mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, 2003.

Cena Aberta – seriado televisivo, direção Jorge Furtado e Guel Arraes, Globo/Casa de Cinema de Porto Alegre, 2003.

Cerro do Jarau – longa metragem, 35 mm, direção Beto Souza, Piedrafilmes, 2005.

Sal de Prata – longa metragem, 35 mm, direção Carlos Gerbase, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2005.

Ainda Orangotangos – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio – 2006/2007.

Mistéryos – 35 mm – dolby sd, direção Beto Carminatti, Pedro Merege, WG7 produções, 2006.

Netto e o Domador – 35 mm, Dolby SD, direção Tabajara Ruas, 2007.

Quase um Tango Argentino – 35 mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, MGM Produções, 2008.

Desenhista de Som – Sound designer (curta e média metragens):

Quem? – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plongée Jam Jazzing, 2000.

O Limpador de Chaminés – animação 35mm, Dolby  SD, direção Rodrigo John, GusGus Produções, 2001.

Domingo –  35mm, Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2001.

Isaura – 35mm, mono, direção Alex Sernambi, 2002.

Vagalume 35, mono, direção Gílson Vargas, Plongee Cinema, 2002.

O Príncipe das Águas – 35mm,  Dolby, SD, direção Werner Schuneman, Novo Sete de Cinema, 2002.

Cinco Naipes – curta metragem, 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2004.

Inicio do Fim – curta-metragem, 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio, 2005.

A Domicilio – 35 mm, mono, direção Nelson Diniz, Clube Silêncio, 2006.

Sketches – 35 mm, Doby SD, Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2006.

LOTUS – 35 mm, Doby SD, Cristiano Trein, Sangue Bom Filmes, 2006.

Desenhista de som – Sound designer (longa  metragens):

Netto Perde sua Alma – 35mm, direção Beto Souza e Tabajara Ruas, Scuderia Filmes, 2001.

Cerro do Jarau – 35 mm, direção Beto Souza, Piedrafilmes, 2005.

Wood e Stock – animação, 35mm, Dolby SD, direção Otto Guerra, Otto Desenhos, 2006.

Ainda Orangotangos – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio, 2006/2007.

Mistéryos – 35 mm – dolby sd, direção Beto Carminatti, Pedro Merege, WG7 produções, 2006.

Mixagens Filmes Mono:

Cinemeando no Garagem –  S8mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 1999.

Amanhã – curta metragem, S8mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2000.

A Verdade às Vezes Mancha – 16mm, mono, direção Andre Arieta, 2000.

Quem? – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plongée Jam Jazzing, 2000.

Isaura –  35mm, mono, direção Alex Sernambi, 2002.

Vagalume 35, mono, direção Gílson Vargas, Plongee Cinema, 2002.

Mãe Monstro – 16 mm, mono, direção Cristiane Reck, Cooperativa de Vídeo, 2003.

Messalina – 35 mm, mono, direção Cristiane Oliveira, Clube Silêncio, 2004.

A Domicilio – 35 mm, mono, direção Nelson Diniz, Clube Silêncio, 2006.

Mixagem Filmes 5.1:

Noite de São João – longa metragem, 35mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, 2003.

Cinco Naipes – curta metragem, 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2004.

Cerro do Jarau – longa metragem, 35 mm, direção Beto Souza, Piedrafilmes, 2005.

Inicio do Fim – curta-metragem, 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio, 2005.

Wood e Stock – animação, 35mm, Dolby SD, direção Otto Guerra, Otto Desenhos, 2006.

Sketches – 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2006.

LOTUS – 35 mm, Doby SD, direção Cristiano Trein, Sangue Bom Filmes, 2006.

Ainda Orangotangos – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio – 2006/2007

Quase um Tango Argentino – 35 mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, MGM Produções, 2008.

Gravação de Trilha Sonora (curta e média metragens):

Quem? – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plongée Cinema, 2000.

O Limpador de Chaminés – animação 35mm, Dolby SD, direção Rodrigo John, GusGus Produções, 2001.

A Sombra do Outro – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plonge Cinema, 2002.

Gravação de Trilha Sonora (longa  metragem):

Dias de Nietche em Turim – 35mm, Dolby SD, direção Julio Bressanie – Gravado e mixado ao vivo, em Tascam DA-P1

Som direto – Publicidade:

Atua desde 1999 no mercado publicitário de Porto Alegre tendo realizado vários filmes, dentre eles Coca-cola, Skol, Net, Olympikus, junto a Produtora Zeppelin.

Desde 2004 faz o som direto a grande maioria os filmes publicitários da produtora Margarida Filmes de Porto Alegre. Também realizou alguns trabalhos com a TGD, no período entre 2003 e 2005. Com a Jodaf realizou-se um comercial da Ford Ranger, nos Aparados da Serra em 2005. Em 2006 realizou comercial da MYNOLTA estrelando Ronaldinho Gaúcho, de produção internacional e produção local da Jodaf.

Experiência com Hardware e Software

Som Direto

Principais gravadores utilizados: Nagra II (Analógico), Tascan DAP1, Fostex, PD4, HHB1000 (DAT), CantarX Aaton (HD, 8 pistas), Sound Devices (HD 4 pistas)

Plataformas de Edição e Mixagem

PRO TOOLS HD, MBOX I, DIGI 002, MIX Farm

FINAL CUT

Experiência Docente:

Professor Convidado do Curso “Oficina Experimental de Cinema” promovido pela PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul) –  módulo “Som para Cinema”, 2003.

Professor Convidado do Curso “Cinema Digital” promovido pela UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) – módulo “Som”, 2003.

Professor Convidado do Curso “Som para Cinema” promovido pela FUNDACINE e pelo Governo do Estado do RS, 2003.

Formação Acadêmica:

Tecnólogo em Produção Audiovisual em Cinema e Video – PUCRS – 2006.

Cursos de Aperfeiçoamento:

Workshop V – Som para Cinema – do projeto IV Ciclo de Workshops “Novas Tecnologias no Brasil”, São Paulo – Eduardo Santos Mendes, 1998.

Premiações:

Prêmio Prawer-APTC de profissional do ano – 29º Festival de Cinema de Gramado, 2001.

1º Prêmio APTC do cinema Gaúcho – melhor som pelo filme de longa metragem Tolerância  de Carlos Gerbase, na função de assistente de som direto, 2000.

2º Premio APTC do Cinema Gaúcho, melhor som pelo filme de curta metragem Club de Cristiano Zanella na função de técnico de som direto, 2001.

3º Prêmio APTC do Cinema Gaúcho, melhor som pelo filme Domingo de Gustavo Spolidoro, na função de desenhista de som, 2001.

Indicação para o prêmio Melhor Som/Academia Brasileira de Cinema (2002) pelo Desenho de Som do filme Netto Perde sua Alma – longa metragem, 35mm, Beto Souza e Tabajara Ruas, Scuderia Filmes, 2001.

Indicação para o prêmio Melhor Som/Academia Brasileira de Cinema (2004) pelo Som Direto do filme O Homem que Copiava – longa metragem 35 mm, Dolby SD, Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre.

Prêmio de melhor som de longa metragem no Festival de Cinema do Ceará de 2004 com o filme Noite de São João, de Sérgio Silva, Dolby Sd, 35 mm, nas funções de editor de som e mixador.

Prêmio Prawer-APTC pelo conjunto da obra 2003/2004 – 32º Festival de Cinema de Gramado (2004).

Prêmio de melhor edição som de curta metragem – Mostra Gaucha do 37º  Festival de Cinema de Gramado (2009) com o filme  Livros no Quintal,  dirigido por Vinicius Cruxen. Okna Produções.

Tags:, ,
Postado por: TV OVO

Comentários

Uma resposta para “Oficina de Som (captação e finalização) – Oficineiro Cristiano Scherer”

  1. TV OVO disse:

    […] que trabalhou nos principais longas-metragens  realizados no RS nos últimos anos.   Veja seu currículo de Scherer aqui.  Na oficina irá trabalhar as formas de captação de áudio, trabalhar aspectos do desenho de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *