Oficina de Som (captação e finalização) – Oficineiro Cristiano Scherer maio 27, 2010



Cristiano Scherer – Técnico de som audiovisual

Registro Profissional: 554/SATED-RS

Cristianoscherer@gmail.com

ATIVIDADES PROFISSIONAIS

Técnico de Som Direto (curtas e médias metragens):

Até –16mm, mono, direção Gilson Vargas, Plongée Jam jazzing, 1997.

Velhinhas – 16mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 1998.

Fome – 16mm, direção João Filho, mono, 1998.

Intestino Grosso –, 16mm, mono, direção Augusto Canani, 1999.

The Beggining – 16mm, mono, direção Alexandre Basso, 2000,

Club – 35mm, mono, direção Cristiano Zanella, 2000.

Suco de Tomate – 35mm, Dolby SD, direção Bia Werther, 2000.

Quem? – 35mm, mono, direção Gilson Vargas, Plongée Jam Jazzing, 2000.

Outros – 35mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2000.

O Sanduíche – 35mm, mono, direção Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2000.

Domingo – 35mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2001.

Dona Cristina Perdeu a Memória, 35 mm, Dolby SD, direção Ana Azevedo, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2001.

Alumbramentos – 35mm, Dolby SD, direção Laine Milan, TVI, 2002.

Mãe Monstro – 16 mm, mono, direção Cristiane Reck, Cooperativa de Vídeo, 2003.

A Domicílio – 35 mm, Dolby SD, direção Nelson Diniz, Clube Silêncio, 2004.

Técnico de Som Direto (televisão):

- Noite – especial para TV, 32 min., baseado em novela de Érico Veríssimo, direção de Gílson Vargas, Clube Silêncio, 2005.

- Lutzenberger: For Ever Gaia – DOCTVIII, 52min., direção Frank Coe e Otto Guerra, OTTO DESENHOS, 2006/2007.

Técnico de Som Direto (longas metragens):

Netto Perde sua Alma – 3º etapa – 35mm, Dolby SD, direção Beto Souza e Tabajara Ruas, Scuderia Filmes, 2001.

Houve uma vez dois verões –35 mm, Dolby SD, direção Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2001.

Do Chuí ao Oiapoque – documentário, 35 mm, Dolby SD,/DTS, direção Claudia Neubern, co-produção franco-brasileira, 2002.

O Homem que Copiava – ficção , 35 mm, Dolby SD, direção Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2002.

MST – documentário 35 mm, Dolby SD, direção Miguel Torres, Canal Plus e Almodóvar Produciones, 2003.

Cão sem Dono – 35 mm, Dolby SD, direção Beto Brant e Renato Ciasca, Drama Filmes e Clube Silêncio, 2006/2007.

Ainda Orangotangos – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio, 2006/2007.

Quase um Tango Argentino – 35 mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, MGM Produções, 2008.

Microfonista (longas metragens):

Netto Perde Sua Alma – etapas 1 e 2 – 35mm, Dolby SD, Beto Souza e Tabajara Ruas, Piedra Solo, 2000/2001.

A Partilha – 35mm, direção Daniel Filho, Rio de Janeiro, Globo Filmes/Lereby Produções, 2000.

Assistente de Som Direto (longas metragens):

Tolerância – 35mm, Dolby SD, direção Carlos Gerbase, Casa de Cinema de Porto Alegre, 1999.

O Trapalhão e a Luz Azul – 35mm, Dolby SD, direção Paulo Aragão e Boury, Rio de Janeiro, Renato Aragão Produções Artísticas, 1999.

Editor de Som (curtas e médias metragens):

Cinemeando no Garagem –  S8mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 1999.

Amanhã – S8mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2000.

A Verdade às Vezes Mancha – 16mm, mono, Andre Arieta.

Quem? – 35mm, mono, direção Gilson Vargas, Plongée Jam Jazzing, 2000.

Domingo – 35mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2001.

Isaura – 35mm, mono, direção Alex Sernambi, 2001.

Vagalume – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plongee Cinema, 2002.

Dona Cristina Perdeu a Memória, 35 mm, Dolby SD, direção Ana Azevedo, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2002.

Alumbramentos – 35mm, Dolby SD, direção Laine Milan, TVI. 2002.

O Príncipe das Águas – 35mm,  Dolby, SD, direção Werner Schuneman, Novo Sete de Cinema, 2002.

Pia Mater – 35 mm, Dolby SD, direção Denisson Ramalho, Olhos de Cão, 2002.

Mãe Monstro – 16 mm, mono, direção Cristiane Reck, Cooperativa de Vídeo, 2003.

Messalina – 35 mm, mono, direção Cristiane Oliveira, Clube Silêncio, 2004.

Cinco Naipes – 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2004.

A Domicilio – 35 mm, mono, direção Nelson Diniz, 2004, Clube Silêncio, 2004.

O Inicio do Fim – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, CLube Silencio, 2006.

Sketches – 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2006.

LOTUS – 35 mm, Doby SD, direção Cristiano Trein, Sangue Bom Filmes, 2006.

Editor de Som (longa metragens):

Houve uma vez dois verões - 35 mm, Dolby SD, direção Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2001.

Wood e Stock – animação, 35mm, Dolby SD, direção Otto Guerra,  Otto Desenhos, 2006.

Noite de São João – 35mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, 2003.

Cena Aberta – seriado televisivo, direção Jorge Furtado e Guel Arraes, Globo/Casa de Cinema de Porto Alegre, 2003.

Cerro do Jarau – longa metragem, 35 mm, direção Beto Souza, Piedrafilmes, 2005.

Sal de Prata – longa metragem, 35 mm, direção Carlos Gerbase, Casa de Cinema de Porto Alegre, 2005.

Ainda Orangotangos – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio – 2006/2007.

Mistéryos – 35 mm – dolby sd, direção Beto Carminatti, Pedro Merege, WG7 produções, 2006.

Netto e o Domador – 35 mm, Dolby SD, direção Tabajara Ruas, 2007.

Quase um Tango Argentino – 35 mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, MGM Produções, 2008.

Desenhista de Som – Sound designer (curta e média metragens):

Quem? – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plongée Jam Jazzing, 2000.

O Limpador de Chaminés – animação 35mm, Dolby  SD, direção Rodrigo John, GusGus Produções, 2001.

Domingo –  35mm, Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2001.

Isaura – 35mm, mono, direção Alex Sernambi, 2002.

Vagalume 35, mono, direção Gílson Vargas, Plongee Cinema, 2002.

O Príncipe das Águas – 35mm,  Dolby, SD, direção Werner Schuneman, Novo Sete de Cinema, 2002.

Cinco Naipes – curta metragem, 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2004.

Inicio do Fim – curta-metragem, 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio, 2005.

A Domicilio – 35 mm, mono, direção Nelson Diniz, Clube Silêncio, 2006.

Sketches – 35 mm, Doby SD, Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2006.

LOTUS – 35 mm, Doby SD, Cristiano Trein, Sangue Bom Filmes, 2006.

Desenhista de som – Sound designer (longa  metragens):

Netto Perde sua Alma – 35mm, direção Beto Souza e Tabajara Ruas, Scuderia Filmes, 2001.

Cerro do Jarau – 35 mm, direção Beto Souza, Piedrafilmes, 2005.

Wood e Stock – animação, 35mm, Dolby SD, direção Otto Guerra, Otto Desenhos, 2006.

Ainda Orangotangos - 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio, 2006/2007.

Mistéryos – 35 mm – dolby sd, direção Beto Carminatti, Pedro Merege, WG7 produções, 2006.

Mixagens Filmes Mono:

Cinemeando no Garagem –  S8mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 1999.

Amanhã – curta metragem, S8mm, mono, direção Gustavo Spolidoro, GusGus Produções, 2000.

A Verdade às Vezes Mancha – 16mm, mono, direção Andre Arieta, 2000.

Quem? – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plongée Jam Jazzing, 2000.

Isaura –  35mm, mono, direção Alex Sernambi, 2002.

Vagalume 35, mono, direção Gílson Vargas, Plongee Cinema, 2002.

Mãe Monstro – 16 mm, mono, direção Cristiane Reck, Cooperativa de Vídeo, 2003.

Messalina – 35 mm, mono, direção Cristiane Oliveira, Clube Silêncio, 2004.

A Domicilio – 35 mm, mono, direção Nelson Diniz, Clube Silêncio, 2006.

Mixagem Filmes 5.1:

Noite de São João – longa metragem, 35mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, 2003.

Cinco Naipes – curta metragem, 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2004.

Cerro do Jarau – longa metragem, 35 mm, direção Beto Souza, Piedrafilmes, 2005.

Inicio do Fim – curta-metragem, 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio, 2005.

Wood e Stock – animação, 35mm, Dolby SD, direção Otto Guerra, Otto Desenhos, 2006.

Sketches – 35 mm, Doby SD, direção Fabiano de Souza, Clube Silêncio, 2006.

LOTUS – 35 mm, Doby SD, direção Cristiano Trein, Sangue Bom Filmes, 2006.

Ainda Orangotangos – 35 mm, Dolby SD, direção Gustavo Spolidoro, Clube Silencio – 2006/2007

Quase um Tango Argentino – 35 mm, Dolby SD, direção Sergio Silva, MGM Produções, 2008.

Gravação de Trilha Sonora (curta e média metragens):

Quem? – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plongée Cinema, 2000.

O Limpador de Chaminés – animação 35mm, Dolby SD, direção Rodrigo John, GusGus Produções, 2001.

A Sombra do Outro – 35mm, mono, direção Gílson Vargas, Plonge Cinema, 2002.

Gravação de Trilha Sonora (longa  metragem):

Dias de Nietche em Turim – 35mm, Dolby SD, direção Julio Bressanie – Gravado e mixado ao vivo, em Tascam DA-P1

Som direto – Publicidade:

Atua desde 1999 no mercado publicitário de Porto Alegre tendo realizado vários filmes, dentre eles Coca-cola, Skol, Net, Olympikus, junto a Produtora Zeppelin.

Desde 2004 faz o som direto a grande maioria os filmes publicitários da produtora Margarida Filmes de Porto Alegre. Também realizou alguns trabalhos com a TGD, no período entre 2003 e 2005. Com a Jodaf realizou-se um comercial da Ford Ranger, nos Aparados da Serra em 2005. Em 2006 realizou comercial da MYNOLTA estrelando Ronaldinho Gaúcho, de produção internacional e produção local da Jodaf.

Experiência com Hardware e Software

Som Direto

Principais gravadores utilizados: Nagra II (Analógico), Tascan DAP1, Fostex, PD4, HHB1000 (DAT), CantarX Aaton (HD, 8 pistas), Sound Devices (HD 4 pistas)

Plataformas de Edição e Mixagem

PRO TOOLS HD, MBOX I, DIGI 002, MIX Farm

FINAL CUT

Experiência Docente:

Professor Convidado do Curso “Oficina Experimental de Cinema” promovido pela PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul) -  módulo “Som para Cinema”, 2003.

Professor Convidado do Curso “Cinema Digital” promovido pela UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) – módulo “Som”, 2003.

Professor Convidado do Curso “Som para Cinema” promovido pela FUNDACINE e pelo Governo do Estado do RS, 2003.

Formação Acadêmica:

Tecnólogo em Produção Audiovisual em Cinema e Video - PUCRS – 2006.

Cursos de Aperfeiçoamento:

Workshop V – Som para Cinema – do projeto IV Ciclo de Workshops “Novas Tecnologias no Brasil”, São Paulo – Eduardo Santos Mendes, 1998.

Premiações:

- Prêmio Prawer-APTC de profissional do ano – 29º Festival de Cinema de Gramado, 2001.

- 1º Prêmio APTC do cinema Gaúcho – melhor som pelo filme de longa metragem Tolerância  de Carlos Gerbase, na função de assistente de som direto, 2000.

- 2º Premio APTC do Cinema Gaúcho, melhor som pelo filme de curta metragem Club de Cristiano Zanella na função de técnico de som direto, 2001.

- 3º Prêmio APTC do Cinema Gaúcho, melhor som pelo filme Domingo de Gustavo Spolidoro, na função de desenhista de som, 2001.

- Indicação para o prêmio Melhor Som/Academia Brasileira de Cinema (2002) pelo Desenho de Som do filme Netto Perde sua Alma – longa metragem, 35mm, Beto Souza e Tabajara Ruas, Scuderia Filmes, 2001.

- Indicação para o prêmio Melhor Som/Academia Brasileira de Cinema (2004) pelo Som Direto do filme O Homem que Copiava – longa metragem 35 mm, Dolby SD, Jorge Furtado, Casa de Cinema de Porto Alegre.

- Prêmio de melhor som de longa metragem no Festival de Cinema do Ceará de 2004 com o filme Noite de São João, de Sérgio Silva, Dolby Sd, 35 mm, nas funções de editor de som e mixador.

- Prêmio Prawer-APTC pelo conjunto da obra 2003/2004 – 32º Festival de Cinema de Gramado (2004).

- Prêmio de melhor edição som de curta metragem - Mostra Gaucha do 37º  Festival de Cinema de Gramado (2009) com o filme  Livros no Quintal,  dirigido por Vinicius Cruxen. Okna Produções.

Tags:, ,
Postado por: TV OVO

Comentários

Uma resposta para “Oficina de Som (captação e finalização) – Oficineiro Cristiano Scherer”

  1. TV OVO disse:

    [...] que trabalhou nos principais longas-metragens  realizados no RS nos últimos anos.   Veja seu currículo de Scherer aqui.  Na oficina irá trabalhar as formas de captação de áudio, trabalhar aspectos do desenho de [...]

Deixe uma resposta